O Café História mudou de endereço, plataforma e identidade visual. Clique aqui para conhecer o novo Café História. Nós deixamos de ser uma rede social e somos agora um portal totalmente voltado para a divulgação de história. Nossa principal missão é divulgar o conhecimento histórico produzido nas universidades: para o grande público e para o meio acadêmico. Para entender melhor a mudança, clique aqui. E atenção: o antigo Café História (www.cafehistoria.ning.com) permanecerá online somente até o dia 2 de abril de 2017. Depois disso, todo o seu conteúdo será apagado, inclusive perfis e blogs. Tem algum conteúdo que você queira salvar e não sabe como? Nós temos uma sugestão. Clique aqui e leia o texto até o final. Esperamos contar com você como leitor do novo Café História!

Assine o novo Boletim Café História - receba em seu e-mail nossas novidades

Toda semana nós enviamos um e-mail com as novidades no campo da história e ciências humanas. Quer receber o nosso Boletim Café História? É bem fácil!

Semíramis libonati
  • Feminino
  • Belém, PA
  • Brasil
Compartilhar

Amigos de Semíramis libonati

  • Daniele Amarante
  • Otávio Alves Guimarães
  • Espartaco
  • LUCIANO HENRIQUE SANTOS CUNHA
  • Ivan Pereira Guedes
  • Paulo silva
  • Agnaldo Leite do Nascimento
  • RAIMUNDO LIMA
  • Gustavo Carvalho Correa
  • Joaes Alves
  • Carlos José Gomes Luz Reis
  • IDBAS DO AMARAL PANTOJA
  • Gustavo Ribeiro
  • SilêncioVozdaAlma.Poesia!
  • Noemi Funayama
 

Página de Semíramis libonati

Informações do Perfil

Sobre mim
Professor/Historiador/Pesquisador. Adoro escrever e fazer arte com as flores.
Eis o que me resume:
Nas rotas que tracei com verbos


Nas rotas que tracei com verbos.
A bússola apontava para o Norte dos meus sonhos.
Existir. Viver. Contrariar. Amar. Repousar.

Nas rotas que tracei com verbos.
A casualidade ou predestinação do existir foi meu leme.
De uma união íntima fui consubstanciada.

Nas rotas que tracei com verbos.
Prevaleci na persistência etérea dos dedos de Deus.
Vivi em singeleza e no caminho indivisível e
diáfano da existência.

Nas rotas que tracei com verbos.
Contestei os mapas. Ameacei os ventos.
Tranquei a tempestade nas nuvens.
Contrariei coordenadas,
mas me submeti à boa vontade da vida.

Nas rotas que tracei com verbos.
Esmerei-me no amor.
Meticulosamente amei em vulneráveis ascensões da alma.
Amei o ar, os beijos.
Dobrei os joelhos e minha insistência a ti contrariou.

Nas rotas que tracei com verbos.
A bússola apontava para o Norte dos meus sonhos.
Na existência de uma vida,
contrariei a morte e no amor está o meu repouso.
Atividade profissional
Historiador, Professor
Formação
Pós-Graduado (L.Sensu)
País
Brasil
Estado
PA
Cidade
Belém

Blog de Semíramis libonati

Ensinar História: vivendo o paradoxo da ordem e da desordem.

Postado em 11 março 2015 às 17:33 0 Comentários

 A História só tem significado se houver o valor prático! Interessante...todavia, um paradoxo. Para quem a historiografia dirigi-se? Se há uma Ordem Mundial estabelecida, os que são seus opositores, serão os agentes da desordem, do caos social. O que é ordem para um grupo, é desordem para outro. Pensemos na diversidade cultural e na apropriação que o historiador faz da cultura de um povo. Qual é a ótica para oficializá-la? A positiva ou a negativa, a dominante ou a dominada. Não há,…

Continuar

A História Vigiada

Postado em 13 fevereiro 2014 às 11:00 0 Comentários

Marc Ferro, historiador e autor do livro "A História Vigiada", aponta a História Institucional como a verdade que legitima o poder, as ideologias e a religião. Verdades construídas e interpretadas por uma pluralidade de vozes em tempos e espaços diferentes, mas que teimam em permanecer como imutáveis.

A escrita da História sedimenta os valores das camadas e grupos dominantes, sejam quais forem suas tendências ideológicas.  Para que ocorra a legitimação, necessitam de…

Continuar

LUTAS SOCIAIS NO PARÁ ENTRE 1820-1840: A Cabanagem.

Postado em 8 janeiro 2014 às 13:57 0 Comentários

 

                                                        

                         O Cabano Paraense. Pintura de Alfredo Norfini, 1940. Museu de Artes de Belém.

A análise dos movimentos nacionais no Brasil e no Pará…

Continuar

Caixa de Recados (5 comentários)

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Às 20:49 em 18 junho 2014, Alice e as Portas da Percepção disse...

Ola, Boa Noite Semíramis.Nem sei como lhe agradecer por tantas referencias sobre a Serra Pelada.MUitissimo Obrigada,Paz e Bem pra voce.

Às 22:25 em 12 outubro 2013, Paulo silva disse...
Ola
Às 22:38 em 2 abril 2013, Danny Liberato disse...

Claro!!! É sempre bom poder colaborar, principalmente pq tenho a sensação de que a tanta coisa sobre o Egito que ainda não é passado corretamente!!

Às 16:14 em 24 janeiro 2013, Marco Dannenberg disse...

Pra mim é uma honra sua amizade, pois acho suas intervenções nos fóruns excelentes, e tenho aprendido bastante com seus comentários.

Às 16:39 em 1 outubro 2012, Bruno Leal disse...

Salve, Semírames! Bom dia!

Queria parabeniza-la por suas ótimas intervenções em fóruns, blogs e grupos do Café História. É muito bom contar com a presença de colegas interessados no bom debate. Sinta-se em casa aqui na rede. Um grande abraço,

 
 
 

Boletim Café História

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }