ASSIM ERA MINHA MÃE!

Minha querida mãe era uma linda mulher,
De face, de coração, de atitudes, atos e emoções.
Construir uma lar benevolente era seu mister.
Viveu num clima de pureza, mas de puras sensações.

Plantou sementes, botões, colheu lírios e rosas.
Multicores, brilhantes, belas, brilhantes e perfumadas,
A colheita foi à esperada, as safras esplendorosas.
Rainha do lar, trabalhadora com raízes emolduradas.

De Deus o Pai Maior veio alegria, a primazia e a destinação,
Na vida cansativa não lastimava, lutava como uma guerreira.
Doava-se ao companheiro, aos filhos ao lar com amor no coração,
Na etapa evolutiva de lutas e tarefas brilhou a vida inteira.

Colheu muitos frutos, amou como devia como uma brava senhora,
Com o corpo cansado, os cabelos brancos realçavam a bravura e a ternura expandia.
Sempre com o sorriso estampado levava a vida de colher, com esmero sem penhora.
Lutou o quanto pode, mas com a sua destinação já traçada se entregou ao Senhor sem rebeldia.


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-FORTALEZA/CEARÁ

Exibições: 284

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Links Patrocinados

documento histórico

Versão digitalizada do decreto que aboliu a escravatura no Brasil, dando origem à Lei Áurea. O documento é assinado pela Princesa Imperial Regente Isabel, pelos senadores Primeiro Vice-Presidente Antônio Candido da Cruz Machado, Primeiro Secretário Barão de Mamanguape e pelo Segundo Secretário do Joaquim Floriano de Godoi. O manuscrito original faz parte do acervo do Arquivo do Senado Federal. Faça aqui o download em alta resolução desta importante peça da História do Brasil: http://goo.gl/ewCcee

Conteúdo da semana

Depoimento do coronel reformado do Exército, Paulo Malhães, ex-agente do Centro de Informação do Exército, que atuou em diversas missões de extermínio de opositores da ditadura e também na Casa da Morte. No depoimento, ele admite tortura, mortes, ocultações de cadáveres e mutilações de corpos.

Cine História

Cortinas Fechadas

Chega aos cinemas brasileiros o drama iraniano dirigido por Kambolza Partovi e Jafar Panahi, “Cortinas Fechadas”.

Sinopse: Vivendo em prisão domiciliar após ter sido condenado pela justiça iraniana, sob a acusação de denegrir a imagem do governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad com seus filmes, o cineasta Jafar Panahi tem seu cotidiano apresentado neste filme.

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. Teremos o prazer em ajuda-lo(a):

Nosso email: cafehistoria@gmail.com

Parceria: NIEJ-UFRJ

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }