Informação

Hannah Arendt.

As origens do totalitarismo.

Membros: 83
Última atividade: 30 Dez, 2013

Biografia

Nascida numa rica e antiga família judia de Linden, Hanôver, fez os seus estudos universitários de teologia e filosofia em Königsberg (a cidade natal de Kant, hoje Kaliningrado). Arendt estudou filosofia com Martin Heidegger na Universidade de Marburgo, relacionando-se passional e intelectualmente com ele. Posteriormente Arendt foi estudar em Heidelberg, tendo escrito na respectiva universidade uma tese de doutoramento sobre a experiência do amor na obra de Santo Agostinho, sob a orientação do filósofo existencialista Karl Jaspers. A tese foi publicada em 1929. Em 1933 (ano da tomada do poder de Hitler) Arendt foi proibida de escrever uma segunda dissertação que lhe daria o acesso ao ensino nas universidades alemãs por causa da sua condição de judia. O seu crescente envolvimento com o sionismo levá-la-ia a colidir com o anti-semitismo do Terceiro Reich o que a conduziria, seguramente, à prisão. Conseguiu escapar da Alemanha para Paris, onde trabalhou com crianças judias expatriadas e onde conheceu e tornou-se amiga do crítico literário e místico marxista Walter Benjamin. Foi presa (uma segunda vez) em França conjuntamente com o marido, o operário e "marxista crítico" Heinrich Blutcher, e acabaria em 1941 por partir para os Estados Unidos, com a ajuda do jornalista americano Varian Fry.
Trabalhou nos Estados Unidos em diversas editoras e organizações judaicas, tendo escrito para o "Weekly Aufbau". Em 1963 é contratada como professora da Universidade de Chicago onde ensina até 1967, ano em que se muda para a New School for Social Research, instituição onde se manterá até à sua morte em 1975.



Fórum de discussão

O PENSAMENTO DE HANNAH ARENDT NA SOCIEDADE NEOLIBERAL

Iniciado por LOURIMAR T. MOREIRA BRANDÃO 5 Nov, 2009. 0 Respostas

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Hannah Arendt. para adicionar comentários!

Comentário de sabrina machado campos em 26 dezembro 2011 às 8:47

Paulo, li que ela escreveu um artigo sobre educaçao, tb to procurando,mas nao acho... se encontrar te aviso, e se vc achar me avise, tb...

Vc a está utilziando para analisar a educaçao ? Podemos compartilhar materiais, pois ela faz parte do meu quadro teorico do mestrado...

Att,

sabrina

Comentário de Paulo Henrique Rodrigues em 14 abril 2011 às 14:52

Alguém tem um texto da Arendt sobre educação?

Obrigado,

Paulo Henrique

Comentário de LOURIMAR T. MOREIRA BRANDÃO em 10 agosto 2010 às 14:04
Gosto deste refletir da Hannah( carinhosamente e íntima por seus pensares que nos chamam a ação contra o incorformismo, imediatismo da época em que vivemos) “O Racismo pode destruir não só o mundo ocidental mas toda a civilização humana. Quando os russos se tornaram eslavos, quando os franceses assumiram o papel de comandantes da mão-de-obra negra, quando os ingleses viraram ‘homens brancos’ do mesmo modo como, durante certo período, todos os alemães viraram arianos, então essas mudanças significaram o fim do homem ocidental. Pois não importa o que digam os cientistas, a raça é, do ponto de vista, não o começo da humanidade mas o seu fim, não a origem dos povos mas seu declínio, não o nascimento natural do homem mas a sua morte antinatural”
Comentário de Cristina Rosas em 10 agosto 2010 às 12:37
Tive contato com o pensamento desta admirável mulher e...me apaixonei.
Comentário de yeda fajardo em 30 dezembro 2009 às 16:40
O objeto que está em mim e que está no outro é esse estranho dispositivo que arrasta o desejo humano para uma deriva sem fim. Yêda Fajardo
Comentário de Francisca de Freitas dos Santos em 17 agosto 2009 às 8:20
Seria muito bom que o pensamento de Hannah Arendt fosse uma voz ativa nos dias de hoje. O conformismo está presente de todas as formas possíveis e imagináveis e essa voz se levantaria contra ele, assim como Hannah se levantou ao falar sobre a banalidade do mal sobre o procedimento nazista nos campos de concentração. É isso. Atualmente tudo está banalizado. As falcatruas e corrupções políticas, os crimes hediondos, o repeito pela familia, religião, etc. Acho muito importante que todos aqueles que admiram Hannah possam também falar à sua maneira. Talvez ninguém os ouvirá mas quem sabe as mesmas ressoem, ressoem, ressoem ...
 

Membros (83)

 
 
 

Links Patrocinados

Cine História

Sobrevivente

Chega aos cinemas o filme islandês "Sobrevivente", de Baltasar Kormákur. 

Sinopse: Durante o inverno de 1984, um barco pesqueiro naufraga no Atlântico Norte, nas proximidades da Islândia. Os tripulantes tentam sobreviver, mas as águas geladas impedem que essa tarefa seja facilmente concluída, restando apenas Gulli (Ólafur Darri Ólafsson), um homem bom, de fé, querido por todos, e com uma vontade de viver inacreditável. Após nadar por cerca de seis horas e enfrentar vários percalços, ele consegue contato com a civilização. Após a incrível experiência vivida, Gulli terá ainda que viver com a dor da perda dos amigos e, pior, a incredulidade de todos, que não entendem ele ter sobrevivido a uma situação tão extrema e insistem em fazer testes para saber como isso pode ter acontecido. Baseado em fatos reais.

documento histórico

Guerra do Paraguai: Prédios paraguaios após a Guerra do Paraguai s.l., [186-]. Arquivo Polidoro da Fonseca Quintanilha Jordão. Fonte: Arquivo Nacional

Conteúdo da semana

Leituras da escravidão: O mini-documentário 'Leituras da Escravidão' aborda a escravidão na província do Paraná através do relato de estudantes de História da Universidade Federal do Paraná, que pesquisam o tema em processos judiciais do século XIX no Arquivo Público do Paraná

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }