Filme "O nome da rosa" baseada no romance policial homônimo escrito por Umberto Eco.

Recentemente assisti a película em questão e pude então me deparar com uma problemática característica da Baixa Idade Média, a saber: o embate entre a crença no sobrenatural (carcateristica da predominância da Igreja Católica) e o pensamento lógico e dedutivo (característica do pensamento filosófico grego). Nota-se, portanto, que a igreja sempre foi responsável por impedir o avanço científico e filosófico, vetando o acesso às obras de Aristóteles e demais pensadores que poderiam colocar em questionamento suas verdades pré-estabelecidas. Vejo que o mesmo ocorre até hoje quando o Vaticano condena o aborto, uso da pilula anticoncepcional, pesquisas relacionadas a células- tronco etc. Gostaria de saber se alguem compartilhar dessa interpretação ou discorda.

Exibições: 1498

Respostas a este tópico

Ou não. Não sei se vale a pena naturalizar esse tipo de pensamento. Quando a religião se relaciona ao status quo, talvez; em outros casos, acho que ela até pode agir dessa maneira, mas não sempre.

SUGIRO AOS COLEGAS EFETUREM ALGUMAS LEITURAS QUE PODERÃO ESCLARECER, TALVEZ O SUFUCIENTE SOBRE A HISTÓRIA DA IDADE MÉDIA E CONSEQUENTEMENTE DA IGREJA CATÓLICA:

IGREJA CATÓLICA CONSTRUTORA DA CIVILIZAÇÃO - THOMAS WOODS

A MULHER NO TEMPO DAS CATEDRAIS E I MITO DA IDADE MÉDIA - REGINE PERNOUD

LENDO TAIS FONTES PODERÃO PERCEBER QUE A IDEOLOGIA FALIDA MARXISTA ESTÁ TOTALMENTE EQUIVOCADA

Mas é preciso considerar todas as perspectivas, não Rogério?

Realmente o que o filme baseado no filme de Umberto Eco mostra quando retrata a realidade da Igreja na Europa Inquisitorial, para a atual com o Vaticano, é que a Igreja sempre quer de alguma maneira ainda interferir em assuntos polêmicos, para não de uso da fé, mas de uso da influência para mostrar poder.
E quando a religião serviu para empoderar grupos até então fora do jogo de poder em determinadas sociedades?
Concordo plenamente...
Se na Idade Média e até pouco tempo atrás a Igreja Católica sempre fez de tudo para dominar e brigar por pelo poder, não da fé, mas da econômia e da politicas, se foi assim no passado, imagine hoje com a Igreja Evangélica IURD, que faz algo muito parecido com que a Católica fez no passado, usa da fé para também brigar pelo poder.

concordo... e vou além...a própria manipulação da arte plástica, escrita e oral como insignia de domínio sobre aqueles que não tinham acesso a instrução. Era também pelo visual que a Igreja determinava comportamentos, tais como o pecado da beleza e ostentação, quando na realidade ela própria usufruía disso em nome de Deus e somente a mesma deveria ter o domínio...o filme e forte e muito mais revelador, revejam, e ele dará novas pistas sobre o pensamento medieval e sua estética artística manipuladora.

RSS

Links Patrocinados

EVENTO EM DESTAQUE

Cine História

Saint Laurent

Acaba de chegar aos cinemas o filme "Saint Laurent", de 

Sinopse: Entre os anos 1967 e 1976, o estilista Yves Saint-Laurent (Gaspard Ulliel) reinou sozinho no mundo da alta costura francesa. Esta biografia mostra o seu processo criativo, as fotografias e entrevistas polêmicas, a relação com o marido e empresário Pierre Berger (Jérémie Renier), os casos amorosos extra-conjugais e a relação com o álcool e as drogas, que quase destruíram o império da marca YSL.O avô húngaro de Alex Levy Heller, diretor e roteirista deste documentário, teria escondido um relógio Patek Philippe com seu irmão mais velho antes de ser preso no campo de concentração de Auschwitz. Na busca por esse objeto, Alex faz duas viagens: Uma até a Polônia - atual Romênia e a Israel - usando o relógio como pretexto para descobrir mais sobre a história da sobrevivência de sua família. Na outra, ele entrevista sobreviventes do Holocausto que vieram morar no Brasil, resgatando as memórias dos sobreviventes desse período negro da história

café história acadêmico

Arte: Leia, na íntegra e gratuitamente, o livro “A Era de Caravaggio.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }