Garimpo na Serra Pelada

Informação

Garimpo na Serra Pelada

Serra Pelada Tragédia previsível? Corrida a riqueza ou a devastação da fauna e flora da floresta Amazônia.. Comente...

Membros: 32
Última atividade: 11 Fev, 2012

Serra pelada, desmatamento.

A Secretaria de Meio Ambiente do Estado já aprovou o Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (Eia-Rima), que libera a extração mecanizada do ouro, prevista já a partir do ano que vem.
O projeto parece "benéfico" para as partes, e para o meio ambiente como vai ficar?
Comente!

Garimpo pit no meio da floresta tropical amazônica.
Não acredito que o Órgão fiscalizador, não tenha visto que está começando de forma sutil em outro ponto da floresta uma nova Serra Pelada.
Isso é um absurdo!

Fórum de discussão

Qual é a real situação destes trabalhadores hoje?

Iniciado por NANDO OLIVEIRA 10 Jun, 2010. 0 Respostas

Trabalhadores sem as Mínimas Condições de Saúde ou Seguranç a do Trablho.Essas são as condições de trabalho dos garimpeiros.Continuar

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Garimpo na Serra Pelada para adicionar comentários!

Comentário de NANDO OLIVEIRA em 11 fevereiro 2012 às 8:08

Serra Pelada

Até a entrada em operação, a multinacional terá investido R$ 320 milhões na construção da mina subterrânea, batizada de Nova Serra Pelada.

"Tudo em pró do desenvolvimento, mas precisamos ver os planos restruturação ambiental como vai ficar flora e a fauna nesse projeto todo"

Os projetos  são muito animadores veja abaixo:

-Os primeiros levantamentos feitos em uma parte do terreno de 100 hectares com permissão para ser explorada indicou a presença de, pelo menos, 50 toneladas do metal. Esse número deve ser atualizado pela empresa em janeiro, e a expectativa dos ex-garimpeiros é que o volume seja bem maior, já que a própria mineradora informou que o potencial de novas descobertas

na propriedade é elevado.

"É basicamente ouro amarelo, paládio - que é um ouro branco -, prata e platina. Sendo que a incidência menor é de platina, mas, em compensação, o preço é dobrado em relação ao preço do ouro".


"O local será chamado de Nova Serra pelada"


Comentário de Cleiva Rodrigues em 8 julho 2011 às 20:20
Ei pessoal estou procurando "desesperada" o contato de uma pessoa:João Lizardo de Lima. ele foi editor da revista do garimpeiro e nela é contada toda trajetoria dos garimpeiros. porfavor quem puder me ajudar agradeço.
Comentário de NANDO OLIVEIRA em 17 junho 2011 às 13:37

Olá meus amigos tudo bem com vocês?

Eu postei mais um grupo que homenageia os coletores de resíduo “gari”,Têm
algumas novidades sobre este profissional que está presente em nosso dia-dia.

Têm dicas de artesanatos feitos através do resíduo reciclável, quero convidar todos vocês para homenagear este profissional.

Abraço e um ótimo fim de semana.

 

Comentário de NANDO OLIVEIRA em 29 maio 2011 às 12:00

Código permite derrubar mata nativa em área igual ao PR

 
As mudanças nas regras de preservação de mata nativa nas propriedades rurais, que constam do novo Código Florestal aprovado pela Câmara, ampliam em 22 milhões de hectares a possibilidade de desmatamento no País - o equivalente ao Estado do Paraná. O número representa as áreas de reserva legal que poderão ser desmatadas legalmente caso o texto seja aprovado no Senado e sancionado pela presidente Dilma Rousseff.

 

Os cálculos foram feitos a pedido da reportagem pelo professor Gerd Sparovek, do Departamento de Solos da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, da Universidade de São Paulo (Esalq/USP), com base no texto do relator Aldo Rebelo (PC do B-SP) e na emenda 164, aprovados na Câmara na terça-feira. A conta leva em consideração a dispensa de recuperação da reserva legal, que é a área, dentro das propriedades rurais, que deve ser mantida com vegetação nativa e varia de 20% a 80% das terras.

 

O texto aprovado na Câmara agradou à bancada ruralista, mas desagradou às entidades científicas, aos ambientalistas e ao governo - a presidente disse que poderá vetar parte da proposta, que, entre outros pontos, anistia produtores rurais que desmataram até 2008 e diminui as áreas de vegetação nativa em encostas e margens de rios. Também retira a proteção de áreas sensíveis, como restingas e mangues.

 

"O texto consolida a área agrícola do Brasil exatamente como ela está atualmente", diz Sparovek. Ele explica que isso atende às reivindicações dos produtores rurais, mas torna difícil a conciliação entre produção agrícola e ambiente. "O novo Código permite que nenhum hectare daquilo que já foi desmatado precise ser restaurado", analisa.

 

Além da reserva legal, o novo Código aprovado na Câmara também retira proteção das Áreas de Preservação Permanente, as APPs, que são as margens de rios, encostas, topos e morros e vegetação litorânea, como mangues e restingas. Segundo o texto de Rebelo, as APPs ocupadas com agricultura ou pecuária não precisam mais ser recuperadas com vegetação nativa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Obs:

Sabemos que dependemos de nossas florestas para equilíbrio climático, mas infeslimente nos deparamos com esse tipo de manchete que deixa qualquer pessoa desacreditado. Sei que essa rede social trata de assunto sobre história mas a indiguinação é tanta, que decidi compartilhar com todos meus amigos  esse absurdo que os nossos represente tem feito em nome da população.

Antes que nossas florestas vira história, vamos defender o pouco que nos resta da flora e fauna brasileira.

Parabéns jornal Estadão por essa matéria.

Comentário de NANDO OLIVEIRA em 18 maio 2011 às 22:21

Nova Mina de Serra Pelada recebe novos equipamentos

O cronograma das obras de implantação do Projeto da Nova Mina de Serra Pelada está sendo cumprido à risca. Novos equipamentos recém-chegados já estão em atividade: dois caminhões betoneiras tornados e um caminhão alfa 20 responsável pela projeção de concreto no teto do túnel no interior da mina.
Além desses modernos equipamentos, o projeto acaba de receber um moinho de bolas, que é responsável pela diminuição do material proveniente da mina e pelo seu preparo para as próximas etapas de concentração. “A instalação em breve do moinho é o início de fato da construção da planta de beneficiamentos de Serra Pelada, conforme eu expliquei recentemente para a diretoria e os delegados regionais da Coomigasp”, afirmou o diretor da empresa Colossus, Darci Lindenmayer, acrescentando que “a chegada do moinho demonstra mais uma vez que as obras estão dentro do cronograma estabelecido”.
“A Colossus adquiriu um moinho de bolas da usina desativada de Igarapé-Bahia porque a aquisição de um moinho novo demoraria um prazo de 11 meses só para a entrega, enquanto que o usado, o prazo de instalação e modernização é de três meses”, explicou o gerente de Engenharia do projeto, José Geraldo.
Além do moinho, foram adquiridos dois compressores de ar estacionários e dois silos. Os compressores fazem a limpeza e acionamento de equipamentos hidráulicos e os silos permitem a estocagem de material constante para manutenção do ritmo da planta do projeto da Nova Mina de Serra Pelada.
O moinho tem 5,70m de comprimento por 3m de diâmetro, com capacidade horária de alimentação de 70 toneladas de minérios.
Segundo José Geraldo, “em breve chegarão à Nova Mina dois britadores e doze equipamentos de classificaçã

                                                              

Fonte de pesquisa:

www.google.com.br

Comentário de NANDO OLIVEIRA em 9 dezembro 2010 às 17:14

Comentário de NANDO OLIVEIRA em 20 novembro 2010 às 16:40
Um ótimo fds a todos!
Comentário de NANDO OLIVEIRA em 27 setembro 2010 às 11:40

As máquinas mineradoras contínuos tipo “Road header”, que serão utilizadas no desenvolvimento de galerias de subsolo da mina de Serra Pelada, já se encontram no porto de Vitória – Espírito Santo prontas para serem transportadas em caminhões especiais para a mina de Serra Pelada.
As maquinas entram em operação, antes do final desse mês de setembro, segundo estimou Luiz Carlos Celaro, engenheiro responsável pela implantação da mina.
Na área da superfície toda a engenharia para receber a planta metalúrgica para o beneficiamento do minério já encontra-se bastante avançada. Os equipamentos serão instalados ate o final de outubro.
O projeto de desenvolvimento mineral tocado pela parceria Coomigasp e Colossus vai gastar aproximadamente R$ 10 milhões só com equipamentos da planta metalúrgica. Os equipamentos da planta metalúrgica são na sua maioria de fabricação nacional, somente as centrífugas são importadas.
A planta metalúrgica deverá ficar completamente montada ate março do próximo ano e terá capacidade operacional para beneficiar 1.000 toneladas dia de minério bruto ROM. Os trabalhos no campo de obras do Morumbi encontram-se em ritmo acelerado. Todos tem pressa para iniciar a produção do ouro prevista para o próximo ano.
Fonte: Agasp Brasil

Caros amigos,
Vemos que a mineradora não está medindo esforços para extrair o minério daquele local, mas o que não vemos nenhuma declaração sobre projetos de reflorestamento da área.
Também não ha nenhuma notícia de como será o processo de limpeza destes minérios.
A empresa exploradora tem orgulho em apresentar, os investimentos que estão sendo feitos em maquinários para exploração. O mesmo orgulho deveria ter em apresentar para o povo brasileiro os impactos ambientais que sofrerão aquele lugar, e o qual o projeto que ela tem para reverter tal situação.
Comentário de NANDO OLIVEIRA em 9 setembro 2010 às 8:40

A Corrida pelo Ouro na Serra Pelada

Em dezembro de 1979, no interior do estado do Pará, um vaqueiro de uma fazenda, encontrou a
Primeira pepita de ouro. Como a cidade era pequena, a notícia logo se espalhou.
O impacto dessa descoberta provocou uma verdadeira revolução na região e ocorreu uma nova corrida
Pelo ouro que gerou no Brasil o que foi considerado de maior garimpo a céu aberto do mundo.
Entre fevereiro e marco de 1980, mais de 60 mil homens chegaram ao local, conhecido como Serra
Pelada, região localizada no estado do Para, atual município de Curionopolis e deu-se inicio a corrida
Pelo ouro, sem qualquer organização e preocupação com os riscos a saúde e ambiente, movidos
Apenas pela busca da riqueza. Os morros foram transformados em barrancos através da escavação para
A retirada da pepita e como estas eram raras, quem conseguisse maior quantidade ganhavam mais. Os
Lucros e os custos do ouro ficavam para os sócios, donos de fazenda. O garimpeiro ganhava muito
Pouco pela exploração, mesmo trabalhando dia e noite para obter poucas gramas de ouro.
Febre de riquezas, devastação sem limites, impactos ambientais que deixou um Cesário assustador na natureza, que até os dias de hoje clama por uma solução.
Cenário do da serra pelada nos dis de hoje.

Comentário de NANDO OLIVEIRA em 14 agosto 2010 às 17:53

Rios contaminamidos por mercúrio.
 

Membros (30)

 
 
 

Links Patrocinados

Cine História

Não pare na pista

Chega aos cinemas brasileiros o aguardado filme cinebiografia de Paulo Coelho, "Não pare na pista -  a melhor história de Paulo Coelho", dirigido por Daniel Augusto. 

Sinopse: Cinebiografia de Paulo Coelho, o filme se concentra em três momentos distintos da carreira do escritor: a juventude, nos anos 1960 (período em que é vivido pelo ator Ravel Andrade); a idade adulta, nos anos 1980 (Júlio Andrade); e a maturidade, em 2013, quando refaz o Caminho de Santiago (Júlio Andrade, maquiado). Usando como base depoimentos do próprio Paulo Coelho, a história perpassa os momentos mais marcantes da vida do autor, como os traumas, a relação com as drogas e a religião, sexualidade e a parceria com o músico Raul Seixas.

café história acadêmico

Ensino de História: Confira o artigo “A guerra das narrativas: debates e ilusões em torno do ensino de História”, da historiadora Christian Laville, da Universidade Lava, Quebec. Resumo: Em quase todas as partes do mundo, os programas escolares exigem que o ensino da história desenvolva nos alunos a autonomia intelectual e o pensamento crítico. Há muito tempo não se vê mais a missão de incutir nas consciências uma narrativa única glorificando a nação ou a comunidade. No entanto, quando o ensino da história é questionado nos debates públicos, é sempre com referência a esse tipo de narrativa: embora não fazendo mais parte dos programas, esse continua sendo o único objeto dos debates. Este artigo dá inúmeros exemplos atuais de tais debates, antes de concluir que são provavelmente vãos e que as pessoas se iludem sobre os efeitos reais da história ensinada. Alguns exemplos também são dados a esse respeito. Clique aqui para acessar.

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }