História das Mentalidades

Informação

História das Mentalidades

Esta comunidade é dedicada a História das Mentalidades, ou seja, a História que se dedica ao estudo dos modos de pensar e sentir dos homens.

Membros: 298
Última atividade: 24 Fev

Fórum de discussão

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de História das Mentalidades para adicionar comentários!

Comentário de joaquim schieder da silva em 30 agosto 2013 às 16:01

Tens razao Jucemir, o meu grupo tambem nao aparece lá ninguém faz uma eternidade.

Abrs.

Comentário de aldriana do rocio alves em 1 abril 2013 às 13:24

Olá, estamos divulgando uma nova página.
Se tiver interesse no assunto, venha nos visitar...
Hoje começaremos a postar sobre a História do Homoerotismo Feminino e também sobre o Choque Cultural Entre Espanhóis e Nativos Na Conquista da América...
http://www.facebook.com/pages/Ciências-Humanas/117839921734234

Comentário de marcos gomes em 22 abril 2012 às 22:50

   A melhor definição de historia das mentalidades é dizer aquilo que agente já sabe mas que temos dificuldades em dizer por causa do "sofistique" cultural.Melhor definição é agente se encontrar dentro da historia e se sentir responsavel por ela.

Comentário de marcos gomes em 22 abril 2012 às 22:44

    Não existe historia sem mentalidades pois a historia se faz de mentalidades. O interessante é saber que tipos de mentalidades existem como se produzem seu movimento suas consequencias suas origens.

Comentário de Luiz Fernando Almeida em 28 janeiro 2012 às 20:55

A Historia das Mentalidades se assemelha ao materialismo interdisciplinar criado por Max Horkheimer na Escola de Frankfurt.

Comentário de C. L. Santos em 16 dezembro 2011 às 12:42

 "O queijo e os vermes" de Ginzburg é um livro básico para quem quer iniciar pesquisas em história das mentalidades, embora a "Vila Montaillou" de Ladurie tenha um ar mais historiográfico; Ginzburg é mais solto, Ladurie nem tanto, é mais metódico - embora tenha muitas anedótas^^; recomendo os dois livros*-*

Comentário de João Roberto Laque em 13 dezembro 2011 às 15:28

Pessoal,

sou autor de um livro sobre os Anos de Chumbo no Brasil a partir da ótica da guerrilha e tenho um lote pra queimar com os amigos do Café História até o Natal.

Faça um tour pelo conteúdo do livro e veja a promoção clicando em

http://www.promocaoparacafehistoria.blogspot.com/
Comentário de Ricardo Rodrigues Bardy em 25 novembro 2011 às 22:21

Rebeca, não conheço este livro do Ginzurg, então vou ficar devendo, mas ele é considerado o pai da micro-história.

Comentário de rebeca azevedo em 24 novembro 2011 às 21:50

Ricardo, também penso assim, na verdade queria saber se existe de fato uma separação entre mentalidades e micro história, pois fiquei super em dúvida depois que li o livro do Ginzburg, História Nortuna. Não sabia distinguir se era História das mentalidades ou se o que ele estava fazendo seria a micro-história.

 

Comentário de Ricardo Rodrigues Bardy em 24 novembro 2011 às 21:43

Creio cara Rebeca,que a distinção entre micro história e história das mentalidades, seja um problema além da minha pouca capacidade entretanto, acredito que a forma como a micro história usa  da mentalidade ou do imaginário para entender através do modelo micro para tentar justificar o macro.

Usemos como exemplo o fantástico e clássico estudo " o queijo e os vermes" do italiano Carlo Ginzburg, no qual o autor se baseia na história das mentalidade para entender o modelo de pensamento de um elemento, podemos dizer que neste livro nasce a micro história, mas essa analise baseada na mentalidade, extraída de documentos da inquisição tem objetivo macro, ao dizer que qualquer individuo do período com acesso aos livros que Menóquio(se não me falha a memória) teve, sem contudo possuir instrução formal, poderia desenvolver este tipo de linha de pensamento.

 Cara Rebeca não sei se estas poucas linhas lhe serão uteis, ou se ao invés disto lhe trarão mais duvidas, ainda sim este é o pouco que posso colaborar, boa sorte e minhas cordiais saudações!

 

Membros (298)

 
 
 

Links Patrocinados

documento histórico

Versão digitalizada do decreto que aboliu a escravatura no Brasil, dando origem à Lei Áurea. O documento é assinado pela Princesa Imperial Regente Isabel, pelos senadores Primeiro Vice-Presidente Antônio Candido da Cruz Machado, Primeiro Secretário Barão de Mamanguape e pelo Segundo Secretário do Joaquim Floriano de Godoi. O manuscrito original faz parte do acervo do Arquivo do Senado Federal. Faça aqui o download em alta resolução desta importante peça da História do Brasil: http://goo.gl/ewCcee

Conteúdo da semana

Depoimento do coronel reformado do Exército, Paulo Malhães, ex-agente do Centro de Informação do Exército, que atuou em diversas missões de extermínio de opositores da ditadura e também na Casa da Morte. No depoimento, ele admite tortura, mortes, ocultações de cadáveres e mutilações de corpos.

Cine História

Cortinas Fechadas

Chega aos cinemas brasileiros o drama iraniano dirigido por Kambolza Partovi e Jafar Panahi, “Cortinas Fechadas”.

Sinopse: Vivendo em prisão domiciliar após ter sido condenado pela justiça iraniana, sob a acusação de denegrir a imagem do governo do presidente Mahmoud Ahmadinejad com seus filmes, o cineasta Jafar Panahi tem seu cotidiano apresentado neste filme.

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. Teremos o prazer em ajuda-lo(a):

Nosso email: cafehistoria@gmail.com

Parceria: NIEJ-UFRJ

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }