ASSIM ERA MINHA MÃE!

Minha querida mãe era uma linda mulher,
De face, de coração, de atitudes, atos e emoções.
Construir uma lar benevolente era seu mister.
Viveu num clima de pureza, mas de puras sensações.

Plantou sementes, botões, colheu lírios e rosas.
Multicores, brilhantes, belas, brilhantes e perfumadas,
A colheita foi à esperada, as safras esplendorosas.
Rainha do lar, trabalhadora com raízes emolduradas.

De Deus o Pai Maior veio alegria, a primazia e a destinação,
Na vida cansativa não lastimava, lutava como uma guerreira.
Doava-se ao companheiro, aos filhos ao lar com amor no coração,
Na etapa evolutiva de lutas e tarefas brilhou a vida inteira.

Colheu muitos frutos, amou como devia como uma brava senhora,
Com o corpo cansado, os cabelos brancos realçavam a bravura e a ternura expandia.
Sempre com o sorriso estampado levava a vida de colher, com esmero sem penhora.
Lutou o quanto pode, mas com a sua destinação já traçada se entregou ao Senhor sem rebeldia.


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-FORTALEZA/CEARÁ

Exibições: 358

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Boletim Café História

Anúncio

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }