Pensando a formação da sociedade medieval

“A sociedade medieval nasceu sobre as ruínas do mundo romano (...)”.Essa afirmação de Jacques Le Goff, parece um tanto simples, para explicar a formação de uma sociedade tão complexa quanto foi a sociedade medieval, uma época que intriga e fascina não só historiadores, mas estudiosos de diversas áreas do pensamento humano. E essa passagem do mundo antigo para a Idade Média se deu num processo longo e conturbado, que marcou profundamente a historia de todo o Ocidente.
O primeiro fato importante que corroborou para o nascimento da Europa Medieval foi sem duvida a crise no Império Romano no século III; o Império estava em decadência, o poderoso mundo Romano foi gradualmente ruindo. O comércio que era basicamente interno, estava em crise, e a divisão que isolava o Ocidente do Oriente veio por juntar-se ao isolamento crescente entre diversas partes do Ocidente, o império do Oriente prosperava em detrimento do império ocidental.
Outro elemento essencial que contribuiu para essa crise no mundo romano, foram às invasões bárbaras. Pois as investidas dos povos bárbaros contra os romanos, agravou ainda mais os problemas sociais e econômicos do Império. Os cidadãos tornaram-se cada vez mais dependentes da proteção dos grandes proprietários que passavam a ser chefes de bandos militares, isso não agradou os colonos, pois a sua situação cada vez mais caminhava para a situação de um escravo. Esse foi um dos motivos do êxito das investidas bárbaras, pois encontraram apoio nas massas revoltadas dos cidadãos romanos. E desse encontro entre esses povos – os bárbaros e os romanos – que toma corpo a Europa medieval.
As invasões germânicas do século V modificaram de forma grotesca e profunda o mapa político do Ocidente. O que precipitou essas violentas invasões não foi o desejo de “poder” a barbárie a eles atribuída pelos romanos, mas como cita Jacques Le Goff, em “A Civilização do ocidente Medieval”, “foi à fome que os armou contra os romanos”. A Pressão imposta por outros povos sobre os bárbaros os empurraram para “cima” dos romanos, de maneira desesperada e violenta. Prova disso é que os bárbaros não vão procurar destruir o Cristianismo Romano, na verdade vão aderir a ele, ainda que exista nesse ponto a forte presença do arianismo.
O Cristianismo religião das massas no império romano, vai ser uma alternativa, vai ser o principal mecanismo, que vai propiciar uma unidade nessa nova estrutura do Ocidente. Os Francos vão se beneficiar grandemente, da aliança que fazem com o catolicismo, e no século VIII vão acender ao domínio do ocidente.
A sociedade medieval surgiu, então, dessa fusão do mundo romano com o mundo bárbaro, desse choque de culturas. A herança legada pelos romanos a Europa medieval somou-se a herança legada pelos bárbaros, e as contradições existentes nesses dois povos, deram forma ao Homem Medieval.

Exibições: 6033

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Comentário de Izac Evangelista em 10 fevereiro 2009 às 20:59
Concordo inteiramente com vc cara!O Le Goff conseguiu fazer uma analise coerente e precisa do processo e dos personagens que envolveram a formação da civilização medieval na Europa. Essa afirmação dele é apenas um fragmento que de forma "simples" e curiosa, sintetiza toda uma explicação que ele desenvolve no primeiro capítulo de A civilização do ocidente Medieval .
Comentário de Edielson Brito do Carmo em 10 fevereiro 2009 às 20:20
Jacques le Goff ao utilizar a epígrafe “A sociedade medieval nasceu sobre as ruínas do mundo romano.” de forma alguma quis simplificar em uma única frase as mudanças ocorridas nessa época, lógico que tanto problemas internos quanto externos culminaram em um momento chave que resultou na queda deste império.
É interessante notar que a maioria dos impérios começam a decair após alcançar o seu apogeu, e com Roma não foi diferente. Mas quando na historiografia procura-se o que chamamos de “mudança” de um periodo para outro, geralmente um grande acontecimento que envolve tanto mudanças quanto permanências, esses momentos são logo apropriados pra legitimar tal idéia. É o que jacques le goff faz ao dizer que “ A sociedade medieval naceu sobre as ruínas do mundo romano.”

Links Patrocinados

EVENTO EM DESTAQUE

Cine História

Uma promessa

Está em cartaz nos cinemas brasileiros o filme franco-belga "Uma promessa", de Patrice Leconte. 

Sinopse: Alemanha, 1912.  Um jovem diplomata (Richard Madden) ingressa no serviço administrativo de uma usina siderúrgica. Por conta do seu bom trabalho, seu patrão (Alan Rickman) o contrata para o posto de secretário particular. Conforme os dias passam, ele conhece e se aproxima da esposa (Rebecca Hall) do chefe, apaixonando-se perdidamente por ela. Ele recebe a missão de ir ao México repentinamente e, ao anunciar sua partida, a mulher entra em desespero, realizando que ambos se amam. Sendo assim, fazem uma promessa de amor: um dia ele irá retornar e os dois finalmente ficarão juntos.

café história acadêmico

Arte: Leia, na íntegra e gratuitamente, o livro “A Era de Caravaggio.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }