Lâmpeão, herói ou vilão?

Informação

Lâmpeão, herói ou vilão?

Membros: 17
Última atividade: 6 Dez, 2013

Fórum de discussão

Lampião, herói ou vilão?

Iniciado por Semíramis libonati. Última resposta de Semíramis libonati 28 Jan, 2013. 1 Resposta

Alguns  escritores afirmam ter sido Lampião uma espécie de Robin Hood da caatinga, alguém que atacava e roubava os fazendeiros em nome dos pobres. Entretanto, outros pesquisadores do cangaço não…Continuar

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Lâmpeão, herói ou vilão? para adicionar comentários!

Comentário de georgecarlos em 26 janeiro 2013 às 15:31

Na verdade Lampião era a serviço dos coroneis principalmente do coronel Zé Pereira.

Comentário de Semíramis libonati em 26 janeiro 2013 às 12:01

Vilão Que comete ou é dado a cometer maldades contra alguém

Herói: homem extraordinário pelos feitos guerreiros .

 Fonte: Dicionário Aurélio.

Comentário de Semíramis libonati em 26 janeiro 2013 às 11:54

A interdependência entre o indivíduo e o meio social está diretamente relacionada à história de vida do indivíduo, sua biografia, e a sociedade que está inserido. Cada pessoa tem experiências biológicas, psicossociais, uma biografia própria que a tornam distinta das demais na sua atuação cotidiana que são as diferenças individuais. Há, também, uma outra dimensão como a família, escola, igreja, trabalho que a torna ligada às outras pessoas, ocorrendo através do processo de socialização, onde a mesma assimila a maneira de pensar, sentir e agir do grupo e da sociedade em que faz parte. Neste processo, o indivíduo recebe a cultura como parte da herança social que se inicia quando nasce e só termina quando morre e, que por sua vez, pode introduzir mudanças que serão transmitidas às gerações futuras.

Quando se estuda a interdependência entre indivíduo e sociedade, sempre surge a discussão, sobre a construção e presença dos herois, dos grandes homens e da ação deles na história como mecanismo de sustentação dos grupos sociais, ajudando a definir padrões de comportamento e papéis sociais ideais que constituem umas das funções das instituições educacionais. Portanto, os herois são tipos positivamente sancionados de personalidade que os sujeitos sociais são levados a copiar e que contribuem para o processo de socialização. Para Dias (2000, p. 69) “os heróis são os símbolos sociais mais expressivos, apresentando traços de personalidade que se quer imitar”. O heroi é sempre um exemplo a ser seguido.

Conforme, Dias (2000, p. 69)

As diferentes nações procuram destacar nos seus livros de história aqueles heróis que apresentam os traços mais importantes para a formação da personalidade normal naquela cultura. Deste modo a França fortalece a imagem de Joana D’arc, porque foi uma heroína que se afirmou na luta contra os antepassados dos atuais ingleses [...]. No Brasil, Tiradentes é cultuado nas escolas como herói na luta contra o domínio português [...]. Outras personalidades históricas poderiam ser destacadas como heróis nacionais, mas a escolha é realizada em função de interesses determinados, que procuram escolher aqueles que representam os traços que se quer impor as novas gerações [...]

Desta feita, os símbolos sociais, herois, contribuem para valorização e perpetuação de determinado sistema; podem ser manipulados, criados e servirem para que determinado grupo social dominante imponha seus valores e ideias aos demais.

No Brasil, de uns tempos para cá, os herois estão todos em xeque. Não os personagens em si, mas a forma como são rememorados. As produções didáticas recentes, inspiradas nas propostas dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN/MEC, 1997) e na literatura acadêmica contemporânea, procuram trabalhar com os alunos a ideia de como os herois e mitos são historicamente construídos (RIBEIRO, 2008)

 

Comentário de Antonio Cancela em 25 janeiro 2013 às 21:19

Concordo com Carlos!

Ele matou, estuprou, roubou e pintou o sete. Ainda existe pessoas que tenta colocar ele como herói, assim e difícil.

Comentário de Semíramis libonati em 25 janeiro 2013 às 20:59

 Carlos. Podes justificar tua afirmativa, essa tua certeza?

Comentário de Carlos em 23 janeiro 2013 às 14:47

bANDIDO, COM CERTEZA!

 

Membros (16)

 
 
 

Links Patrocinados

documento histórico

Versão digitalizada do decreto que aboliu a escravatura no Brasil, dando origem à Lei Áurea. O documento é assinado pela Princesa Imperial Regente Isabel, pelos senadores Primeiro Vice-Presidente Antônio Candido da Cruz Machado, Primeiro Secretário Barão de Mamanguape e pelo Segundo Secretário do Joaquim Floriano de Godoi. O manuscrito original faz parte do acervo do Arquivo do Senado Federal. Faça aqui o download em alta resolução desta importante peça da História do Brasil: http://goo.gl/ewCcee

Conteúdo da semana

Depoimento do coronel reformado do Exército, Paulo Malhães, ex-agente do Centro de Informação do Exército, que atuou em diversas missões de extermínio de opositores da ditadura e também na Casa da Morte. No depoimento, ele admite tortura, mortes, ocultações de cadáveres e mutilações de corpos.

Cine História

Cortinas Fechadas

Chega aos cinemas brasileiros o drama iraniano dirigido por Kambolza Partovi e Jafar Panahi, “Cortinas Fechadas”.

Sinopse: Vivendo em prisão domiciliar após ter sido condenado pela justiça iraniana, sob a acusação de denegrir a imagem do governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad com seus filmes, o cineasta Jafar Panahi tem seu cotidiano apresentado neste filme.

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. Teremos o prazer em ajuda-lo(a):

Nosso email: cafehistoria@gmail.com

Parceria: NIEJ-UFRJ

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }