Monumento Monções -1920-Porto Feliz -Monumentos Historicos SP- Roteiro Bandeirantes

Direção Jose Antonio Barros Freire
Roteiro Jonas Soares de Souza
Imagens aéreas das edificações históricas são apresentadas pelo Prof. Wagner Correa. Testemunhos silenciosos da participação de Porto Feliz na expansão das fronteiras no Brasil Colônia.
O Prof. Jonas Soares de Souza comenta o livro que organizou com Miyoko Makino sobre a viagem de Teotonio Jose Juzarte . Ele escreveu o Diário da Navegação durante uma expedição fluvial no Rio Tiete em 1769 .
Fala também sobre Afonso Taunay, que convidou o escultor Amadeu Zani em 1920 ,para realizar o Monumento Monções e marcar os 200 anos da saga monçoeira .
Atração do Parque Monções .
Tombado pelo Condephaat.

Edição / Finalização
Alfredo Emil
Roselane Correa de Lima
Supervisão Musical
Prof. Benedito Mariano de Campos
Participação especial :
Anna Naria Kieffer
Maestro Ricardo Bernardes
Conservatório Musical Tatuí
Coordenação- Ivete Gonzalez
Verena Nascimento
Domitila Gonzalez
Imagens aéreas - Comte. Uan Rocha
Fotografia / Audio -
Dario Jose Sako / Rogério Rocha./ WIildney S.Silveira.

Secretaria Cultura São Paulo
UFDPC ProAc Icms

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Comentário de Bruno Leal em 10 abril 2012 às 9:19

legal!

Links Patrocinados

documento histórico

Encontro histórico: Manuel Bandeira, Chico Buarque, Tom Jobim e Vinicius de Moraes. Década de 1960. Foto: Pedro de Moraes (Acervo Inst. Tom Jobim)

Conteúdo da semana

Depoimento do coronel reformado do Exército, Paulo Malhães, ex-agente do Centro de Informação do Exército, que atuou em diversas missões de extermínio de opositores da ditadura e também na Casa da Morte. No depoimento, ele admite tortura, mortes, ocultações de cadáveres e mutilações de corpos.

Cine História

Em busca de Iara

No clima dos 50 anos do golpe civil-militar de 1964, chega aos cinemas brasileiros o novo documentário de Flavio Frederico, “Em busca de Iara”.

Sinopse: Este documentário relata a trajetória excepcional de Iara Iavelberg. Apesar de ter uma situação financeira confortável, ela decidiu abandonar a família e investir na luta armada durante a ditadura militar. Iara teve uma relação amorosa com o capitão Carlos Lamarca, e morreu em 1971, aos 27 anos de idade.

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. Teremos o prazer em ajuda-lo(a):

Nosso email: cafehistoria@gmail.com

Parceria: NIEJ-UFRJ

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }