joão paulo gomes gadelha
  • Masculino
  • sobral ceara
  • Brasil
Compartilhar
  • Mensagens de blog
  • Tópicos
  • Grupos (2)
  • Fotos
  • Álbuns de Fotos
  • Vídeos

Amigos de João paulo gomes gadelha

  • Gabriela Coutinho Sales
  • Letícia de Miranda Casa Grande
  • Lelia Freire de Oliveira
  • Renata Marcoline de Souza Cruz
  • Mirtes Emília
  • José D'Assunção Barros
  • Juliana Linhares
  • Bruno Leal

Grupos de joão paulo gomes gadelha

 

Página de joão paulo gomes gadelha

Informações do Perfil

Sobre mim
Estudante de História gosto de marxismo estou no Quinto período.
HEROÍSMO NO COMANDO,VIOLÊNCIA SEM SENTIDO E A DETESTÁVEL IDIOTICE QUE É CHAMADA DE PATRIOTISMO,EU ODEIO TUDO ISSO.
ALBERT EINSTEIN.
Atividade profissional
Estudante
Formação
Graduando
País
brasil
Estado
ceara
Cidade
sobral


INSTITUTO SUPERIOR DE TEOLOGIA APLICADA (INTA)

 

...

 

 

 

 

Nome: João Paulo Gomes Gadelha

Professor: Tito Barros Leal

Curso: Licenciatura em História.

 

 

 

 

 

 

GRUPO DE ESTUDOS “HISTÓRIA E LITERATURA"



Cantigas de Amigos de Martin Códex, o segrel da Corte.



Resumo.
Esse foi um trabalho elaborado junto ao grupo de Estudos “História e literatura” que faz uma interpretação das catingas de Martin códax por que suas composições são consideradas das mais importantes da lírica trovadoresca galaico-portuguesa, embora o corpus literário, um elemento atribuído, se limite a sete cantigas de amigo que figuram em dois dos três cancioneiros da lírica galaico-português  nós queremos perceber que tipo de mensagem  as cantigas de amigo estão querendo mostra na literatura.


Martin códax e suas cantigas de amigos

Martín Códax foi um trovador galego do século XIII, que em suas poesias exalta os amores galantes e a paixão pelo mar ativo embora seja um dos dois únicos autores presentes nos cancioneiros medievais cujas composições se conservaram igualmente num manuscrito individual, o Designado Pergaminho Vindel, aonde vem acompanhada da notação musical, na pesquisa feita nada se sabe de concreto sobre a sua biografia e nem de seu status social. Seria, pois um jogral ou segrel, muito possivelmente ligado a Vigo, localidade repetidamente mostrada nas suas composições, suas únicas obras que sobreviveram foram sete cantigas de amigo compostas em galego-português. O galego-português (também chamado de galaico-português, porto-galego-português, português antigo, português arcaico, galego antigo, galego arcaico) foi a língua falada durante a Idade Média na região de Portugal e da Galiza (Espanha); dela como atuais descendem as atuais línguas portuguesa e galega assim, o galego-português é o idioma ancestral comum como às línguas galaico-portuguesas.



A língua considera-se formada no século VIII, principalmente como desenvolvimento do latim vulgar falado pelos conquistadores romanos a partir do século II d.C,no seu momento foi língua culta fora dos reinos da Galiza e de Portugal, nos reinos vizinhos de Leão e Castela assim o rei castelhano Afonso X o escreveu como suas Cantigas de Santa Maria em galego-português a sua importância que era grande e tal considerada a segunda literatura mais importante durante a Idade Média europeia, só perdendo para o occitano, não se vai fazer uma interpretação das setes cantigas de Martin códax mas de duas canções que podem mostra a força da poesia galaica-portuguesa, que é subdividida em três categorias: Cantigas de amigo, Cantigasde amor e Cantigas de escárnio e maidizer.























Das setes cantigas de amigos de Martin codax  estão aqui duas:

Ai ondas, que eu vinver
Ai ondas, que eu vinveer,

se me saberedes dizer

porque tarda meu amigo

sen min?

Ai ondas, que eu vin mirar,

se me saberedes contar

porque tarda meu amigo

sen min?





Ondas do mar de Vigo Martin codax.

Ondas do mar de Vigo,

se vistes meu amigo!

E ai, Deus!,severrá cedo!

Ondas do marlevado,

se vistes meu amado!

E ai Deus!,severrá cedo!

Se vistes meu amigo,

o por que eu sospiro!

E ai Deus!,severrá cedo!

Se vistes meu amado,

por que hei gran cuidado!      
E ai Deus!, severrá cedo.


Características das cantigas de amigos de Martin códax.



Este trabalho está querendo fazer uma interpretação da letra, ouvido as cantigas se ver que está em gênero lírico já que é colocada como cantigas de amigo quando se fala isso, quer dizer que gênero lírico é “cantigas de amigo”, “cantigas de amor” por que na interpretação o lírico nasceu de uma modalidade poética que era no período medieval, cantada e executada ao som de instrumentos musicais como a lira, daí a origem da expressão ‘lírico’, a qual provém do latim ‘lírico’ e quando se fala em cantigas de amigos vai mostra que o “amigo” é o amado, quando olhamos parte da letra percebemos a interpretação das cantigas de Martin códax e a forma  de que alguns elementos  representam o apego de uma mulher por seu amado então nota que essas cantigas podem ser consideradas apaixonantes.



pegando alguns versos podemos fazer algumas observações nas cantigas:

1

Se vistes meu amigo

o por que eu suspiro!

E ai Deus!,severrá cedo!

2
se me saberedes contar

porque tarda meu amigo.
sen min?



Percebe-se que a forma das canções está ligada diretamente ao “amor” de uma mulher por seu amado, que chegar a mostra no terceiro verso da música “1” que ela suspira por um amor que ela espera, e na segunda música mostra uma pergunta ao mar por que seu amado demora? Trazendo para os dias atuais uma mulher que tem uma esperança de encontra seu amado e nas cantigas se utiliza dos símbolos para mostra seu sofrimento de espera, o símbolo pode ser aqui o mar, a arte trovadoresca galego-portuguesa assume no entanto característica muito própria, nessa pesquisa encontrou um pequeno texto, que explica de forma mais ampla o significado de “cantigas de amigo e cantigas de amor chamado “Trovadorismo.” “”” “”” “”” “”” “”” “”” “”” “”” “”” “”” “”” “””


Profs.: Bartolomeu Amâncio da Silva e Leonardo Camposque diz:
. Era uma poesia ligada à música, composta pelos trovadores e cantada pelos jograis e soldadeiras, que se faziam acompanhar de instrumentos musicais (viola alaúde, flauta, gaita).

Por se destinar ao cantoà dança, obedecia a ritmos e recorrências sônicas de fácil execução e memorização. Daí a presença de Refrões ou estribilhos, e do paralelismo. Compreendia dois gêneros principais: o lírico (cantigas de amigo e de amor) e o satírico (cantigas de escárnio e de maldizer).

 

Cantigas de Amigo - O "eu-lírico" é feminino: o trovador expressa as emoções da mulher como se falasse por ela. Inspiram-se na vida popular, no cotidiano familiar e rural (pastoras, camponesas). São de estrutura simples apoiada no paralelismo, no refrão e na forma dialogada. Expressam uma visão mais realista do amor, colocado no plano terrestre dos desejos humanos e da sensualidade.

 

Cantigas de Amor - O trovador expressa as emoções do homem pela mulher amada. Originam-se da influência provençal, projetando o refinamento da vida da corte, o ideal do amor cortês.




Então percebemos a emoção da mulher em mostra suas emoções que chegam aos desejos humanos, uma pessoa que ama outra, o tema fundamental é o sofrimento por amor, às vezes a morte por amor ou não motivada normalmente pela ausência do 'amigo' as vezes apresentam-se forma em que se engana a mãe, ou se mostra alegre na chegada do amigo e outros ciúmes ou ansiedade...




























 O TROVADORISMO DE MARTIN CODAX E SUAS INFLUÊNCIAS DEIXADAS
.


A cultura portuguesa e a brasileira partilham inúmeras semelhanças entre si, como as quais determinam certos pontos de convergência. Seja por meio da literatura, dos costumes, da arte, da religião ou das tradições, elas sempre irão estabelecer um diálogo estreito de fim de resgatar a memória cultural, o legado histórico e muitas outras particularidades como tornaram tão próximas e ao mesmo tempo ritmos tão singulares e a partir dessas intersecções que se percebem em quais momentos essas culturas se inter-relacionam e como as razões desses pontos comuns.



 Dorival Caymmi, Cecilia Meirelles, Vinicius de morais, Tom Jobim, Mario de Andrade são pessoas que tiveram influência no trovadorismo,:Mário de Andrade possui alguns poemas que fazem uma ligação com as cantigas de amor de Martin Códex, Manuel Bandeira, um dos mais líricos poetas que traz uma poesia com emoção ele não só prendeu-se a criar novas cantigas que exalassem o amor como também repetiu, em muitos casos, a forma, o trovadorismo mostra a grande influência que tem principalmente em canções, é considerada a primeira manifestação literária de língua portuguesa e a que possui seu marco inicial na cantiga galaico-portuguesa..,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,.



Pode se dizer que essa influência medieval tem vida longa no Brasil pesquisando alguns artigos encontrei um intitulado de: Moralismo-Resquícios da Idade Média namúsica brasileira, MENDES, Lenira Pinto (UFF), que mostra uma afirmação que faz se pensar na influência medieval na música brasileira, ela  destacar um autor chamado VOVELLE, ele coloca que:


 “a cultura popular é provavelmente a expressão mais complexa, porém ao mesmo tempo mais forte, da resistência à mudança, sob a forma de aculturação imposta pelas elites.”


Essa afirmação parece se aplica a “literatura de cordel”, que se estabelece ligado ao trovadorismo, nessa pesquisa que faço não existe afirmação de que Martin códex se mostrar ser um nobre, pelo contrário o chamam de Jogral (de o provençal jogar, substantivação do adjetivo latino joculáris, e: 'divertido, burlesco, risível'), na lírica medieval, até o século X, era o artista profissional de origem popular - um vilão, ou seja, não pertencente à nobreza - que tanto atuava nas praças públicas, a “literatura de cordel” é bem-parecido a partir das observações, percebemos que essas cantigas conseguem resgatar a nossa memória cultural através da descrição do modo de vida simples, dos costumes e crenças e um eterno a amor pelo mar exemplo de Dorival Caymmi.



O nome Literatura de Cordel é derivado do fato de serem folhetos presos por um pequeno cordel ou barbante, em exposição nos lugares onde era  vendidos, descobrir também que esse tipo de literatura também marcou a cultura francesa, onde era chamada de literatura de colportage. Na Espanha, eram os “pelegos sueltos e em Portugal, “folhas volantes”

 

Pesquisando um pouco sobre o trovadorismo, fala que os trovadores iam aos castelos e cidades mostrando seus versos e suas cantigas, na “literatura de cordel” é parecido já que o autor sair para leva seus versos a outros lugares fazendo sua própria propaganda, lendo suas histórias e mostrando sua capacidade que esses autores têm, ele leva a leitura para o povo falam de temas religiosos, também falam de temas profanos, mitos, as lendas, e o uso de ironia ou sarcasmo para fazer críticas sociais ou políticas.



Conclusão..

Quando se estuda o período medieval você ficar encantado embora aqui não esteja estudando o período completo, mas cantigas da época, mas com estudos mais completo vai  mostra que  as cantigas de amigo tem uma expressão de simplicidade por que trás as alegrias, tristezas, ausência e a saudade, os desenganos da paixão amorosa tudo isto está junto e tem eco bem reconhecível nas cantigas e se faz uma aliança

 

Aqui meu estudo se baseia nas cantigas de Martin códax, cantigas essas que se mostram com várias formas de avaliação cabe a quem está trabalhando nelas relata, minhas interpretações das cantigas é que são trabalhadas em um direcionamento com uma direção plausível, nessa pesquisa é interessante às cantigas de Martin códax por que em algumas leituras as mostra como um das que mais trouxe edições individuais, pode ser devido à investigação em seu repertório musical...

 

As cantigas de Martin códex podem mostra diverso ponto de vista elas trazem para a pessoa que está conhecendo levanta um senso critico que se pode envolver na leitura e ouvindo as cantigas, não há como desconsidera as cantigas por que são cantigas que fala claramente a questão do amor e que envolve vários elementos importantes, a cidade de Vigo, o mar, a igreja, todos se entrelaçam e se envolve...

 

 

Pode-se dizer que são cantigas profanas galego-portuguesas, que como se nota trais elementos, elementos esses aquáticos, que às vezes trata-se de um confidente ou mediador pode ser uma perspectiva simbólica, não estou querendo ser repetitivo, mas o maior símbolo nas cantigas é o mar e no meu estudo aqui apresentado quer mostra que o mar não é como na Idade Médio apenas sinônimo de temor, mas de uma forte representação principalmente nas cantigas de Códax...

 

O que se pode nota também é a conciliação entre cantigas e poesia, Códax fez uma grande representação desses elementos e que o seu repertoria tornou-se riquíssimo e muito importante são as únicas cantigas neste estilo que foram encontradas com partituras de músicas intactas se percebemos bem essas cantigas conseguem resgatar a nossa memória cultural através da descrição do modo de vida simples, dos costumes e crenças daqueles que vivem no litoral brasileiro.

 

Às vezes não se percebe a beleza simples, poética que está presente nas cantigas, pois estamos distantes dessas produções poéticas por causa da leitura ao galego-português quando falo isso quero dizer que a linguagem se torna estranha ao leitor, mas ai que entra a “literatura de cordel” por que isso teve uma influência para se começa e deixou uma grande identidade para todos por que vai contar a vida simples, e se pode fala de um fato social do cotidiano do povo tornando assim as suas linguagens e representações cada vez mais singulares ao mundo.


















Bibliografia



ROCHA
,Janaína Marques Ferreira.O CANCIONEIRO CODACIANO E A PRODUÇÃO CULTURAL CONTEMPORÂNEA.2000

OLIVEIRA,Andreizavalério.O idade média e modernidade:a recepção critica e criativa das cantigas do mar de Vigo,São Paulo,2009.

O Oráculo da Música: Martin Codax, o segrel da Corte!

Martim Codax - Cantigas Medievais Galego-Portuguesas


ARAÚJO,Tatiane Santos de (Mestranda / UEFS)AS ONDAS DO MAR TIN VIGO: UMA PERSPECTIVA SIMBÓLICA DO ACERVO LITERÁRIO DE MARTIN CÓDEX

COSTA, Daniel Soares da – GEL,Descrição e análise do sistema consonantal do portuguêsarcaico no Pergaminho Vindel

 

 

Caixa de Recados

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

  • Sem comentários por enquanto!
 
 
 

café história acadêmico

Lançamento: A 13ª Edição da Revista Ars Histórica está no ar cheia de novidades. Nesta edição, os leitores encontrarão o dossiê "Império Português em Perspectiva: Sociedade, Cultura e Administração (XVI-XIX)" apresentado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Jucá, PPGHIS-UFRJ. Clique aqui para conferir na íntegra.

bibliografia comentada

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. cafehistoria@gmail.com

dicas de dezembro

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }