Informação

Michel Foucault

Grupo voltado para o estudo das obras do francês Michel Foucault, em especial aquelas que estão mais diretamente a História. Seja bem-vindo!

Membros: 701
Última atividade: 28 Out

"Na História estamos preocupados com o que foi e com o que é; na Filosofia, por outro lado, estamos preocupados não com o que pertence exclusivamente ao passado ou mesmo ao futuro, mas com o que é, tanto agora como eternamente - isto é, com a Razão."

Fórum de discussão

Qual o livro do Focault mais importante atualmente?

Iniciado por Bruno Leal. Última resposta de Lúcio Emílio do Espírito Santo 19 Ago. 42 Respostas

Focault e o Marxismo

Iniciado por Bruno Leal. Última resposta de Lúcio Emílio do Espírito Santo 23 Ago. 17 Respostas

Foucault e o Anarquismo

Iniciado por Léo Antonio Perrucho Mittaraquis. Última resposta de Bruno Leal 20 Ago. 13 Respostas

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Michel Foucault para adicionar comentários!

Comentário de Márcio Alexandre Buchholz em 17 março 2009 às 15:24
Por diversas vezes vi algumas referências de alguns autores associando o pensamento de Foucault ao anarquismo. Recentemente tive contato com um texto chamado Foucault ou niislismo de Cátedra, onde o autor (agora não me lembro o nome) pontua no pensamento de Foucault uma espécie de anarquismo pós moderno, caracterizado por um certo anti- humanismo, ou seja, diferente do que era comum nos anarquistas classicos do século XIX. Gostaria portanto, de saber a opinião dos participantes. É possivel - mesmo que em determinados momentos Foucault tenha negado - estabelecer pontos de contato entre o anarquismo enquanto critica do poder e das instituições com o pensamento de Michel Foucault?
Comentário de C. L. Santos em 17 março 2009 às 13:43
Foucault é um simbolo do potencial histórico e filosófico; em sua obra "Microfísica do Poder", a densidade de suas enunciações são deveras complexas, requerendo dos pesquisadores um grau aprimorado das mentalidades, ou seja: problematizar a História, seja través das relações de poder, por meio das instituições, ou pelo estudo do imaginário, do mental, indica o quão os histpriadores podem e devem buscar aprofundamentos necessários para que o mundo social seja explicado, de diversas formas ^_^
Comentário de Maria Renata em 17 março 2009 às 9:20
Olá,

Gostaria de convidá-los a participar do Concursos, vagas e oportunidades de pesquisa, um grupo criado para divulgar as opções profissionais do historiador na atualidade.

Grata,

Maria Renata
Comentário de Maria Renata em 17 março 2009 às 9:19
Olá,

Gostaria de convidá-los a participar do Concursos, vagas e oportunidades de pesquisa, um grupo criado para divulgar as opções profissionais do historiador na atualidade.

Grata,

Maria Renata
Comentário de Gustavo Vilhena em 27 fevereiro 2009 às 15:13
Ler Foucault, como toda escolha teórica, é algo que deve ser praticado. Ele nos ensinou que não existe nada natural, que o mundo é a própria linguagem que o constitui, desnaturalizando os objetos seguros da História. Querendo ou não, temos que admitir a grandiosidade do seu trabalho.
Comentário de getulio miranda barbosa jr em 10 fevereiro 2009 às 7:52
PRA MIM A MAIOR OBRA DE FOUCAULT FOI O LIVRO AS PALAVRAS E AS COISAS DE 1966.MOSTRA QUANDO SURIGE O SUJEITO NA HISTÁORIA.
Comentário de Kell Dacosta em 14 janeiro 2009 às 9:56
Oi gente, agora estou por aqui também...

Saudações Libres a todxs !!!
Comentário de Carla Diranir Ferreira Menezes em 27 novembro 2008 às 19:06
Nào só como filosófo, assim como eu, mas também um curioso da história social. É dessa forma que encontramos a sua beleza.
Comentário de Aline cerqueira em 27 outubro 2008 às 8:06
Estudar os pensamentos de Foucault é analisar as posibilitades de mudança social.
Comentário de Seloé Pacheco em 28 setembro 2008 às 14:12
Caros Amigos
Adorei e achei interessante toda contribuição
Favor fazer comentário sobre minha colocação
Abraço
 

Membros (701)

 
 
 

Links Patrocinados

EVENTO EM DESTAQUE

Cine História

Saint Laurent

Acaba de chegar aos cinemas o filme "Saint Laurent", de 

Sinopse: Entre os anos 1967 e 1976, o estilista Yves Saint-Laurent (Gaspard Ulliel) reinou sozinho no mundo da alta costura francesa. Esta biografia mostra o seu processo criativo, as fotografias e entrevistas polêmicas, a relação com o marido e empresário Pierre Berger (Jérémie Renier), os casos amorosos extra-conjugais e a relação com o álcool e as drogas, que quase destruíram o império da marca YSL.O avô húngaro de Alex Levy Heller, diretor e roteirista deste documentário, teria escondido um relógio Patek Philippe com seu irmão mais velho antes de ser preso no campo de concentração de Auschwitz. Na busca por esse objeto, Alex faz duas viagens: Uma até a Polônia - atual Romênia e a Israel - usando o relógio como pretexto para descobrir mais sobre a história da sobrevivência de sua família. Na outra, ele entrevista sobreviventes do Holocausto que vieram morar no Brasil, resgatando as memórias dos sobreviventes desse período negro da história

café história acadêmico

Arte: Leia, na íntegra e gratuitamente, o livro “A Era de Caravaggio.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }