Cristiano Santos Carmo
  • Masculino
  • Itabuna - BA
  • Brasil
Compartilhar

Amigos de Cristiano Santos Carmo

  • Cairo Brunno
  • Rosemere Couto
  • Lorena Saraiva Lima
  • Lenize Natália Silva Neves
  • syandra s. almeida
  • Leonardo Stuepp
  • Cida Santos
  • José Anselmo Santos Goes
  • Lucimara Tóffano
  • Kaliana Oliveira da Hora
  • VI ENCONTRO DE HISTÓRIA-ANPUH-BA
  • Halysson Gomes Fonseca
  • MICHELLE MANSUR
  • Bruno Leal
 

"Sem passado não podemos viver"

Informações do Perfil

Sobre mim
Formado em História pela Universidade Estadual de Santa Cruz em Ilhéus-BA. Apresentou a monografia: O Jogo Político Oligárquico em Itabuna na Primeira República (1889-1912). Pesquisa a Primeira República em Itabuna e a carreira do líder político itabunense Gileno Amado com foco na transição da Primeira República para "A Era Vargas". Foi estagiário no Museu Amélia Amado de 2011 a 2013, e no Centro de Memória Teosópolis entre junho e dezembro de 2014.
Atividade profissional
Historiador
Formação
Graduado
País
Brasil
Estado
Bahia
Cidade
Itabuna

Caixa de Recados (3 comentários)

Você precisa ser um membro de Cafe Historia para adicionar comentários!

Entrar em Cafe Historia

Às 21:05 em 7 agosto 2014, SERGIO ROBERTO disse...

Cristiano, me tire uma duvida:

Na República Velha (1889 - 1930) os trabalhadores das fazendas dos

"coronéis" não eram mais os antigos escravos que a lei da Abolição

libertou, mas sim camponeses, eles eram livres perante a lei, mas

na prática, sofriam varios abusos, como o voto de cabresto, minha

pergunta é:

Quem eram esses camponeses "livres" das fazendas dos "coronéis"

na República Velha:

1º os imigrantes europeus que vieram substituir os escravos ?

2º os ex escravos ?

3º gente daqui do Brasil mesmo ? (pessoas "brancas" e pobres

brasileiras...)

Quem eram eles ???

observação: no caso de serem os imigrantes europeus, eles

eram vítimas do voto de cabresto ??? eles sofriam ESSE A-

BUSO ESPECIFICAMENTE por parte do "coronel" ???

Abraço 

Às 11:51 em 2 agosto 2014, Bruno Leal disse...

Bom dia, Cristiano!

Quero agradecer a sua participação nos espaços de debate do Café História.

Obrigado por contribuir com o espaço! Sinta-se em casa por aqui.

Abraço e uma ótima semana para ti!

Às 21:22 em 16 julho 2014, Cristiano Santos Carmo disse...

http://rainhastragicas.com/ Ótima site passem por lá

 
 
 

Links Patrocinados

EVENTO EM DESTAQUE

café história acadêmico

Período Regencial: Confira na íntegra o artigo "Revisitando o passado em tempos de crise: federalismo e memória no período regencial (1831-1840), de Luiz Geraldo Santos da Silva e Ariel Feldman. Clique aqui

Cine História

Ida

Premiado na última cerimônia do Osar, o polonês "Ida" é uma das mais interessantes produções atualmente em cartaz no Brasil.

Sinopse: A jovem noviça Anna (Agata Trzebuchowska) está pronta para prestar seus votos e se tornar freira, só que antes disso, por insistência da Madre Superiora (Halina  Skoczynska), vai visitar a única familiar restante: tia Wanda (Agata Kulesza), uma mulher cínica e mundana, defensora do Partido Comunista, que revela segredos sobre o seu passado. O nome real de Anna é Ida, e sua família era judia, capturada e morta pelos nazistas. Após essa revelação, as duas resolvem partir em uma jornada de autoconhecimento, para descobrir o real desfecho da história da família e onde cada uma delas pertence na sociedade.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2015   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }