Hoje, acordei cantando umas cantigas que costumava cantar na minha infância e me dei conta que as cantigas de roda estão caindo no esquecimento, infelizmente. As crianças, hoje em dia, têm um sem número de atividades (aulas de balé, natação, inglês, futebol, etc) e são tantas as distrações (DVD, TV a cabo, salas de cinema 3D, blue-ray, etc) que não lhes sobra tempo para brincadeiras prosaicas como as de roda. Assim, as cantigas de roda que embalaram a minha infância e a de muitos de vocês estão sendo esquecidas.
Definição de Cantiga de Roda no site da Wikipédia:
"Cantigas de roda, cirandas ou brincadeiras de roda são brincadeiras infantis, onde tipicamente as crianças formam uma roda de mãos dadas e cantam melodias folclóricas, podendo executar ou não coreografias acerca da letra da música. São uma grande expressão folclórica, e acredita-se que pode ter origem em músicas modificadas de um autor popular ou nascido anonimamente na população. São melodias simples, tonais, com âmbito geralmente de uma oitava e sem modulações. O compasso mais utilizado é o binário, porém não raramente também o ternário e o quaternário.
Em outras palavras, Cantigas de Roda é um tipo de canção infantil popular relacionada às brincadeiras de roda. Nesse sentido carregam uma melodia de ritmo limpo e rápido, favorecendo a imediata assimilação. Estão incluídas nas tradições orais em inúmeras culturas. No Brasil, fazem parte do folclore brasileiro, incorporando elementos das culturas africana, européia (principalmente portuguesa e espanhola) e indígena. Na matriz cultural brasileira têm uma característica interessante, que é a autoria coletiva (ou anônima) pelo fato de serem passadas de geração à geração. Atreladas ao ato de brincar, consistem em formar um grupo com várias crianças (ou adultos), dar as mãos e cantar uma música com características próprias, com melodia e ritmo equivalentes à cultura local, letras de fácil compreensão, temas referentes à realidade da criança ou ao seu imáginário, e geralmente com coreografias. As cantigas hoje conhecidas no Brasil têm origem européia, mais especificamente em Portugal e Espanha. As cantigas de roda são de extrema importância para a cultura de um país. Através delas dá-se a conhecer costumes, o cotidiano das pessoas, festas típicas do local, comidas, brincadeiras, paisagem, crenças. Normalmente tem origens antigas e muitas versões de suas letras, pois vão sendo passadas oralmente pelas gerações."

 

De acordo com CâmaraCascudo, autor que se destaca pelo seu brilhante estudo e grande empenho a respeito do assunto, as cantigas de roda tem um caráter constante. “(…) apesar de serem cantadas uma dentro das outras e com as mais curiosas deformações das letras, pela própria inconsciência com que são proferidas pelas bocas infantis.” (ibid., p 676 ) Elas são transmitidas oralmente abandonadas em cada geração e reerguidas pela outra “numa sucessão ininterrupta de movimento e de canto quase independente da decisão pessoal ou do arbítrio administrativo.” (ibid., p. 146 )

“O folclore inclui nos objetos e fórmulas uma quarta dimensão sensível ao seu ambiente” (Câmara Cascudo)

Veja a letra de algumas das cantigas de roda mais executadas no Brasil. Mais cantigas podem ser encontradas no site ABCKids: http://www.abckids.com.br/cantigas.php



Algumas das cantigas
Marcha soldado
Eu entrei na roda
Pai Francisco
Pirulito que bate bate
Capelinha de melão
Atirei o pau no gato
Terezinha de Jesus
A rosa amarela
Escravos de Jó
Samba Lelê
Ciranda, cirandinha
Fui no Tororó
Cai cai balão
Sapo jururu
Roda pião
Pezinho
Gatinha parda
Barraquinha
Meu limão, meu limoeiro
Tutu Marambá
Cachorrinho
Caranguejo peixe é
Peixe vivo
A canoa virou
Vai abóbora
A barata diz que tem
Mineiro de Minas
A linda rosa juvenil
e tantas mais... e para mim a mais linda de todas:

Nesta rua

Nesta rua, nesta rua, tem um bosque
Que se chama, que se chama, Solidão
Dentro dele, dentro dele mora um anjo
Que roubou, que roubou meu coração
Se eu roubei, se eu roubei seu coração
É porque tu roubastes o meu também
Se eu roubei, se eu roubei teu coração
É porque, é porque te quero bem
Se esta rua se esta rua fosse minha
Eu mandava, eu mandava ladrilhar
Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhante
Para o meu, para o meu amor passar
Quem souber ou se lembrar de mais alguma, favor acrescentar à lista.
Bom final de semana a todos!

Exibições: 960

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Links Patrocinados

Cine História

Relatos Selvagens

Acaba de chegar aos cinemas brasileiras a produção argentina “Relatos Selvagens”, dirigida por Damián Szifron e com Ricardo Darín como protagonista.

Sinopse: Diante de uma realidade crua e imprevisível, os personagens deste filme caminham sobre a linha tênue que separa a civilização da barbárie. Uma traição amorosa, o retorno do passado, uma tragédia ou mesmo a violência de um pequeno detalhe cotidiano são capazes de empurrar estes personagens para um lugar fora de controle.

café história acadêmico

Revolução Mexicana: confira, na íntegra, o artigo “A Revolução na encruzilhada: uma análise da arte revolucionário do muralismo mexicano a partir da imagem: “O Homem Controlador do Universo”, de Diego Rivera, do historiador Rafael Hansen Quinsani, da UFRGS. 

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }