Com esses grandes historiadores me alinho. Estudei e estudo História porque sempre amei a História, o conhecimento e a compreensão do passado humano, como e porque as pessoas fizeram o que fizeram, foram o que foram, pensaram o que pensaram. Esse conhecimento não tem nenhuma utilidade prática ou funcional para o nosso dia-a-dia. Esse conhecimento é simplesmente bom em si, porque é bom conhecer as coisas, é bom conhecer o que aconteceu, o passado, independente de sua utilização prática atual.”

 

citação de uma apostila da disciplina de introdução aos estudos históricos!

Exibições: 100

Respostas a este tópico

O estudo de História e similar ao aproveitamento que temos de viajar no tempo e buscar informaões que ficaram perdidos no passado e que hoje são resgatados por nos históriadores , esse e o nosso objetivo o resgate desses documentos que fazem parte do nosso cotidiano social , essa influ^encia toda e dinâmica aos nossos olhos olhos que vão em buscar de novos conhecimentos .
Claro Francisco, tive aulas com a atual reitora da Universidade Regional do Cariri - URCA e esta professora afirmava que quem fazia resgate era corpo de bombeiros não a história, percebo que temos a responsabilidade de conservar e preservar os documentos do passado, mas as interpretações não serão, por que o passado ja passou o que podemos ter apenas a interpretação e  esta interpretação tambem depende do historiador que está visualizando este passado.
Realmente quem faz resgate é o corpo de bombeiros, como disse a professora do João Paulo Flores Torres. As vezes não conseguimos ter em mente uma separação bem nítida sobre o que é o "passado" e o que é a "história". O passado é tudo aquilo que já passou, e está lá no passado. A história é o estudo deste passado, uma operação que o historiador faz. Passado e história são coisas diferentes. E como o passado está no passado, lugar bem localizado, nós, historiadores, não resgatamos nada.
Maldito Positivismo que aliena a cabeça das pessoas que veem a História baseada na vida de grandes homens e acontecimentos,enquanto não houver uma separação clara disso,teremos pensamentos como este!
Sim e num curso de graduação, onde vamos parar
Para que serve a História afinal? Alguns professores me disseram: "Para que conhecendo os erros do passado, não os repitamos no futuro". E qual o maior erro do passado? Nações buscando a hegemonia sobre o planeta. Em outras palavras, guerras. Então vimos a História das grandes nações do passado: Egito, Grécia, Roma, Mesopotâmia, Pérsia e vimos suas derrocadas. Estudamos tudo isso em qualquer parte do mundo na chamada História Universal. Os erros da civilização antiga não evitaram que a França, Portugal, Espanha, Inglaterra cometessem os mesmos erros. Também não evitaram que a Alemanha, a Itália e o Japão tentassem dominar o mundo. Derrotados nas suas ambições, seus erros não ensinaram a União Soviética e os Estados Unidos que o desejo de se sobrepor a todos leva ao enfraquecimento e à decadência. Então meus amigos, para que serve a História? Vejam bem, eu não estou dizendo que ela não serve. Eu quero que me digam: Para que serve a História afinal?
Esta afirmação de que a história não tem utilidade prática é interessante pois ela é recorrente. Maria Yedda Linhares também afirmou algo parecido: "Há quem diga que a história é a mestra da vida. A história não é mestra de coisa alguma, porque se fosse, o mundo não seria tão ruim como é. Se a história servisse para alguma coisa, os estadistas saberiam evitar os erros que cometem. Acho que a história não serve para nada." Mas depois em sua entrevista para a Estudos Históricos afirma que a história ajuda a entender o por quê as coisas são. É algo parecido com o que a Silvaniza Maria Vieira Ferrer indagou. E então, para que serve a história? O estudo da historiografia é útil pois revela, pelo menos, para que servia a história. Lá com Heródoto era para preservar os conhecimentos sobre as civilizações; no século XIX ela era para edificar um Estado nacional forte. Isto aconteceu tanto aqui no Brasil, com o IHGB, quando na Europa - como no caso da Alemanha, com a dita "escola metódica". Hoje em dia, em nosso tempo, a história serve, no mais das vezes, para acumular papel em bibliotecas. Estuda-se a história por um problema individual, que muitas vezes tem pouco a ver com mundo real extra-academia.

RSS

Links Patrocinados

Cine História

Sobrevivente

Chega aos cinemas o filme islandês "Sobrevivente", de Baltasar Kormákur. 

Sinopse: Durante o inverno de 1984, um barco pesqueiro naufraga no Atlântico Norte, nas proximidades da Islândia. Os tripulantes tentam sobreviver, mas as águas geladas impedem que essa tarefa seja facilmente concluída, restando apenas Gulli (Ólafur Darri Ólafsson), um homem bom, de fé, querido por todos, e com uma vontade de viver inacreditável. Após nadar por cerca de seis horas e enfrentar vários percalços, ele consegue contato com a civilização. Após a incrível experiência vivida, Gulli terá ainda que viver com a dor da perda dos amigos e, pior, a incredulidade de todos, que não entendem ele ter sobrevivido a uma situação tão extrema e insistem em fazer testes para saber como isso pode ter acontecido. Baseado em fatos reais.

documento histórico

Guerra do Paraguai: Prédios paraguaios após a Guerra do Paraguai s.l., [186-]. Arquivo Polidoro da Fonseca Quintanilha Jordão. Fonte: Arquivo Nacional

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }