O Café História mudou de endereço, plataforma e identidade visual. Clique aqui para conhecer o novo Café História. Nós deixamos de ser uma rede social e somos agora um portal totalmente voltado para a divulgação de história. Nossa principal missão é divulgar o conhecimento histórico produzido nas universidades: para o grande público e para o meio acadêmico. Para entender melhor a mudança, clique aqui. E atenção: o antigo Café História (www.cafehistoria.ning.com) permanecerá online somente até o dia 2 de abril de 2017. Depois disso, todo o seu conteúdo será apagado, inclusive perfis e blogs. Tem algum conteúdo que você queira salvar e não sabe como? Nós temos uma sugestão. Clique aqui e leia o texto até o final. Esperamos contar com você como leitor do novo Café História!

Assine o novo Boletim Café História - receba em seu e-mail nossas novidades

Toda semana nós enviamos um e-mail com as novidades no campo da história e ciências humanas. Quer receber o nosso Boletim Café História? É bem fácil!

Escritor peruano está no país para fórum sobre liberdade e propriedade privada. Segundo o fórum, ele ficou retido por cerca de duas horas no aeroporto e depois foi escoltado pela polícia até seu hotel.
O escritor, peruano de nascimento, e espanhol desde 1990 ficou detido nesta quarta-feira (27/5/09) pelas autoridades aeroportuárias da Venezuela, aonde chegou para, nos próximos dias, participar de um fórum sobre liberdade e propriedade privada, informou a imprensa local.
Vargas chegou às 13h30 ao aeroporto internacional de Maiquetía, perto de Caracas, procedente da Colômbia em companhia de sua mulher. Até pelo menos às 14h40, e inclusive depois disso, ele permanecia nessas instalações segundo a imprensa local.
As autoridades do aeroporto retiveram o seu passaporte e anunciaram que funcionários da DISIP, a polícia política de Chávez, o escoltariam até o hotel onde ficará durante a sua permanência no país.
Álvaro Vargas Llosa, filho do escritor, também ficou retido durante várias horas pelas autoridades aeroportuárias na segunda-feira passada, quando chegou à Venezuela para participar do mesmo fórum.
Mario Vargas celebrizou-se com "Redobles por Rancas", mas embora tenha sido lembrado várias vezes, ainda não recebeu o Prêmio Nobel de Literatura. Ele disse na ocasião que foi advertido para não opinar sobre assuntos políticos internos na sua condição de visitante estrangeiro.
Fonte: Domitila Madureira, a partir de notícias da EFE e da AP publicadas em 27/05/09 na grande rede.

Exibições: 38

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Boletim Café História

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }