O livro "O Campo da História”, publicado pela primeira vez em 2004, está entrando neste início de 2011 na sua oitava edição. A obra já foi traduzida para o Espanhol, e seu objetivo central é traçar um panorama elucidatico sobre o que é a História hoje, e particularmente sobre suas várias modalidades (História Cultural, História Política, Micro-História, História das Mentalidades, e tantas outras). Procura-se discutir cada uma destas modalidades com esclarecimentos e exemplos sobre suas fontes, conceitos, temas mais recorrentes, sempre buscando trazer exemplos de historiadores brasileiros e internacionais

 

Uma das teses centrais do livro é a de que os diversos trabalhos e pesquisas historiográficos nunca se localizam  inteiramente dentro de uma única modalidade historiográfica (por exemplo, a História Econômica), mas sim em uma  conexão estabelecida entre determinadas modalidades (por exemplo, uma determinada pesquisa pode estar constituída em conexão entre História Econômica, História Serial e História do Trabalho, entre outras modalidades).

 

Por exemplo, uma pesquisa sobre a "Música de Protesto no período da Ditadura Militar do Brasil", que esteja trabalhando com a Metodologia de História Oral, pode ter sua identidade reconhecida em uma conexão entre a História Política, a História Cultural, a História da Música, e a História Oral.

 

Outra tese sustentada pelo livro é a de que a maior parte das modalidades historiográficas contemporâneas surgiu a partir de três critérios distintos:

 

1 - As "dimensões" referem-se a modalidades que trazem a primeiro plano instâncias mais amplas (e incontornáveis) do viver humano e social. Por exemplo, a História Política, a História Cultural, a História Econômica, a História Demográfica, a História das Mentalidades. Cada uma destas dimensões refere-se a uma questão fundamental, na sua forma mais irredutível: o Poder (História Política), a Cultura (História Cultural), a Economia (a História Econômica), os modos de pensar e de sentir (a História das Mentalidades), a população (a História Demográfica). Estes são apenas alguns exemplos das modalidades historiográficas que se referem a dimensões.

 

2 - As "abordagens" referem-se a modalidades que remetem a "modos de fazer a história". Este tipo de modalidade historiográfica pode se referir a uma espécie de fonte, a uma maneira de trabalhar com determinadas fontes, a um modo de recortar o seu objeto ou de estabelecer o seu espaço de análise e observação. São modalidades historiográficas definidas pelas "abordagens" a 'História Oral' (que trabalha com um certo tipo de fontes - os depoimentos orais - e uma determinada metodologia), a 'História Serial' (que trabalha com fontes homogêneas constituídas em série e com uma abordagem que busca permanências, variações, padrões, mudanças de padrão na série), ou ainda a 'Micro-História', que trabalha com uma escala reduzida de observação, e que procura enxergar através do micro-recorte (uma trajetória de vida, um circuito familiar, uma vizinhança, um ambiente fabril, uma prática social) algo relacionado a uma questão social de maior alcance. Estes são apenas três exemplos de modalidades historiográficas geradas pelo critério "abordagens".

 

3 - Os domínios temáticos, que na verdade são infinitos. Referem-se a grandes ou pequenos recortes de temas, e geralmente tem uma amplitude que pode ser incluída dentro de uma "dimensão" (ou se situar entre elas). Mesmo quando um domínio temático é bastante amplo, não podemos dizer que ele é uma "dimensão" ou uma instância incontornável do viver humano, como ocorre com as modalidades referentes ao critério das dimensões. Por exemplo, a "História do Direito" e a "História das Religiões" são grandes domínios, bastante antigos e já clássicos. Embora um grande número de sociedades possuam "Direito" e "Religião", podemos perfeitamente imaginar sociedades que não as tenham. Na pré-história, por exemplo, não havia algo como o "Direito". A "História da Música", por exemplo, é um "domínio temático". Embora a maior parte das sociedades que conhecemos apresente alguma forma de música, é perfeitamente imaginável uma sociedade que não tenha Música. Além disso, a "Música", embora constitua um domínio amplo, pode ser perfeitamente incluída em uma 'dimensão' como a da Cultura.

 

Os domínios temáticos são infinitos, e podem ir dos grandes domínios aos domínios menores, mais específicos, que até cabem uns nos outros. Por exemplo, posso pensar uma "História do vestuário", posso pensar uma "História da Censura".

 

A fragmentação do mercado editorial em alguns domínios temáticos mais exóticos - por exemplo, a "História do Canibalismo" ou a "História dos pequenos objetos úteis" - tem merecido críticas de alguns historiadores que alertam para a perda de sentido de totalidade, em alguns casos. Foi o caso, por exemplo, da crítica encaminhada pelo célebre livro "A História em Migalhas", de François Dosse, que critica a tendência à fragmentação da história levada a cabo pela Nova História Francesa. De todo modo, a Historiografia conhece inúmeros domínios temáticos, alguns já clássicos e establizados como campos de pesquisa e reflexão, tais como a História da Música, a História do Direito, a História da Educação, a História das Religiões.

 

Com as 'dimensões' e as 'abordagens', os 'domínios temáticos' constituem os três critérios a partir dos quais podemos pensar a profusão de modalidades historiográficas que pode ser entrevista no cenário da historiografia contemporânea. É este labirinto de modalidades historiográficas, com todas as suas interconexões e interações possíveis, que constitui nos dias de hoje o universo de trabalho dos historiadores profissionais. Uma adequada consciência sobre a complexidade deste labirinto historiográfico, no qual se desenha a História como campo de conhecimento, mostra-se nos dias de hoje imprescindível para os historiadores em formação, e também útil para os leitores de obras historiográficas.

 

________________________

 

Estas são as teses fundamentais desenvolvidas no livro "O Campo da História" (Petrópolis: Vozes, 2011, 8a edição).

 

 

Uma Resenha sobre o livro, elaborada pela professora Maria Abadia Cardoso, da Universidade Federal de Uberlândia, pode ser encontrada na Revista Fênix (UFU): http://ning.it/fNBzZF

 

Dados bibliográficos:

.

Autor: José D'Assunção Barros

Título: O Campo da História

Editora: Editora Vozes

.

 

Para os membros do Café História que estiverem interessados em conhecer um pouco da obra, basta pedir por e-mail (jose.d.assun@globomail.com) que serão enviados alguns capítulos do livro, de modo a que tenham uma boa ideia do conteúdo e do estilo do livro.

 

Diversos textos do livro também estão sendo disponibilizados no blog "O Campo da História", um site cujo objetivo é estabelecer uma discussão sobre cada um dos diversos campos historiográficos apresentados no livro. http://ning.it/g8QDGz 

 

Exibições: 26

Tags: Campo, Historiografia, Metodologia, Teoria

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Links Patrocinados

EVENTO EM DESTAQUE

Cine História

Uma promessa

Está em cartaz nos cinemas brasileiros o filme franco-belga "Uma promessa", de Patrice Leconte. 

Sinopse: Alemanha, 1912.  Um jovem diplomata (Richard Madden) ingressa no serviço administrativo de uma usina siderúrgica. Por conta do seu bom trabalho, seu patrão (Alan Rickman) o contrata para o posto de secretário particular. Conforme os dias passam, ele conhece e se aproxima da esposa (Rebecca Hall) do chefe, apaixonando-se perdidamente por ela. Ele recebe a missão de ir ao México repentinamente e, ao anunciar sua partida, a mulher entra em desespero, realizando que ambos se amam. Sendo assim, fazem uma promessa de amor: um dia ele irá retornar e os dois finalmente ficarão juntos.

café história acadêmico

Arte: Leia, na íntegra e gratuitamente, o livro “A Era de Caravaggio.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }