"Sem passado não podemos viver"

Informações do Perfil

Sobre mim
Formado em História pela Universidade Estadual de Santa Cruz em Ilhéus-BA. Apresentou a monografia: O Jogo Político Oligárquico em Itabuna na Primeira República (1889-1912). Pesquisa a Primeira República em Itabuna e a carreira do líder político itabunense Gileno Amado com foco na transição da Primeira República para "A Era Vargas". Foi estagiário no Museu Amélia Amado de 2011 a 2013, e atualmente é estagiário no Centro de Memória Teosópolis.
Atividade profissional
Historiador
Formação
Graduado
País
Brasil
Estado
Bahia
Cidade
Itabuna

Caixa de Recados (3 comentários)

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Às 21:05 em 7 agosto 2014, SERGIO ROBERTO disse...

Cristiano, me tire uma duvida:

Na República Velha (1889 - 1930) os trabalhadores das fazendas dos

"coronéis" não eram mais os antigos escravos que a lei da Abolição

libertou, mas sim camponeses, eles eram livres perante a lei, mas

na prática, sofriam varios abusos, como o voto de cabresto, minha

pergunta é:

Quem eram esses camponeses "livres" das fazendas dos "coronéis"

na República Velha:

1º os imigrantes europeus que vieram substituir os escravos ?

2º os ex escravos ?

3º gente daqui do Brasil mesmo ? (pessoas "brancas" e pobres

brasileiras...)

Quem eram eles ???

observação: no caso de serem os imigrantes europeus, eles

eram vítimas do voto de cabresto ??? eles sofriam ESSE A-

BUSO ESPECIFICAMENTE por parte do "coronel" ???

Abraço 

Às 11:51 em 2 agosto 2014, Bruno Leal disse...

Bom dia, Cristiano!

Quero agradecer a sua participação nos espaços de debate do Café História.

Obrigado por contribuir com o espaço! Sinta-se em casa por aqui.

Abraço e uma ótima semana para ti!

Às 21:22 em 16 julho 2014, Cristiano Santos Carmo disse...

http://rainhastragicas.com/ Ótima site passem por lá

 
 
 

Links Patrocinados

EVENTO EM DESTAQUE

Cine História

Saint Laurent

Acaba de chegar aos cinemas o filme "Saint Laurent", de 

Sinopse: Entre os anos 1967 e 1976, o estilista Yves Saint-Laurent (Gaspard Ulliel) reinou sozinho no mundo da alta costura francesa. Esta biografia mostra o seu processo criativo, as fotografias e entrevistas polêmicas, a relação com o marido e empresário Pierre Berger (Jérémie Renier), os casos amorosos extra-conjugais e a relação com o álcool e as drogas, que quase destruíram o império da marca YSL.O avô húngaro de Alex Levy Heller, diretor e roteirista deste documentário, teria escondido um relógio Patek Philippe com seu irmão mais velho antes de ser preso no campo de concentração de Auschwitz. Na busca por esse objeto, Alex faz duas viagens: Uma até a Polônia - atual Romênia e a Israel - usando o relógio como pretexto para descobrir mais sobre a história da sobrevivência de sua família. Na outra, ele entrevista sobreviventes do Holocausto que vieram morar no Brasil, resgatando as memórias dos sobreviventes desse período negro da história

café história acadêmico

Arte: Leia, na íntegra e gratuitamente, o livro “A Era de Caravaggio.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }