Arquivo Café História | A Família Real Fazendo Pose

A Família Real Fazendo Pose

D.Pedro, a família e seus pertences estão fazendo pose para a fotografia. É que o Museu Imperial está disponibilizando todo o seu acervo na internet. A idéia é aproximar o grande público da História do Império Brasileiro. Confira!

O boom de digitalização de arquivos históricos chegou à Família Real Brasileira. D.Pedro e sua família estão agora a um clique de distância de você. No ano em que comemora os seus setenta anos, o Museu Imperial de Petrópolis (Rio de Janeiro) ganhou de presente O Projeto DAMI (Digitalização do Acervo do Museu Imperial), idealizado para disponibilizar todo o acervo da instituição na internet. A idéia é oferecer ao amplo público acesso às imagens das peças e também conteúdo detalhado sobre cada uma. Com isso, o Museu ampliaria bastante o número absoluto de seu acervo atualmente exposto, que não ultrapassa os 7%. Mas esse presentão - comemorado por pesquisadores, estudantes, professores, público geral interessado em história - não é pouca coisa. O projeto está mobilizando vários profissionais.

No total, são onze profissionais, entre museólogos, historiadores e técnicos na área de imagem. As peças são trabalhadas em três laboratórios de digitalização, onde são fotografados e escaneados, inclusive peças frágeis. Segundo o cronograma do Museu, a cada quatro meses serão inserindo novas coleções na base de dados do projeto, objetivando tornar a visita do internauta uma experiência agradável e inovadora, oferecendo, para isso, um número superior a 360 mil itens distribuídos entre peças de natureza arquivística, bibliográfica e museológica.

Segundo a Equipe do Museu Imperial, a digitalização dos acervos de cunho patrimonial constitui "um imperativo às instituições que, reconhecendo a importância do meio virtual na sociedade contemporânea, anseiam por utilizar esta tecnologia como um meio de disseminação e conseqüente democratização do acesso à informação e ao conhecimento." E acrescentam: "a adoção destas novas tecnologias possibilita a implementação de uma eficaz política de preservação e proteção do acervo histórico e artístico, principalmente daqueles itens que se encontram mais frágeis e sujeitos à deterioração, devido ao seu constante manuseio.

O trabalho, porém, ainda está no momento inicial, haja vista a previsão da necessidade de, no mínimo, dez anos para a digitalização completa dos documentos, livros, periódicos e demais objetos de arte e história que compõem o riquíssimo e diverso acervo do Museu Imperial. No momento, O Museu Imperial apresenta a primeira etapa desse Projeto, com a disponibilização de três coleções: a Coleção Carlos Gomes, a Coleção Sérgio Eduardo Lemgruber e a Coleção Visconde de Itaboraí. A primeira coleção, por exemplo, de Carlos Gomes, é composta de 254 itens, dos quais 225 fazem parte do acervo arquivístico, 23 do acervo museológico e 6 do acervo bibliográfico. Essa coleção foi formada a partir de uma doação (legado) feita ao Museu Imperial, em 1947, por Ítala Gomes Vaz de Carvalho, filha do maestro. São documentos impressos e manuscritos, iconografias, objetos tridimensionais (moedas, medalhas, cerâmica, mobiliário, entre outros), livros e folhetos que se relacionam, principalmente, com a trajetória profissional e pessoal de Antonio Carlos Gomes.

A matemática é animadora: até o momento já são mais de trezentos e cinqüenta documentos manuscritos, livros, folhetos, periódicos e objetos tridimensionais, totalizando três mil e noventa e nove imagens. Em setembro, o Projeto prevê a realização da segunda etapa, com a disponibilização de um novo lote pertencente à outras três grandes coleções do arquivo.

No site da instituição (www.museuimperial.gov.br/portal/projeto-dami), o internauta pode ter mais informações sobre cada coleção e, claro, realizar sua própria pesquisa. No site, é possível realizar a busca combinando "Setor de Guarda", "Coleções/Arquivos", "Categoria" e "Período".

Acesse e compartilhe com a Família Real Brasileira a sua vida nos mínimos detalhes!

Exibições: 301

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Comentário de EDILZIMAR REBOUÇAS em 17 março 2012 às 15:00

NÓS futuros HISTORIADORES... estuda=mos, TODO TIPO DE época....a minha aréa que admiro é HISTORIA NA IDADE MÉDIA...

Comentário de Ana Carmem de Jesus em 9 outubro 2010 às 19:23
Eu comecei a estudar historia e esses projetos digitalização será ótimo para meus estudos acadêmicos.
Comentário de Liberalino Junior em 12 setembro 2010 às 17:05
Esses projetos de digitalização são de grande importância para o aprofundamento em estudos e facilitam muito na hora de uma pesquisa. Além do mais com o avanço tecnológico que estamos passando nada melhor que nossos museus poderam também embarcar nessa viagem, inovando em diversas coisas e possibilitando novas portas de acesso para elas. Documentos agora podem estar ao nosso alcance apenas com um clic com o mouse, muito bom o projeto estão de parabéns.
Comentário de Gustavo Aguiar Araujo em 10 setembro 2010 às 20:01
Muito interessante estes projetos de digitalização de nossos tesouros. Nota 10 para a iniciativa.
Comentário de Breno Araujo em 9 setembro 2010 às 13:43
Assim será também uma forma de melhor contribuir para futuros trabalhos acadêmicos no Brasil, que são muito pouco valorizados.
Comentário de Adila Barretto em 9 setembro 2010 às 10:47
Com a correria diária e o avanço tcnológico nada melhor do que a informatização dos museus, crescimento cientifico e cultural a todo vapor ... muito bom, a interação historiográfica deve ser bem distribuida em todas as partes e nada melhor do que a internet para fazê-lo.
Comentário de Pedro Paulo Aiello Mesquita em 8 setembro 2010 às 2:36
Esse trabalho de digitalização de documentos e do acervo do nosso Museu Imperial aqui em Petrópolis é de enorme valia na atual busca do conhecimento historiográfico em estudar as imagens e as demais representações do passado. Além de servir como difusora do acervo, pois como bem disse a Amanda Jatobá, nem todos têm acesso ao Museu, tal medida torna mais dinâmica e cômoda a consulta. Certamente valeu, muitas dissertações e teses em história vão se valer desse material disponibilizado.
Comentário de Rafael Leandro em 5 setembro 2010 às 23:43
irado
Comentário de Amanda Juliana Jatobá de Cravalh em 1 setembro 2010 às 21:40
Muito importante essa iniciativa, uma vez que
nem todas as pessoas têm condições de fazer
uma visita presencial ao Museu.
Os idealizadores desse projeto estão de parabéns!
Comentário de Elizabetty Thaumaturgo em 31 agosto 2010 às 19:29
Adorei a iniciativa...Parabéns!

café história acadêmico

Lançamento: A 13ª Edição da Revista Ars Histórica está no ar cheia de novidades. Nesta edição, os leitores encontrarão o dossiê "Império Português em Perspectiva: Sociedade, Cultura e Administração (XVI-XIX)" apresentado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Jucá, PPGHIS-UFRJ. Clique aqui para conferir na íntegra.

bibliografia comentada

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. cafehistoria@gmail.com

dicas de dezembro

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }