Luiz Décio
  • Masculino
  • Santo Antônio de Jesus - Bahia
  • Brasil
Compartilhar Twitter
  • Blogs de Participantes
  • Tópicos (1)
  • Grupos (2)
  • Fotos
  • Álbuns de Fotos
  • Vídeos

Amigos de Luiz Décio

  • Kevin de La Tour
  • Isabela Pimentel
  • cristiane terleski
  • Taciane Sandri Anhaia
  • Katarina Macedo Cardoso Freitas
  • Nathalia Topini Lucas
  • Welligton Vivas dos Santos
  • Gizele Zanotto

Discussões de Luiz Décio

 

Página de Luiz Décio

Informações do Perfil

Sobre mim
Estudante de História da Universidade do Estado da Bahia (UNEB) - Dedico-me a estudar História das Religiões e gostaria de compartilhar saberes... Obrigado!
Atividade profissional
Estudante
Formação
Graduando
Cidade
Santo Antônio de Jesus

Um pequeno sonho meu!

O que é o PEP?
O PEP é um projeto que visa a introdução de uma matéria de Educação Politica dentro do Ensino Médio.
Qual o Objetivo?
O PEP objetiva instruir os nossos estudantes sobre como funciona os poderes administrativos em suas respectivas funções.
De que forma?
Será implantada uma matéria no Ensino Médio distribuída nos seus três anos de curso.
No 1º Ano a Matéria trabalhará com o poder Executivo e Legislativo Municipal, ou seja, durante todo o ano o professor iria instruir como funciona cada órgão administrativo e quais as suas funções, qual o papel do prefeito, qual o papel do vereador.
No 2º Ano a Matéria trabalhará com o poder administrativo estadual.
Por fim no 3º e último ano trabalhará com o poder federal.
Porque o PEP seria importante?
A lógica da vida se baseia em conhecimento, o conhecimento é poder, a falta do conhecimento trava a nossa sociedade que é muito participativa, porém ainda não sabe onde deve ou não buscar seus direitos. O PEP entende que por meio da informação poderíamos sanar ou minimizar muitos problemas, tais como: Corrupção, falta da participação popular na administração pública entre outros!
O PEP não seria um risco de se trabalhar legendas na sala de aula?
Não, pois o PEP não é dirigido a partido político e sim ao funcionamento do poder político, O que pode ou não pode fazer um prefeito? Qual a função dos vereadores? e etc.
Mas se por ventura o professor resolver usar de má fé e fazer campanha?
O PEP tem como arbitrariedade a participação da Câmara no conteúdo dado na sala de aula, e todo professor que for responsável pelo cargo será alertado do que pode ou não fazer, o mesmo será passado aos alunos.
Qual a possibilidade do PEP entrar em atividade?
Muito remota, pois o idealismo político brasileiro está baseado na velha política da ignorância, fomentada pela corrupção e alimentada pelo corromper!

Caixa de Recados (2 comentários)

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Às 12:31 em 2 outubro 2009, Katarina Macedo Cardoso Freitas disse...
No momento não curso nenhuma facudade não, mas pretendo ingreçar na UNEB Campus XIII, em Itaberaba-Ba, com o cuso de Letras.
Às 2:59 em 1 agosto 2009, Welligton Vivas dos Santos disse...
Obrigado, bom conhecimento para você também querido companheiro, abraços!!
 
 
 

Links Patrocinados

Cine História

Não pare na pista

Chega aos cinemas brasileiros o aguardado filme cinebiografia de Paulo Coelho, "Não pare na pista -  a melhor história de Paulo Coelho", dirigido por Daniel Augusto. 

Sinopse: Cinebiografia de Paulo Coelho, o filme se concentra em três momentos distintos da carreira do escritor: a juventude, nos anos 1960 (período em que é vivido pelo ator Ravel Andrade); a idade adulta, nos anos 1980 (Júlio Andrade); e a maturidade, em 2013, quando refaz o Caminho de Santiago (Júlio Andrade, maquiado). Usando como base depoimentos do próprio Paulo Coelho, a história perpassa os momentos mais marcantes da vida do autor, como os traumas, a relação com as drogas e a religião, sexualidade e a parceria com o músico Raul Seixas.

café história acadêmico

Ensino de História: Confira o artigo “A guerra das narrativas: debates e ilusões em torno do ensino de História”, da historiadora Christian Laville, da Universidade Lava, Quebec. Resumo: Em quase todas as partes do mundo, os programas escolares exigem que o ensino da história desenvolva nos alunos a autonomia intelectual e o pensamento crítico. Há muito tempo não se vê mais a missão de incutir nas consciências uma narrativa única glorificando a nação ou a comunidade. No entanto, quando o ensino da história é questionado nos debates públicos, é sempre com referência a esse tipo de narrativa: embora não fazendo mais parte dos programas, esse continua sendo o único objeto dos debates. Este artigo dá inúmeros exemplos atuais de tais debates, antes de concluir que são provavelmente vãos e que as pessoas se iludem sobre os efeitos reais da história ensinada. Alguns exemplos também são dados a esse respeito. Clique aqui para acessar.

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }