Monumentos de São Paulo

Direção: José Antônio Barros Freire
Depoimento: Frei Anacleto Luiz Gapski e arquiteto Cláudio Forte Maiolino.
O recente restauro da Igreja São Francisco, afirma o Prof. Percival Tirapeli - UNESP/SP - vai devolver à cidade de São Paulo sua mais antiga fachada de edifício colonial. As pinturas do forro da nave foram restauradas e as da capela mor constituíram uma feliz descoberta. O altar principal, feito na Alemanha, é o único no Brasil com todos os requintes do rococó europeu. Os altares da nave são barrocos e os detalhes, rococós. Inaugurada em 1647, constitui o único edifício seiscentista da cidade de São Paulo que mantém o aspecto mais próximo do original. Um impressionante conjunto arquitetônico, que foi acrescido pela igreja da Ordem Terceira no final do século dezoito. no entanto perdendo o convento, por volta de 1930, para uma construção neocolonial. A fachada da igreja ostenta três arcos na entrada, tal como o convento da Luz, construído pelo santo franciscano e arquiteto, Frei Galvão, ex-guardião na Igreja que reformou a Igreja Terceira que fica ao lado.
Em 1827 os Franciscanos doaram 5 mil livros de sua biblioteca e o prédio do antigo Convento para instalar a Faculdade de Direito, conhecida como a do Largo de São Francisco. As primeiras aulas foram realizadas na sala da sacristia. No dia 6 de Junho de 1997, o Franciscano Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns declarou que o Convento de São Francisco passaria a ser também Santuário de São Francisco. Tombada pelo Condephaat.
Exibido em 2008 pela TV Cultura, TV Alesp e TV Usp
Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo - Proac ICMS

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Comentário de Bruno Leal em 25 fevereiro 2012 às 10:34

Interessante!

Links Patrocinados

Cine História

Sobrevivente

Chega aos cinemas o filme islandês "Sobrevivente", de Baltasar Kormákur. 

Sinopse: Durante o inverno de 1984, um barco pesqueiro naufraga no Atlântico Norte, nas proximidades da Islândia. Os tripulantes tentam sobreviver, mas as águas geladas impedem que essa tarefa seja facilmente concluída, restando apenas Gulli (Ólafur Darri Ólafsson), um homem bom, de fé, querido por todos, e com uma vontade de viver inacreditável. Após nadar por cerca de seis horas e enfrentar vários percalços, ele consegue contato com a civilização. Após a incrível experiência vivida, Gulli terá ainda que viver com a dor da perda dos amigos e, pior, a incredulidade de todos, que não entendem ele ter sobrevivido a uma situação tão extrema e insistem em fazer testes para saber como isso pode ter acontecido. Baseado em fatos reais.

documento histórico

Guerra do Paraguai: Prédios paraguaios após a Guerra do Paraguai s.l., [186-]. Arquivo Polidoro da Fonseca Quintanilha Jordão. Fonte: Arquivo Nacional

Conteúdo da semana

Leituras da escravidão: O mini-documentário 'Leituras da Escravidão' aborda a escravidão na província do Paraná através do relato de estudantes de História da Universidade Federal do Paraná, que pesquisam o tema em processos judiciais do século XIX no Arquivo Público do Paraná

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }