CCJ aprova regulamentação da profissão de historiador

CCJ aprova regulamentação da profissão de historiador

A regulamentação da profissão de historiador foi aprovada, nesta quarta-feira (2), pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). A proposta, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), estabelece que a profissão de historiador poderá ser exercida pelos diplomados em curso de graduação, mestrado ou doutorado em História.

Entre as atribuições dos historiadores, o projeto (PLS 368/09) lista o ensino da disciplina no ensino básico e superior; o planejamento, a organização, a implantação e a direção de serviços de pesquisa histórica; o assessoramento voltado à avaliação e seleção de documentos para fins de preservação.
A proposta já havia sido aprovada em decisão terminativa, em março de 2010, pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS). Mas a aprovação de emenda de Plenário do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) e de requerimentos dos senadores Flexa Ribeiro (PSDB-PA) e do então senador Flávio Arns (PSDB-PR) fez a matéria retornar à CAS, bem como exigiu sua análise pela CCJ e pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

Relator do projeto na CCJ, Flexa Ribeiro recomendou sua aprovação com o acolhimento da emenda de Alvaro Dias. A mudança proposta em Plenário simplificou uma das atribuições dos historiadores para a "organização de informações para publicações, exposições e eventos sobre temas de História". O texto aprovado pela CAS detalhava os locais (empresas, museus, editoras, produtoras de vídeo e CD-ROM ou emissoras de televisão) de realização dessa atividade.

- O texto original do inciso que se pretende alterar era excessivamente detalhista e enumeratório, o que depõe contra a generalidade, clareza e precisão da norma - explicou Flexa Ribeiro em seu parecer.

O relator reconheceu o "relevante" papel exercido pelos historiadores na sociedade e considerou que a inexistência de uma regulamentação pode abrir esse campo a profissionais de outras áreas sem as qualificações necessárias para desenvolver um trabalho adequado com objetos e assuntos históricos.

Iara Farias Borges e Simone Franco / Agência Senado

Exibições: 697

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Comentário de Roberto Moreno em 21 setembro 2014 às 11:24

Parabéns ao Brasil por regulamentar a profissão de Historiador. - Se me permitem uma sugestão, a bem da Humanidade, proponho que se crie uma - Comissão Internacional de Historiadores com Cidadania Neutra. - Estou a criar, no âmbito dos objetivos da Fundação Geolíngua o GEO historiador. - O seu perfil, como é evidente, não devera ter qualquer ligação politica-partidaria, de credo e de raça. - Um Cidadão do Mundo, com certeza.- E como primeiro país a ser Re-historiado proponho que seja PORTUGAL e, com a máxima urgência, a bem da Humanidade. - Estou à disposição para colaborar, pois possuo um bom material colhido desde 1-1-1992, para efeitos de uma tese de doutoramento e que começou por se investigar a Verdadeira História da Língua "portuguesa". - Entretanto, e durante estas investigações, deparei-me em perceber como é que "funcionam" as "Universidades Portuguesas", seus reitores e seus "catedráticos". - Estou a favor, como é evidente, dos 10 milhões de portugueses no âmbito de se separar o Joio do Trigo. - O Mundo não será o mesmo quando vier a tona o que está oculto e mal contado durante 8 Séculos e meio. 

Comentário de Orlando Cardoso da Silva em 1 setembro 2014 às 5:33

ufá, até que fim!!! entendo que o comentário do nosso colegar Marcelo taranto é bem vinda falou tudo!!

Comentário de SAQUÁ HISTORIADORA em 22 julho 2014 às 0:31

   Como fazer para obter a carteirinha afinal? Obrigada...

Comentário de Marcelo Taranto Lopes em 27 fevereiro 2014 às 10:24

Acredito que o Historiador deveria possuir um Conselho Regional e Federal que defendessem os seus interesses e dessem mais do que status a profissão, pois não são "apenas" professores, são também pesquisadores que realizam um trabalho maravilhoso e sem preço a sociedade. 

Comentário de Dima Madureira em 15 novembro 2012 às 14:54

A esquerda construindo a censura no Brasil -  o Bolchevismo de volta.

O historiador agora pode perder a voz num instante tirando sua carteirinha.

O PL987 que proibe discutir o mito do holocausto tem todo o um encanto na esquerda.

O Café apaga a memória desaparecendo usuários e todo o seu conteúdo.

Agora é saber quando Stalin entrará em Brasília.

Comentário de Francisco Celismar Ferreira em 26 junho 2012 às 11:58

É otimo que nossa profissão seja reconhecida, afinal de contas, quem transmitiu a historia até hoje...

Comentário de Marcello de Albuquerque Maranhão em 24 junho 2012 às 17:29

Ow, q legal. Mtas comemorações etc e talz.

Mas quero me inscrever prum concurso que EXIGE registro profissional. Como faço isso ? Onde vou ? Se alguém souber, agradeço.

Comentário de Seloé Pacheco em 13 março 2012 às 11:09

Gostaria de saber mais detalhes sobre a regulamentação e como proceder para obter minha carteira ou registro cde Históriador.

 

Comentário de Cesar Augusto de Mattos Barretto em 13 janeiro 2012 às 13:19

Que ótimo fico feliz pela regulamentação da profissão, já que é isso que eu quero fazer na área de História.

Comentário de wagner freitas em 15 maio 2011 às 8:14
Não tem mais nenhuma instância que deva ser levado para ser aprovado definitivamente não? Será verdade mesmo?  Só não entendi dirito o que Bruno disse "a profissão de historiador poderá ser exercida pelos diplomados em curso de graduação, mestrado ou doutorado em História". Como assim poderá? Não entendi? Ou é ou não é, não é mesmo???

Boletim Café História

Anúncio

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }