Quando falamos em preconceito, devemos lembrar que estamos falando a respeito de um comportamento que cria vários problemas para o ser humano, inclusive ao preconceituoso.

Então, vamos analisar esse comportamento na tentativa de descobrir o que é, ou em que consiste o preconceito contra ciganos.

E aí encontramos uma primeira resposta aceitável: ele se constitui de uma opinião errônea, ou até mesmo de um conjunto de opiniões que são aceitas passivamente, sem passar pelo devido crivo do raciocínio, ou seja, da razão. Chamo aqui de razão a nossa verdade, ou seja, a vida real de um grupo cigano. E não aquelas fantasias geradas pela literatura, pelo cinema ou por governos europeus extremamente eurocêntricos.

E devemos ressaltar que normalmente o preconceito gera o estereótipo, quando ocorre uma generalização superficial, tal como “todos os ciganos são ladrões”, "ciganos roubam cavalos", “ciganos roubam as criancinhas" ou mesmo as do tipo "ciganos vivem livres, fazendo do céu o seu teto e do chão a cama", etc. Ora, para nós, ciganos, tudo isso não passa de estereótipos!

Até porque, os preconceituosos que nos amam e que nos odeiam (ambos, sem nos conhecer) não levam em conta que somos um total de quase 12 milhões no mundo.

E os mesmos 12 milhões encontram-se divididos em diversos grupos e subgrupos, cada qual com uma especificidade cultural, atrelada ao país onde vivem.

Então, que fique claro que a superficialidade e a estereotipia geram os maiores erros do preconceito. E esse erro está fundamentado em uma crença e não no conhecimento. Ou seja, ele tem uma base irracional e por isso escapa a qualquer questionamento fundamentado na razão. Daí a dificuldade de combatê-lo. Muitos nos odeiam ou desprezam, mesmo sem nos conhecer, generalizando e alimentando o estereótipo de que não prestamos etc.

Outros nos “amam” e buscam “imitar nossa cultura”, mesmo sem nos conhecer, também generalizando e alimentando outro estereótipo de que somos seres livres, românticos etc.

Eis a dificuldade em combater o preconceito: como não podemos corrigi-lo pela razão, temos que lutar contra as crenças, que são difundidas entre aqueles que não nos conhecem, mas que falam por nós.

Aqueles que acreditam na veracidade de uma opinião falsa, na realidade fazem isso em virtude de seus desejos, de suas paixões, de seus medos etc. Mas nunca, embasados na razão, que seria a verdade do outro (Calon, Rom e Sinti – os grupos ciganos do Brasil).

Então, você deve estar se perguntando, como acabar com esses preconceitos?          

O preconceito nasce do medo, da falsa superioridade na cabeça do homem. E é por isso que devemos combatê-lo com a Razão, isto é, com o desenvolvimento da consciência e da Educação. Vamos chamar os nossos irmãos brasileiros para a Consciência e Educação do que somos: para vivermos livres de preconceitos, precisamos ter a nossa consciência livre.

 

Nicolas Ramanush

 

Exibições: 223

Os comentários estão fechados para esta mensagem de blog

Boletim Café História

Anúncio

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }