Informação

História do Piauí

Grupo para discussão sobre historiografia piauiense, trocas de experiência de pesquisa, divulgação de eventos, indicações de leituras e quaisquer outras informações sobre nossa terra. Fotografia de Oeiras, PI, de Wagner Setubal

Local: Piauí
Membros: 78
Última atividade: 25 Set

Fórum de discussão

O que você acha de mais interessante na História do Piauí?

Iniciado por Vinicius Alves Cardoso. Última resposta de MARCOS ANTONIO M. DE OLIVEIRA 30 Jan, 2011. 10 Respostas

provas de concurso

Iniciado por Sabrina Castro. Última resposta de Sabrina Castro 3 Fev, 2010. 2 Respostas

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de História do Piauí para adicionar comentários!

Comentário de Antonio Jose Mambenga em 7 janeiro 2011 às 21:50
Parabéns pela iniciativa de "direcionar um olhar mais convergente para História do Piauí". Moro em Valença-Pi, inclusa entre as seis primeiras vilas do Piauí, mesmo limitado mas ainda tem muito a ser oferecido, tanto no patrimônio material como no imaterial. Portanto, vamos ascender a "tocha" para clarear nós mesmos e o mundo! Porque tudo vai depender de "cada um"
Comentário de junior vianna em 4 janeiro 2011 às 10:34
visitem o blog www.mosaicodavila.blogspot.com e saiba mais sobre a cidade de oeiras
Comentário de Fábio Leonardo Brito em 24 dezembro 2010 às 11:42

Concordo, Vinícius.

 

Ainda há muito o que se pesquisar na História do Piauí. É um campo vastíssimo de análise, seja no campo político, social, cultural e comportamental.

Comentário de Vinicius Alves Cardoso em 20 dezembro 2010 às 10:41

"A produção historiográfica piauiense tem crescido bastante, principalmente após o trabalho de diversos professores que, com a publicação de suas teses de doutorado, têm ampliando as visões sobre a História local, trazendo para ela elementos da Nova História Cultural."

 

No entanto eu penso que a produção historiografica piauiense não deve somente ficar nessa abordagem da Nova História Cultural e História Cultural. deve-se pesquisar também o Piauí Colônial que é uma coisa não muito pequisada aqui no Piauí e não é por falta de fontes, pq temos o NUPEM na UFPI e o Arquivo Publico rico em documentos, mas sim por falta de interessse dos estudantes de História e dos historioadores já formados.

 

Comentário de Fábio Leonardo Brito em 19 dezembro 2010 às 16:27

A produção historiográfica piauiense tem crescido bastante, principalmente após o trabalho de diversos professores que, com a publicação de suas teses de doutorado, têm ampliando as visões sobre a História local, trazendo para ela elementos da Nova História Cultural.

 

Dentre obras desse tipo, podem ser citadas:

 

a) "Os Literatos e a República", de Teresinha Queiroz, trabalhando elementos da produção literária piauiense em fins do século XIX.

 

b) "Mulheres Plurais", de Pedro Vilarinho Castelo Branco, trabalhando a condição feminina em Teresina, durante a Primeira República.

 

c) "A Cidade sob o Fogo", de Francisco Alcides do Nascimento, trabalhando a queima de casas de palha na Teresina, durante a era Vargas, como forma de modernização forçada e maquiagem da realidade local.

 

d) "Braço Forte", de Solimar Oliveira Lima, discutindo a condição dos escravos piauienses nas fazendas nacionais.

 

e) "Todos os dias de Paupéria", de Edwar Castelo Branco, trazendo à tona a participação essencial de Torquato Neto na invenção da Tropicália.

 

f) "Balaios e ben-te-vis: a guerrilha sertaneja", de Claudete Dias, discutindo os movimentos sociais e emancipacionistas no Piauí, em especial a Balaiada e os levantes em prol da independência.

 

g) "As ciladas do inimigo", de Áurea da Paz Pinheiro, trabalhando as tensões clericais e anticlericais no Piauí do século XIX.

 

Essas são algumas obras referência. Claro que temos, também, a bibliografia tradicional de F. A. Pereira da Costa, Abdias Neves e outros autores que, com certeza, fundamentaram todo o trabalho de pesquisa dos historiadores do Piauí. Também existem as discussões que se opõem, como a obra de Maria Amélia Oliveira, que trabalha outra perspectiva sobre a Balaiada, e Tanya Maria Pires Brandão, que analisa, também, a presença escrava no Piauí e as relações familiares no Piauí colonial.

Comentário de danielle pinheiro em 19 dezembro 2010 às 15:46

muito legal

Comentário de Mauro Sergio em 16 dezembro 2010 às 14:56

aew pessoal, se puderem mandar mais

coisas sobre historia de nosso estado,

manden por favor, conheço mto pouco,

queria me apronfudar mais..

abraços...

Comentário de Haffizza Mill Lustosa em 16 dezembro 2010 às 9:00

Amo história do Piauí e sou uma atuante na historiografia do nosso estado, gostaria de trocar informações com alguns que também se interessam por pesquisa e projetos! Abraços

Comentário de Joanderson Mendes em 15 dezembro 2010 às 17:45

Infelismente, o Piauiense não conhece a historia do Piauí.

Comentário de feliciana de lima galeno em 8 outubro 2010 às 16:00
o piauí precisa de mais atenção para com sua história desconhecida por muitos piauenses...
 

Membros (78)

 
 
 

Links Patrocinados

café história acadêmico

História do Brasil contemporâneo: Confira na íntegra a tese de doutorado "De Sarney a Collor: reformas políticas, democratização e crise (1985-1990)", defendida por David Maciel em 2010, na Universidade Federal de Goiás. Clique na imagem.

Cine História

Boa sorte

Está em cartaz nos cinemas nacionais o filme brasileiro "Boa sorte", dirigido por Carolina Jabor e com Deborah Secco no elenco. 

Sinopse: O adolescente João (João Pedro Zappa) tem uma série de problemas comportamentais: ele é ignorado pelos pais e se torna agressivo com os amigos de escola. Quando é diagnosticado com depressão, seus familiares decidem interná-lo em uma clínica psiquiátrica. No local, ele conhece Judite (Deborah Secco), paciente HIV positivo e dependente química, em fase terminal. Apesar do ambiente hostil, os dois se apaixonam e iniciam um romance. Mas Judite tem medo que a sua morte abale a saúde de João.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }