Aquivo Café com Prosa | A História da América Latina | Jurandir Malerba

A História na América Latina

JURANDIR MALERBA

Por Bruno Leal

Lançado recentemente pelo simpático selo editorial "FGV de Bolso", da Fundação Getúlio Vargas, o livro "A História na América Latina - Ensaio de crítica historiográfica" vem ajudar a preencher uma lacuna no mercado editorial brasileiro na área de história. O livro tem o objetivo nada fácil de discutir o desenvolvimento da disciplina histórica desde a ruptura epistemológica ocorrida na década de 1960 até os dias atuais, quando os efeitos daquela ruptura ainda são plenamente sentidos. Nas prateleiras destinadas à história, o Brasil ainda carece de obras que reflitam sobre o pensar história no continente, ao invés de vir a reboque apenas das historiografias produzidas dos grandes centros hegemônicos de poder. Assim, a FGV acerta em cheio com a publicação, que chega em ótima hora, afinal de contas nunca os cursos de História no país foram tão procurados.

“A História na América Latina” é escrito por Jurandir Malerba, escritor e ensaísta, professor e pesquisador da PUC do Rio Grande do Sul. Malerba também é membro do Café História. (Clique aqui para deixar um "alô" para ele). Com escrita clara, mas sem abrir mão de discussões conceituais de peso, Malerba realiza com honras um trabalho conciso, mas que, ao mesmo tempo, dispara uma série de reflexos sobre o “fazer história” na América Latia. O autor discute desde o ápice das teorias marxistas até as correntes pós-modernas da História, passando pela “descoberta” da linguagem pelos historiadores após o movimento cultural e epistemológico conhecido como “linguistic turn”.

O primeiro passo de Malerba é uma introdução aprofundada. Nela, o autor discute, sobretudo, a importância do marxismo para o desenvolvimento de uma historiografia latina, ancorada em problemas e questões indissociáveis do contexto sócio-político em que se encontrava nas décadas de 1960 e 1970. “Talvez o maior dos grandes paradigmas historiográficos contemporâneos, o marxismo floresceu na América Latina na segunda metade do século XX, alterando profundamente o percurso da historiografia que então se praticava na região. Com sua difusão, populariza-se uma nova modalidade de escrita histórica de caráter estrutural, científica e objetiva que, superando a narrativa linear dos grandes indivíduos e fatos históricos, ambiciona oferecer um visão global da formação histórica dos povos latino-americanos, com ênfase em sua dimensão econômica e social”, diz Malerba.

O eixo do livro gira em torno de dois momentos históricos distintos. O primeiro cobre as décadas de 1970 e 1980 (capítulo 1) e dedica a atenção às históricas econômica e social. O segundo as décadas de 1980 e 1990 (capítulo 2) e problematiza a hegemonia da nova história política e da nova história cultural. Uma conclusão a que o leitor do livro pode chegar é que, com as diversidades de modelos e diálogos, a história na América Latina realmente conseguiu ver-se livre das antigas amarras limitadoras, de seus projetos totalizantes, disciplinares e principalmente, holísticos. Mas há problemas também nesse horizonte. O autor pondera que nossa historiografia poderia ter produzido nessas últimas quatro décadas muita coisa nova, mas devido a uma série de contingências e escolhas, optou-se por uma acomodação conservadora. O mundo se tornou mais complexo e, segundo o autor, é preciso acompanhá-lo. Ma o livro não termina com uma constatação melancólica. Pelo contrário, ele reforça a necessidade de seqüência de novos trabalhos, de novos esforços no campo da teoria social para que cada vez mais novos autores e trabalhos de fôlegos da historiografia brasileira sejam alçados no debate internacional, como nos últimos anos, já vem ocorrendo. O Café história faz coro a esse desejo e parabeniza o amigo Jurandir pelo ótimo trabalho e pela grande contribuição a nossos bolsos.


Páginas: 146

Preço encontrado: R$ 17,00

Editora: FGV Editora / FGV de Bolso (Série História)

Exibições: 708

Tags: america, latina

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Links Patrocinados

Cine História

Era uma vez em Nova York

Acaba de chegar aos cinemas brasileiros o filme "Era uma vez em Nova York", do diretor James Gray ("Amantes", "Os Donos da Noite").

Sinopse: Em 1921, as irmãs polonesas Magda (Angela Sarafyan) e Ewa Cybulski (Marion Cotillard) partem em direção a Nova Iorque, em busca de uma vida melhor. Mas, assim que chegam, Magda fica doente e Ewa, sem ter a quem recorrer, acaba nas mãos do cafetão Bruno (Joaquin Phoenix), que a explora em uma rede de prostituição. A chegada de Orlando (Jeremy Renner), mágico e primo de Bruno, mostra um novo amor e um novo caminho para Ewa, mas o ciúme do cafetão acaba provocando uma tragédia.

café história acadêmico

Maquiavel: confira na íntegra a dissertação "O Fantasma de Maquiavel: Antimaquiavelismo e razão de Estado no pensamento político ibérico do século XVI", defendida por Bruno Silva de Souza, Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }