A França hoje é republicana e em princípio esta forma de governo começou após a Guerra Franco-Prussiana, quando caiu o belicoso Imperador Napoleão III. Mas, antes disso sempre teve um regime monárquico, salvo débeis tentativas de implanta-la durante a Revolução Francesa.
A monarquia gaulesa teve deliciosas histórias, muitos momentos trágicos e de estagnação, bem como grandes glórias. A titulo de exemplo único: Luis XIV, o Rei-Sol, era filho biológico de seu pai, Luis XIII, ou apenas da mãe, a rainha Ana de Áustria e de um desconhecido genitor?
Historicamente, o país propriamente dito nasceu durante o reinado de descendente de Carlos Magno, mas sua monarquia só se fortaleceu paulatinamente após a ascensão ao poder de Hugo Capeto, de quem descenderam ao menos teoricamente todos os monarcas franceses, com exceção de Napoleão I e seu medíocre sobrinho, antes já referido.
Por isto tudo a monarquia francesa merece ser comentada e relembrada, ficando os demais participantes convidados a faze-lo. De minha parte, colaborarei modestamente, com o pouco que dela sei.
(a imagem é uma alegoria da sagração e coroação do rei Filipe II e ainda mostra o grande símbolo da monarquia – a flor de lis)

Exibições: 6519

Comentar

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Links Patrocinados

documento histórico

Versão digitalizada do decreto que aboliu a escravatura no Brasil, dando origem à Lei Áurea. O documento é assinado pela Princesa Imperial Regente Isabel, pelos senadores Primeiro Vice-Presidente Antônio Candido da Cruz Machado, Primeiro Secretário Barão de Mamanguape e pelo Segundo Secretário do Joaquim Floriano de Godoi. O manuscrito original faz parte do acervo do Arquivo do Senado Federal. Faça aqui o download em alta resolução desta importante peça da História do Brasil: http://goo.gl/ewCcee

Conteúdo da semana

Depoimento do coronel reformado do Exército, Paulo Malhães, ex-agente do Centro de Informação do Exército, que atuou em diversas missões de extermínio de opositores da ditadura e também na Casa da Morte. No depoimento, ele admite tortura, mortes, ocultações de cadáveres e mutilações de corpos.

Cine História

Cortinas Fechadas

Chega aos cinemas brasileiros o drama iraniano dirigido por Kambolza Partovi e Jafar Panahi, “Cortinas Fechadas”.

Sinopse: Vivendo em prisão domiciliar após ter sido condenado pela justiça iraniana, sob a acusação de denegrir a imagem do governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad com seus filmes, o cineasta Jafar Panahi tem seu cotidiano apresentado neste filme.

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. Teremos o prazer em ajuda-lo(a):

Nosso email: cafehistoria@gmail.com

Parceria: NIEJ-UFRJ

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }