Arquivo Café com Prosa | Alma Encantadora das Ruas | João do Rio

A Alma Encantadora das Ruas


Um dos maiores cronistas do Rio de Janeiro, João do Rio volta ao circuito literário da cidade em grande estilo com relançamento de obra


O mais carioca dentre todos os cariocas está de volta ao circuito literário da cidade maravilhosa. João do Rio (1881-1921), ilustre jornalista, cronista, tradutor e teatrólogo do início do século XX, acaba de ter a sua obra “A Alma Encantadora das Ruas” relançada em uma charmosa edição, publicada pela Editora Cidade Viva e com co-edição do Instituto Light. E o palco para o lançamento não poderia ser outro: a Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro, entidade da qual se associou em 1910. No evento, compareceram importantes estudiosos do Rio de Janeiro, além de diversos artistas e nomes de expressão da cultura da cidade.

O livro faz parte da coleção “River of January – O Rio de Janeiro visto pelos seus escritores”. Segundo o seu prólogo, a coleção possui duas características principais: a primeira está descrita no seu título, a de explorar a experiência carioca em épocas variadas através da literatura aqui produzida. A outra, é o seu bilingüismo, onde textos em português e inglês são apresentados lado a lado.

Além de João do Rio, cujo lançamento é realizado para coincidir com o centenário de sua eleição para a ABL, a coleção também presta homenagem a outros três grandes mestres: Manuel Antonio de Almeida (Memórias de um Sargento de Milícias) e Machado de Assis (Casa Velha).

“A Alma Encantadora das Ruas” ou, em sua versão em inglês, “The Enchanting Soul of the Streets”, é recheada de preciosidades. Além da qualidade imprescritível e universal das crônicas de João do Rio, destaque para a primorosa tradução para o inglês, feita por Mark Carlyon, que conseguir transpor para o inglês as impressões, sentimentos e tensões inerentes ao texto, algo que por si só, em português, reunido em livro, já é bastante difícil, uma vez que as crônicas foram publicadas originalmente periódicos mensais.

Outra preciosidade do livro são as suas ilustrações, cuidadosamente produzidas por Waltercio Caldas. São imagens que mostram uma cidade em tom noturno, no tom da madrugada, em traços geométricos, fugidios, todas em branco (da lua cheia, sempre ela, uma constante) preto (as construções, como prédios e casas) e azul escuro (quando o céu se confunde com o chão). As ilustrações se encontram ao longo das crônicas, sempre em folhas duplas, impressas em papel fosco e com verniz localizado, podendo ser abertas, como se brotassem de dentro para fora do livro.

Por fim, pode-se citar o design luxuoso do livro, sempre seguindo o ritmo das ilustrações, nas cores pretas e azuis, ou ainda a belíssima introdução escrita por MV Serra e Antonio Edmilson Martins Rodrigues, este último, historiador, professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), um dos maiores conhecedores da obra e vida de João do Rio, bem como da História do Rio de Janeiro. Nesta introdução, o leitor encontra uma contextualização do livro, de um Rio de Janeiro que ainda procura sua identidade na virada do século XIX para o século XX. De quebra, o que nos honra muito, ainda uma citação ao Café História como um espaço onde ainda é possível ver sinais de que a “Belle Époque” continua viva e fascinando muita gente.

Gostou? Então, não perca tempo. Prepare o café e uma ótima leitura por essa encantadora leitura. João do Rio espera por você para mostrar o que há nessas tão comentadas ruas e becos cariocas.

Por Bruno Leal

Informações técnicas

Lançado em 6 de maio de 2010 | 487 páginas | Editora Cidade Viva

Exibições: 454

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Boletim Café História

Anúncio

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }