História da Igreja Evangélica Luterana

Informação

História da Igreja Evangélica Luterana

Ao longo de três séculos o cristianismo espalhou-se pelo império romano. Duramente perseguido em seus inícios, recebeu a partir de Constantino um novo tratamento. Institucionalizou-se gradativamente e ao longo de vários séculos acabou se distanciando das bases evangélicas. Diversas pessoas procuraram chamar atenção para esta realidade. Buscaram reformas no interior da Igreja. Contestadoras, acabaram, ou assimiladas pela instituição, ou perseguidas, proscritas e mortas.

A história da vida de Martinho Lutero se insere dentro do contexto de busca pelas origens evangélicas. Seus desencontros com a Igreja Católica tinham como pano de fundo a interpretação das Sagradas Escrituras. Seus esforços para chamar atenção de desvios e abusos de autoridade não encontraram eco e o levaram à excomunhão.

O insucesso, no entanto, não freou o movimento da Reforma na Igreja. Martim Lutero tornou-se um dos principais protagonistas. Graças a grande receptividade o movimento se espalhou na Alemanha e em outros países europeus. Por causa da liderança de Lutero e também pelo fato de a sua pessoa ser o centro das tensões e dos conflitos com a Igreja Católica, as pessoas simpáticas e seguidoras do movimento começaram a ser chamadas de “luteranas”. Tratava-se no início de um xingamento de adversários e opositores.

A sua preocupação central girava em torno do resgate da verdade evangélica.

Como formação eclesiástica independente o luteranismo tem sua origem por ocasião da aprovação da Confissão de A Augsburgo em 1530. Esta confissão tornou-se um documento básico de todas as igrejas luteranas no mundo. Recebeu a adesão de fiéis em boa parte da Europa. Sofreu sérios reveses com as investidas da Contra-Reforma católica, mas acabou se consolidando principalmente na Alemanha, Suécia e demais países escandinavos.

O luteranismo expandiu-se para as Américas e a Oceania com o advento do processo emigratório europeu. A expansão colonial européia fez com que chegasse à África e Ásia. Atualmente ele se agrupa basicamente em duas grandes organizações mundiais: Federação Luterana Mundial e Conselho Luterano Internacional.

Site: http://www.ielb.org.br/
Local: Porto Alegre
Membros: 42
Última atividade: 1 Fev

A REFORMA LUTERANA

No dia 31 de outubro comemora-se a Reforma Luterana. Nesta mesma data em 1517, Martinho Lutero pregou às portas da Catedral da cidade de Wittenberg, na Alemanha, as 95 teses que marcam o início do movimento do qual nasceu a Igreja Luterana.

Mas não são as teses de Lutero o motivo pelo qual a Reforma é lembrada. Isto se deve porque o movimento da Reforma restabeleceu o conceito bíblico sobre as três colunas básicas do cristianismo, que são: As escrituras, a graça e a fé.

A respeito das escrituras – a Bíblia Sagrada – cremos ser ela a Palavra de Deus em que o próprio Deus nos diz quem ele é, quem somos nós, e tudo quanto ele nos oferece. Por isso reconhecemos a Bíblia como única e suficiente norma de fé e conduta cristã. O apóstolo Paulo fala da Bíblia como sendo “as sagradas letras que podem tornar-te sábio para a salvação pela fé em Cristo Jesus”. (2 Timóteo 3.15)

A respeito da graça de Deus, conforme o claro testemunho da Bíblia, cremos que Deus oferece, através de Cristo, o perdão dos pecados e a salvação eterna, sem exigir de nós qualquer pagamento, porquanto Cristo, mediante a sua vida santa e o seu sacrifício expiatório, pagou total e integralmente o preço da redenção de nossas almas. E tendo sido desta forma satisfeita a justiça de Deus. Deus oferece de graça, tanto o perdão total dos nossos pecados, como a salvação eterna a todos os que crêem. O apóstolo Paulo diz: “Todos pecaram e carecem da glória de Deus, sendo justificados gratuitamente por sua graça, mediante a redenção que há em Cristo Jesus.” (Romanos 3.23 e 24)

A respeito da fé, cremos ser ela a certeza de que tudo quanto a Bíblia diz sobre nós e sobre Deus é verdade. A fé, pois, aceita a graça de Deus, confia no perdão e espera a salvação. A fé é um dom de Deus. O apóstolo Paulo diz: “Justificados mediante a fé, tenhamos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus cristo. E gloriemo-nos na esperança da glória de Deus.” (Romanos 5.1 e 2)

A compreensão bíblica dessas três colunas do cristianismo é um dos grandes motivos porque os luteranos comemoram a Reforma. Escrituras, graça e fé são também o fundamento sobre o qual os filhos de Deus edificam suas vidas; são os parâmetros que nos orientam em meio a tantos desvios de conduta que presenciamos diariamente em nossa sociedade. Escrituras, graça de Deus e fé em Deus, são fontes da “esperança da glória de Deus”. Amém.

Pastor Paulo Kerte Jung

Fórum de discussão

QUAL SUA VISÃO A RESPEITO DA REFORMA PROTESTANTE E SUA INFLUÊNCIA NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE?

Iniciado por LEANDRO CLAUDIR. Última resposta de Marcelo Gomes da Silva Bruno 28 Ago, 2013. 2 Respostas

Não há como negar a influência da Reforma Protestante em nosso século. Qualquer livro de História que aborde o tema: "Baixa Idade Média e início da Idade Moderna", tem, obrigatoriamente, a…Continuar

QUAIS FORAM OS PRINCIPAIS MOTIVOS DA REFORMA?

Iniciado por LEANDRO CLAUDIR. Última resposta de Luiz Sergio de Oliveira 4 Jun, 2013. 6 Respostas

A Reforma luterana teve grande apoio popular devido a insatisfação com a Igreja Romana por parte do povo humilde. Lutero surgiu no momento da história onde o povo espera por mudanças. Vamos falar um…Continuar

Tags: alemanha, lutero, reforma

MARTINHO LUTERO DESEJAVA FORMAR UMA NOVA IGREJA?

Iniciado por LEANDRO CLAUDIR. Última resposta de joaquim schieder da silva 21 Fev, 2012. 7 Respostas

Lutero, um homem criado dentro dos ensinamentos da Igreja Cristã realmente desejava dividi-lá? Um homem que levou suas dúvidas e tormentos diante do Papa Leão X, realmente almejava dividir a Santa…Continuar

Tags: alemanha, lutero, reforma

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de História da Igreja Evangélica Luterana para adicionar comentários!

Comentário de Isabel Santos em 3 junho 2013 às 11:18

lEANDRO, QUERIA CONVIDAR VOCÊ E OS CRISTÃOS EVANGÉLICOS DO SEU GRUPO, A PARTICIPAREM DO MEU TÓPICO: O CÓDIGO DA VINCI, A MAIOR FRAUDE DO SÉCULO XXI?

http://cafehistoria.ning.com/forum/topics/o-c-digo-da-vinci-foi-a-m...

Comentário de ISRAEL SÉRGIO em 23 novembro 2012 às 19:41

Desculpe meu pc esta cm problema de formatação de texto

O poder da língua Conta-se que certa vez um mercador grego, rico, ofereceu um banquete com comidas especiais. Chamou seu escravo e ordenou-lhe que fosse ao mercado comprar a melhor iguaria.O escravo retornou com belo prato. O mercador removeu o pano e assustado disse:-Língua ?!! Este é o prato mais delicioso ?O escravo, sem levantar a cabeça, respondeu:- A língua é o prato mais delicioso, sim senhor. É com a língua que pedimos água......dizemos “mamã ”, fazemos amigos, perdoamos. Com a língua reunimos pessoas, dizemos “meu Deus”, oramos, cantamos, dizemos “eu te amo”...O mercador, não muito convencido, quis testar a sabedoria de seu escravo,e o mandou de volta ao mercado, desta vez para trazer o pior alimento. O escravo voltou com um lindo prato, coberto por fino tecido. O mercador,ansioso, retirou o pano para conhecer o pior alimento.-Língua, outra vez?!!, disse, espantado.-Sim, língua, respondeu o escravo. É com a língua que condenamos,separamos, provocamos intrigas e ciúmes, blasfemamos.É com ela que expulsamos, isolamos, enganamos nosso irmão, maldizemos pai e mãe...Não há nada pior que a língua; não há nada melhor que a língua. Dependedo modo que a usamos.

Muitos males têm sido causados por uma só palavra ou frase proferida .Diz um ditado que “falar é prata, calar é ouro”. Palavras ferem, matam,magoam, semeiam dúvidas, fazem pecar, geram ódio...e muitas vezes quemdiz o que quer, ouve o que não quer.Uma palavra, uma frase, podem doer mais que a dor física. A dor física pode cessar com um medicamento, mas a dor provocada por uma palavra ou frase, muitas vezes nem o tempo apaga, e, quando apagada, costuma deixar cicatrizes.O pecado da língua é tão sério que ocupa todo o capítulo 3 e parte docapítulo 4 da epístola de Tiago, no Novo Testamento.A Bíblia nos ensina que “os lábios do justo apascentam a muitos, mas por falta de senso, morrem os tolos” (Provérbios 10:21) Jesus, censurando os fariseus, disse-lhes que“a boca fala do que está cheio o coração” (Mateus 12:34), e advertiu:“Digo-vos que de toda palavra frívola que proferirem os homens, dela darão conta no dia do juízo; porque pelas tuas palavras serás justificado e pela tuas palavras serás condenado” (Mateus 12:36-37).Sejamos vigilantes sobre o uso da língua, e,“deixando a mentira, fale cada uma verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros” (Efésios4:25). Que possamos usar nossa língua para dizer o quanto amamos nossos entes queridos e amigos; para perdoar a quem nos ofende, para pedir perdão a quem ofendemos, para oferecer ajuda ao necessitado, para elogiar, par aensinar, para proclamar a paz, e amar nossos inimigos .

Existe um Salvador quenos ama e guarda com carinho e amor e nos muitas vezes nos zangamos com ele quando alguma coisa acontece em nossas vidas E apesar de nosso credo religioso sempre escutamos uma frase que nos anima e nos faz caminhar em frente.

Israel.marques

Comentário de ISRAEL SÉRGIO em 23 novembro 2012 às 19:36

Cada um dos Leitores deste Grupo deve vesitar o grupo Maria Madalena e comentar

Comentário de TALITA SILVA DE OLIVEIRA MARCELI em 21 novembro 2012 às 21:27

Olá, gostaria de saber se alguém poderia me dizer quais são os 70 artigos da Ordinantia. Desde já, agradeço muitíssimo.

Comentário de Leonardo Stuepp em 21 novembro 2012 às 20:44

Olá Leandro.

Eu gostaria de participar do teu blog Construindo História Hoje,mas não entendi o modo como posso me cadastrar,pois já na primeira questão fiquei perdido, preciso utilizar alguma conta que já possuo.Poderias me orientar?

Obrigado.

Abraços.

Comentário de Leonardo Stuepp em 21 novembro 2012 às 20:25

Olá Leandro.

Tudo bem contigo? Fazia tempo que não escrevias algo em teu grupo.

Quanto aquele debate com o Ivani, acabou,o grupo foi fechado.Não havia mais condições de diálogo.

Gostei da tua dica de leitura. Santo Agostinho é um personagem importantíssimo para todo o cristianismo. Conheço a história de sua vida e admiro muito. O estudo da Patrística tem nele seu ponto máximo.

Suas obras são também muito importantes, onde temos (para mim uma obra prima): Confissões. Temos ainda: Contra os Acadêmicos, Solilóquios, Do Livre-Arbítrio, De Magistro, Espírito e Letra, A Cidade de Deus e as Retratações.

Recomendo.

Abraços. 

 

Comentário de LEANDRO CLAUDIR em 21 novembro 2012 às 16:36
Comentário de LEANDRO CLAUDIR em 21 novembro 2012 às 16:35

DICA DE LEITURA.

SANTO AGOSTINHO DE HIPONA: UMA BIOGRAFIA.

Saudações fraternas a todos os amigos!

Leandro Claudir

Comentário de LEANDRO CLAUDIR em 21 novembro 2012 às 16:34

Gostei muito de seu comentário amigo Israel Marques! As dicas do Bispo Krister Stendahl são excelentes para o bom convívio entre as pessoas de credos diferentes.

Comentário de LEANDRO CLAUDIR em 21 novembro 2012 às 16:32

Olá amigo Leonardo muito pertinente o debate ocorrido. Vou dar uma olhada! Mas de "cara" vemos que o autor do mesmo nunca leu nenhum livro dos historiadores romanos como Flávio Josephus

 
 
 

Links Patrocinados

Cine História

O Homem mais procurado

Acaba de chegar aos cinemas o filme "O Homem mais procurado", dirigido por Anton Corbjin ("Um Homem Misterioso" e "Controle - A História de Ian Curtis"). O filme traz Philip Seymour Hoffman ( em seu último papel), Rachel McAdams e William Defoe.  

Sinopse: Depois de ser brutalmente torturado, um imigrante de origem chechena e russa faz uma viagem à comunidade islâmica de Hamburgo, tentando resgatar a grande herança que seu pai teria lhe deixado. A chegada deste homem desperta a curiosidade das polícias secretas alemã e americana, que passam a acompanhar seus passos. Enquanto a investigação avança, todos fazem a mesma pergunta sobre o imigrante: seria ele apenas uma vítima ou um extremista com um plano muito bem elaborado?

café história acadêmico

Líbano e Egito: Leia na íntegra a dissertação "Alguns aspectos sobre o processo da democratização dos sistemas políticos no mundo árabe: Egito e Líbano como modelos de estudo", do pesquisador Younus Khalifa Haddood. O trabalho foi desenvolvido no Programa de Pòs-Graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Dissertação defendida em 2007. Clique aqui.

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }