A Igreja Católica é bem antes de Constantimo segundo documentos e não foi fundada em 325 d.C

Jesus disse: “Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja , e as portas do inferno não prevalecerão contra ela;” (Mt 16,18).

Logo nos inícios da Igreja, os seguidores de Cristo foram designados com o nome de cristãos. Assim podiam distinguir-se dos filósofos pagãos e dos judeus ou seguidores da sinagoga. Este nome de cristãos como se sabe, já vem na própria Bíblia, e tal denominação começou em Antioquia: “em Antioquia é que foram os discípulos denominados CRISTÃOS, pela primeira vez” (At 11, 26), “Então Agripa disse a Paulo: Por pouco me não persuade a fazer-me CRISTÃO” (At 26, 28). “Se padece como CRISTÃO, não se envergonhe; mas glorifique a Deus neste nome” (1Pd 4, 16).

Aconteceu, porém que, tão logo a Igreja começou a propagar-se, começaram a aparecer os hereges, seguindo doutrinas diversas daquela que tinha sido recebida dos Apóstolos, mas tomando o nome de cristãos, pois também criam em Cristo e d’Ele se diziam discípulos. Era preciso, portanto, um novo nome para designar a verdadeira Igreja, distinguindo-a dos hereges. E desde tempos antiqüíssimos, desde os tempos dos Apóstolos, a Igreja começou a ser designada como IGREJA CATÓLICA, isto é, UNIVERSAL, a Igreja que está espalhada por toda a parte, para diferençá-la dos hereges, pertencentes às igrejinhas isoladas que existiam aqui e acolá.

70 a 107 d.C.
1. Já Santo Inácio de Antioquia, que foi contemporâneo dos Apóstolos, pois nasceu mais ou menos no ano 35 da era cristã e, segundo Eusébio de Cesaréia no seu Chrónicon, foi bispo de Antioquia, entre os anos 70 e 107, já Santo Inácio nos fala abertamente da Igreja Católica, na sua Epístola aos Esmirnenses: “Onde comparecer o Bispo, aí esteja a multidão, do mesmo modo que, onde estiver Jesus Cristo, aí está a IGREJA CATÓLICA” (Epístola aos Esmirnenses c 8, 2).

2. Outro contemporâneo dos Apóstolos foi São Policarpo, bispo de Esmirna, que nasceu no ano 69 e foi discípulo de São João Evangelista. Quando São Policarpo recebeu a palma do martírio, a Igreja de Esmirna escreveu uma carta que é assim endereçada: “A Igreja de Deus que peregrina em Esmirna à Igreja de Deus que peregrina em Filomélio e a todas as paróquias da IGREJA SANTA E CATÓLICA em todo o mundo”. Nessa mesma Epístola se fala de uma oração feita por São Policarpo, na qual ele “fez menção de todos quantos em sua vida tiveram trato com ele, pequenos e grandes, ilustres e humildes, e especialmente de toda a IGREJA CATÓLICA, espalhada por toda a terra” (c. 8).

2º Século d. C.
3. O Fragmento Muratoriano que é uma lista feita no segundo século, dos livros do Cânon do Novo Testamento fala em livros apócrifos que “não podem ser recebidos na IGREJA CATÓLICA”.

4. São Clemente de Alexandria (também do século segundo) responde à objeção dos infiéis que perguntam: “como se pode crer, se há tanta divergência de heresias, e assim a própria verdade nos distrai e fatiga, pois outros estabelecem outros dogmas?” Depois de mostrar vários sinais pelos quais se distingue das heresias a verdadeira Igreja, assim conclui São Clemente: “Não só pela essência, mas também pela opinião, pelo princípio pela excelência, só há uma Igreja antiga e é a IGREJA CATÓLICA. Das heresias, umas se chamam pelo nome de um homem, como as que são chamadas por Valentino, Marcião e Basílides; outras, pelo lugar donde vieram, como os Peráticos; outras do povo, como a heresia dos Frígios; outras, de alguma operação, como os Encratistas; outras, de seus próprios ensino, como os Docetas e Hematistas“. (Stromata 1.7. c. 15).

3º Século d.C em diante.
5. São Cipriano em 249, antes de Constantino nascer, e antes do Concílio de Nicéia, testemunhava: “Estar em comunhão com o Papa é estar em comunhão com a Igreja Católica.” (Epist. 55, n.1, Hartel, 614);
“E não há para os fiéis outra casa senão a Igreja Católica.” (Sobre a unidade da Igreja, cap. 4);
“Roma é a matriz e o trono da Igreja Católica.” (Epist. 48, n.3, Hartel, 607).

6. No século III, Firmiliano, bispo de Capadócia, diz assim: “Há uma só esposa de Cristo que é a IGREJA CATÓLICA” (Ep. De Firmiliano nº 14).

7. São Frutuoso, martirizado no ano 259, diz: “é necessário que eu tenha em mente a IGREJA CATÓLICA, difundida desde o Oriente até o Ocidente”. (Ruinart. Acta martyrum pág 192 nº 3).

Exibições: 1515

Respostas a este tópico

Sucessão apostólica segundo o bispo católico Irineu de Lyon (180 d.C)

 

 

“… COM ESTA COMUNIDADE, DE FATO, DADA Á SUA AUTORIDADE SUPERIOR, É NECESSÁRIO QUE ESTEJA DE ACORDO TODA TODA COMUNIDADE, ISTO É, OS FIÉIS DO MUNDO INTEIRO; nela sempre foi conservada a tradição dos apóstolos. [...] [Pedro e Paulo] confiaram a Lino o ministério do episcopado. [...] A Lino sucedeu Anacleto. A seguir, Clemente; Clemente vira os apóstolos, conversara com eles e ainda tinha ouvido sua pregação. [...] A Clemente sucedeu Evaristo, e a Evaristo, [sucedeu] Alexandre. Depois, em sexto lugar após os apóstolos, veio Xisto… ” (Ireneu de Lião, Contra as Heresias III,3,2-3).

 

Então foram eles os bispos de Roma:

 Pedro e Paulo

Lino

Anacleto

 Clemente

Evaristo

Alexandre

1 – A MENTIRA 

“… Em 312 d.C o Imperador Romano Constantino I adotou a religião Cristã e no ano seguinte fez do Cristianismo a religião oficial do Império Romano, trazendo para dentro da Igreja multidões de pessoas não convertidas, que para se tornarem ‘agradáveis’ ao ESTADO [ao Governo do Imperador] faziam-se cristãos nominais, agindo como atores, sem experimentarem a genuína conversão por CRISTO…”

Esta mentira é compartilhada pelo espírita Roberto P. C. Júnior que diz:

“Na verdade, Constantino observara a coragem e determinação dos mártires cristãos durante as perseguições promovidas por Diocleciano, em 303. Sabia que, embora ainda fossem minoritários ( 10% da população do império ), os cristãos se concentravam nos grandes centros urbanos, principalmente em território inimigo. Foi uma jogada de mestre, do ponto de vista estratégico, fazer do Cristianismo a Religião Oficial do Império… “

 

A VERDADE

3.1 – CONSIDERAÇÕES LÓGICAS: – Que alguém se tenha convertido apenas para agradar ao imperador, por certo aconteceu como até nos dias de hoje ainda acontece e casos semelhantes não faltam nos acontecimentos históricos recentes (exemplo: judeus marranos e muçulmanos). Mas, a partir daí, acreditar que a Igreja caiu na heresia é um atentado contra o bom senso.

O Articulista se aventura em buscar o “desvio” da Igreja já no tempo em que ainda vivia o último apóstolo São João Batista confundindo os vícios das pessoas como sendo vícios da Igreja.

Ora esta tendência de alguns dos membros da Igreja para a heresia como todo tipo dos demais pecados é próprio da natureza humana decaída pelo primeiro pecado.

Fosse assim, deveríamos ver desvio da Igreja a partir da existência dos primeiros judaizantes o que motivou a ocorrência do primeiro concílio da Igreja em Jerusalém.
Devo esclarecer que a Igreja jamais se corrompe permanecendo sempre fiel e pura. Alguns membros, porém, podem apodrecer e, como acontece com a fruta podre, acaba caindo, separando-se do todo que é o Corpo de Cristo.

A reunião de todos esses frutos podres é que chamamos de grupos heréticos que são um subproduto do cristianismo e de todas as religiões do planeta.

3.2 – PROVAS DOCUMENTAIS – A mentira do impostor, além das muitas bobagens que afirmou acima, consiste em asseverar que “NO ANO SEGUINTE” (314 d.C.) a fé católica foi declarada oficial.

I – Tal mentira é refutada pelos próprios sites protestantes entre os quais este que diz claramente que em

380, pelo “Édito de Tessalônica: Teodósio torna o cristianismo religião oficial”

http://paginas.terra.com.br/educacao/histigreja/

II – É desmentida também pela própria história relatada aqui na WIKIPÉDIA:

“Teodósio foi educado numa família cristã. Ele foi batizado em 380 d.C., durante uma doença severa, como era comum nos tempos dos primeiros cristãos. Em fevereiro desse mesmo ano, ele e Graciano fizeram publicar um édito deliberando que todos os seus súditos deveriam seguir a fé dos Bispos de Roma e de Alexandria (Código de Teodósio, XVI,I,2). A lei reconhecia quer a primazia daquelas duas instâncias quer a problemática teológica de muitos dos patriarcas de Constantinopla, que porque estavam sob a observação dos imperadores eram por vezes depostos e substituídos por sucessores teologicamente mais maleáveis. Teodósio foi educado numa família cristã. Ele foi batizado em 380 d.C., durante uma doença severa, como era comum nos tempos dos primeiros cristãos. Em fevereiro desse mesmo ano, ele e Graciano fizeram publicar um édito deliberando que todos os seus súditos deveriam seguir a fé dos Bispos de Roma e de Alexandria (Código de Teodósio, XVI,I,2).

A lei reconhecia quer a primazia daquelas duas instâncias quer a problemática teológica de muitos dos patriarcas de Constantinopla, que porque estavam sob a observação dos imperadores eram por vezes depostos e substituídos por sucessores teologicamente mais maleáveis”

http://pt.wikipedia.org/wiki/Teod%C3%B3sio_I

III – “AVENTURAS NA HISÓRIA – PARA VIAJAR NO TEMPO” :

“… Durante o domínio do imperador Teodósio, em 380, o cristianismo foi anunciado como religião oficial do Império Romano, fazendo com que, 13 anos depois…”

Saiba por quem e como, teve origem a velha mentira protestante que propaga que as doutrinas da Igreja Católica tiveram origem no paganismo.

 

Em 1853, o mal intencionado pastor protestante Alexander Hislop, escreveu um fantasioso livro intitulado “As Duas Babilônias”, forjado com mera intenção de atacar a Igreja Católica, querendo relacioná-la ao paganismo, para incutir na cabeça dos que ele enganava, que havia uma Babilônia no passado e outra hoje que seria a Igreja Católica.

Baseando-se nas lorotas do aleivoso pastor Hislop, o protestante, Ralph E. Woodrow escreveu outro livro, o “Babilônia, a Religião de Mistério”, e logo todos os embustes dos dois livros foram levados para dentro das seitas protestantes para enganar os indoutos protestantes, ávidos por razões para odiarem a Santa Igreja Católica.

Acontece que Ralph E. Woodrow fez um estudo e concluiu que tudo o que estava no livro de Alexander Hislop é ficção sensacionalista, mentira fraudulenta, relacionamentos falsos. Então Ralph E. Woodrow para corrigir os erros cometidos no seu livro, escreve um outro livro com o nome de “A Babylon Connection?”. Woodrow tornou-se agora um crítico das fantasiosas teorias “pagãs” do mentiroso pastor Hislop. Confirme: http://translate.google.com/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http...

Woodrow no link acima, afirma que não há auto-respeito evangélico, e que em 1998 encontrou o mentiroso livro do pastor Hislop à venda em uma loja de livros evangélicos altamente reputados. Informa também que em novembro de 2005, quando fez uma pesquisa no Google por “As Duas Babilônias” de Alexander Hislop, as primeiras 15 páginas que surgiram foram esmagadoramente a favor da posição da Hislop, e conclui: “…Na verdade, talvez ingenuamente, ainda hoje muitos ainda se agarram a cada (geralmente errada) palavra de Hislop.”

Como vemos, o pai da mentira continua dando as cartas no protestantismo.

PROVAS DA DESONESTIDADE PROTESTANTE

Conheça agora as lorotas forjadas pelo “pastor” Alexander Hislop que continuam enganando “evangélicos” desavisados no Brasil, através do CACP, no link: http://www.cpr.org.br/duas_babilonias.htm as lorotas seguem em vermelho, seguidas da nossa refutação em preto.

“Uma das características mais acentuadas do Catolicismo Romano é o sistema sacerdotal (padres, bispos, papas) que não se encontra de modo algum nas Escrituras Sagradas do Novo Testamento”.

Resposta: A afirmação é mentirosa considerando que no Novo Testamento vemos:

1) – PRESBÍTEROS (PADRES, SACERDOTES – Sacerdócio comum e ministerial)

(I Timóteo 5,17)
Os PRESBÍTEROS que desempenham bem o encargo de presidir sejam honrados com dupla remuneração, principalmente os que trabalham na pregação e no ensino.

(I Timóteo 5,19)
Não recebas acusação contra um PRESBÍTERO, senão por duas ou três testemunhas.

(São Tiago 5,14)
Está alguém enfermo? Chame os sacerdotes da Igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do Senhor.
(Sacerdócio Ministerial)

(Apocalipse 1,6)
e que fez de nós um reino de sacerdotes para Deus e seu Pai, glória e poder pelos séculos dos séculos! Amém. (Sacerdócio comum)

2) – BISPOS:

(Atos dos Apóstolos 20,28)
Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o seu próprio sangue.

(Filipenses 1,1)
Paulo e Timóteo, servos de Jesus Cristo, a todos os santos em Jesus Cristo, que se acham em Filipos, juntamente com os bispos e diáconos…

(I Timóteo 3,2)
Porque o bispo tem o dever de ser irrepreensível, casado uma só vez, sóbrio, prudente, regrado no seu proceder, hospitaleiro, capaz de ensinar.

(Tito 1,7)
Porquanto é mister que o bispo seja irrepreensível, como administrador que é posto por Deus. Não arrogante, nem colérico, nem intemperante, nem violento, nem cobiçoso.

(I Timóteo 3,1)
Eis uma coisa certa: quem aspira ao episcopado, saiba que está desejando uma função sublime.

3 – PAPA
São Pedro chamava Marcos de “Meu filho Marcos” sem ter ligação carnal com aquele. É natural que Marcos o tratasse por “Pai” (Papa) espiritual (1Pd 5,13).
Na Enciclopédia Compacta da revista “Isto é”, pág. 259, tópico Igreja Católica, lemos: [“Roma foi a única Igreja ocidental fundada por um apóstolo (São Pedro). Da Irlanda aos Cárpatos, os cristãos passaram a reconhecer o bispo de Roma como o Papa (do latim vulgar papa, “pai”)]. (colaboração de Oswaldo Garcia).

“Quando a Igreja se corrompeu sob o governo de Constantino, as coisas foram mudando, porque não se exigia conversão para o batismo, mas apenas o batismo (obrigatório) de qualquer um”.

Resposta: A Igreja não se corrompeu coisa nenhuma e Constantino nunca teve governo sobre a Igreja, apenas parou de perseguir os cristãos em respeito a conversão de sua mãe, Santa Helena. Ele mesmo continuou pagão até o último dia de sua vida, sendo batizado não no catolicismo, mas entre os hereges arianos.

“Após a morte, o católico obrigatoriamente vai passar uma boa temporada (de veraneio) no Purgatório, a fim de purgar os seus pecados; até mesmo por ali passam os papas que dão indulgências para garantir a salvação dos membros da Igreja Mãe e, contudo, não se livram do purgatório… Notaram a contradição? Como é possível que o “Santo Padre”, que se intitula o Vice de Jesus Cristo, ou seja, o Seu Vigário na terra, tenha de passar pelo purgatório?”

Resposta: Sobrou sofisma e faltou conhecimento da verdade. Só os salvos passarão pelo purgatório, só os salvos precisam de purificação, sejam Papas ou leigos. No céu nada entra impuro. Está demonstrado na Bíblia que alguns serão salvos pelo fogo (1Co 3,15); que cada um será salgado com fogo (Mc 9,49); no Livro de Malaquias vemos a purgação dos que caminham para a salvação: (Malaquias 3, 2- 4) “Mas quem suportará o dia da sua vinda? E quem subsistirá, quando ele aparecer? Porque ele será como o fogo do ouvires e como o sabão dos lavadeiros. E assentar-se-á, afinando e purificando a prata; e purificará os filhos de Levi e os afinará como ouro e como a prata; então, ao Senhor trarão ofertas em justiça. E a oferta de Judá e de Jerusalém será suave ao Senhor, como nos dias antigos e como nos primeiros anos”. Isso prova que, quem quer ser salvo, terá que ser purgado, e purgado no fogo, queira ou não, pois Jesus já apareceu. (conf. bíblia de João Ferreira)

“Lá na capital da Torre de Babel, Nimrode e sua mãe/amante Semíramis iniciaram a religião de mistérios, que se rebelava contra o Criador, (…)”

Resposta: Semiramis viveu séculos depois de Nimrode, e nem poderia ter sido sua mãe, ou amante. Muito menos ter iniciado qualquer religião juntos. Como consta na “louvável honestidade intelectual de Ralph Woodrow” no link: http://translate.google.com/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http...

“Os membros da religião egípcia comiam o seu deus para dele colherem a força e a luz, daí a origem do “deus hóstia” do Catolicismo.”

Resposta: Puro embuste do articulista. Ele simplesmente omite que o próprio maná redondo foi dado por Deus (Exodo 16,14). Seria Deus pagão?

“Até as iniciais “IHS” foram copiadas do paganismo, pois o significado delas é “Isis, Horus, Seb”, três deuses que vinham logo abaixo do deus Sol. O Catolicismo adaptou essa sigla, inventando para ela uma nova significação: “Iesus, Homo Sanctus””.

Resposta: Na realidade, as iniciais “IHS”, são uma abreviatura de Ihsous, o latim ortografia de Jesus, em nome do Grego (Ιησους), embora popularmente, podem contar para o latim Iesus Hominum Salvator sentido de Jesus, Salvador da humanidade (que também se enquadra ao ensino da transubstanciação, onde o pão e vinho são ditas para se tornar o corpo e o sangue de Cristo). “( Fonte: Wikipédia artigo, Alexander Hislop. http://en.wikipedia.org/wiki/Alexander_Hislop) *(link temporariamente com problema).

“Quase todos os usos e costumes da “santa madre” foram copiados do paganismo babilônico, segundo o erudito Alexander Hislop, em seu livro “The Two Babylons”, em nova edição lançada nos Estados Unidos, em 2002, (…)”

Resposta: Pondo fim ao festival de lorotas do falso erudito Hislop, que aqui faz uso de suas quimeras o CACP, dizia Ralph Woodrow:
“Pode-se ir a qualquer biblioteca, consulte qualquer livro sobre a história antiga Babilônia, nenhuma destas coisas vão ser encontradas”. Para ver esta informação, clique na palavra linkada “AQUI” do endereço: http://translate.google.com/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=http...

E pensar que estas calúnias caducas, depois de 154 anos foram novamente atualizadas pela famigerada Mary Schultze, em 07/04/2007 no site protestante CACP.

Viva a mentira!!! Viva o protestantismo!!!

Olá Rogério, eu gostaria muito saber o motivo real pelo qual os romanos crucificaram a Jesus, e depois se tornaram adeptos a seus seguidores, estranhos esses, não ?

Prezado amigo, rogério Fernandes!

como eu já falei LIVRO DE PAPA NÃO VALE. estes livros não servem como fonte de pesquisa histórica, pois tendem a ser cheio de informações inveridicas e sem nenhuma conotação da história das civilizações e demais religiões.

quando JESUS falou "ÉS PEDRO E SOBRE TI EDIFICAREI MINHA IGREJA", ele não falou diretamente que estava criando o catolicismo, pois o contexto conotativo da frase se baseia na edificação moral do homem, pois a palavra IGREJA está no sentido de formação moral e espiritual. JESUS  sempre foi contra o proselitismo e propaganda das religiões, apesar de não fazer coro contra os religiosos que  lhe procuravam.

assim, também posso dizer que JESUS falou da criação da UMBANDA, pois se o próprio JESUS fazia cura espirituais, usava ervas para purificar o ambiente (defumadores), curava lunático nos cemitérios da época, afastava espíritos obsessores, portanto fazia tudo que os umbandistas sérios e comprometidos com a espiritualidade fazem nos dias atuais, posso dizer que ele orientou a seus discípulos a fazerem estas curas também.

o CANON ou  livro canônico que voce se refere, é apenas um livro que trata das regras, dogmas e preceitos de sua religião e foi criado sim nas discussão do concilio de Nicéia em 325 dc, estabelecendo regras de conduta dos católicos e de seus lideres.

Outro ponto importante que voce fala são dos livros, quando se trata de reconhecer MARIA MADALENA , como a verdadeira apostola que JESUS escolheu para dar continuidade a seus trabalhos a igreja católica rejeita, por causa do preconceitos contra a mulher e por defender que "somos filhos do pecado original, na qual a mulher foi a grande tentadora" apesar de existirem livros, que vocês chamam de apócrifos, mas para falar que reconhece a igreja católica como originaria de CRISTO aí pode ser reconhecido como livro aceito, como a epístolas ao ERMINENCES? pois pesquise direito e veja o livro história do ecumenismo, escrito inclusive por uma  pesquisadora católica que lá está bem claro, que a primeira vez que foi usado o termo católico, foi em 290 dc, ou seja, já nos preparos dos trabalhos do concilio de Niceia.

não passe informações erradas, gosto de pesquisar e ler o que me informam.

abraços fraternos 

 

Olá Raimundo.

Creio que precisamos dividir esta discussão em alguns itens e, sem nenhum preconceito, verificar o que dizem....uma coisa é estudar a história de uma Igreja, outra é, pura e simplesmente dizer que ela não é verdadeira...,baseado em que afirmas isto?

Onde estão teus documentos históricos? E, afinal a que denominação pertences e qual a sua história? Quais são os personagens da tua Igreja que contribuíram para que o Evangelho de Cristo chegasse até nossos dias?

Onde estão seus mártires? Onde estão seus estudiosos que buscaram o entendimento da Palavra Divina que a Bíblia nos legou?

Anbraços fraternos.

Quem está passando informações erradas é você.

 

A maioria dos livros citados são Patristicos sabe o que é isso? Concerteza não, pesquise, não são livros de Papas. Ortodorxos, luteranos e anglicanos leem os livros Patríticos, mas calvinistas não. Pelo que percebi o senhor está contaminado por teses calvinistas, purifique-se para tirar essa trave teológica dos seus olhos.

 

"o CANON ou  livro canônico que voce se refere, é apenas um livro que trata das regras, dogmas e preceitos de sua religião e foi criado sim nas discussão do concilio de Nicéia em 325 dc, estabelecendo regras de conduta dos católicos e de seus lideres." Que besteirada sem sentido é essa? O que vc quis dizer com isso?

 

O termo Católico ou seja UNIVERSAL é do século 2 d.C.

HaDérech (הדרך), O Caminho ✡ Direção segura: a Torá por Yeshua.

Restaurando a Igreja do Primeiro Século: amor, poder, identidade, LEI, dons, governo e projeto.

Como restaurar uma coisa que nunca foi perdida? Somente judeus messiânicos e mormons para acha que a Igreja acabou no primeiro século.

Olá amigo Rogério.

Creio ser inútil uma conversa com quem não tenha seu coração aberto, que não esteja disponível para um diálogo profícuo, que não está com vontade de verificar em que os cristãos são iguais, ou seja o nosso amor por Jesus Cristo. Que não estejam somente com vontade de "criticar e julgar" outras denominações, fazendo com isto um proselitismo fora de contexto. Que não consigam entender os momentos históricos, que não veem nada além de seu orgulho, de sua falta de humildade ......amigo, é perder tempo.

Abraços.

O site deles tem até padre Ricardo falando, incoerentes.

RSS

Links Patrocinados

Cine História

Não pare na pista

Chega aos cinemas brasileiros o aguardado filme cinebiografia de Paulo Coelho, "Não pare na pista -  a melhor história de Paulo Coelho", dirigido por Daniel Augusto. 

Sinopse: Cinebiografia de Paulo Coelho, o filme se concentra em três momentos distintos da carreira do escritor: a juventude, nos anos 1960 (período em que é vivido pelo ator Ravel Andrade); a idade adulta, nos anos 1980 (Júlio Andrade); e a maturidade, em 2013, quando refaz o Caminho de Santiago (Júlio Andrade, maquiado). Usando como base depoimentos do próprio Paulo Coelho, a história perpassa os momentos mais marcantes da vida do autor, como os traumas, a relação com as drogas e a religião, sexualidade e a parceria com o músico Raul Seixas.

café história acadêmico

Ensino de História: Confira o artigo “A guerra das narrativas: debates e ilusões em torno do ensino de História”, da historiadora Christian Laville, da Universidade Lava, Quebec. Resumo: Em quase todas as partes do mundo, os programas escolares exigem que o ensino da história desenvolva nos alunos a autonomia intelectual e o pensamento crítico. Há muito tempo não se vê mais a missão de incutir nas consciências uma narrativa única glorificando a nação ou a comunidade. No entanto, quando o ensino da história é questionado nos debates públicos, é sempre com referência a esse tipo de narrativa: embora não fazendo mais parte dos programas, esse continua sendo o único objeto dos debates. Este artigo dá inúmeros exemplos atuais de tais debates, antes de concluir que são provavelmente vãos e que as pessoas se iludem sobre os efeitos reais da história ensinada. Alguns exemplos também são dados a esse respeito. Clique aqui para acessar.

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }