Arquivo Café História - O Lado Obscuro da Civilização Moderna

O Lado Obscuro da Civilização Moderna

Enciclopédia virtual, coordenada pelo historiador francês Jacques Semelin, reúne informações sobre episódios de violência de massa ocorridos nas últimas décadas em todo os cantos do mundo

O século XX ficou marcado por produzir episódios de violência humana sem precedentes: conflitos étnicos, torturas, terrorismo, genocídios e outras modalidades de violência de massa. Do genocídio armênio em 1915 aos milhares de mortos em Ruanda, em 1994, os direitos humanos foram violados em todos os continentes, mesmo sob os protestos de entidades pacifistas e diante de normas jurídicas internacionais criadas para protegerem todo e qualquer indivíduo. Mas nem tudo parece perdido. Foi com base nessa falha moral e ética do sistema internacional moderno que pesquisadores de diversas áreas das ciências humanas juntaram-se para criar a Enciclopédia Online de Violência de Massa (On Line Enclyclopedia of Mass Violence – OEMV).

Coordenado pelo historiador francês Jacques Semelin, o site tem como objetivo construir instrumentos apropriados para reunir informações sobre massacres de populações civis e transformá-las em dados de referência. Esse verdadeiro banco de dados estaria ao alcance de todos, sem fins comerciais, apenas para contribuir para o fim das arbitrariedades contra os diretos humanos, definidos há mais de 50 anos por organizações supranacionais como a ONU.

Em entrevista recente ao jornal OGLOBO, Semelin falou sobre a coordenação do site e sobre a importância de se compreender os contextos sociais dentro dos quais ocorrem os massacres perpetrados em nome da civilização. Para o historiador, todo homem deveria se colocar a pergunta: por que e como tal barbárie é possível? Objetivo sem perder a profundidade, Samelin comentou que genocídios como aquele cometido contra os judeus durante o Terceiro Reich não são desvios da civilização, mas a própria civilização. A cultura não só não salva necessariamente o homem da barbárie, como pode até mesmo fornece-lhe formas de incrementá-la. É essa dualidade que incomoda, mas que não pode ser esquecida, aponta o historiador.

O resultado do trabalho de Semelin e de diversos outros pesquisadores, franceses, americanos, belgas, espanhóis, alemães e de outros países, é um site fantástico, rico em informações, sempre atualizadas. Os dados estão quase sempre em inglês e organizados geograficamente. Os fenômenos de violência de massa ocorridos em um país estão em ordem cronológica, respeitando tópicos como: contexto, autores, vítimas, testemunhas, memória, decisões judiciais e bibliografia. São páginas e mais páginas de conteúdos estarrecedores sobre a humanidade, extremamente valiosos do ponto de vista informacional e histórico.

Não deixe de conhecer a enciclopédia. Acesse, informe-se e colabore: http://www.massviolence.org/

Exibições: 154

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

café história acadêmico

Lançamento: A 13ª Edição da Revista Ars Histórica está no ar cheia de novidades. Nesta edição, os leitores encontrarão o dossiê "Império Português em Perspectiva: Sociedade, Cultura e Administração (XVI-XIX)" apresentado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Jucá, PPGHIS-UFRJ. Clique aqui para conferir na íntegra.

bibliografia comentada

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. cafehistoria@gmail.com

dicas de dezembro

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }