Ensino de História-Nível Médio e Fundamental

Informação

Ensino de História-Nível Médio e Fundamental

Como lidar com a realidade da sala de aula? Textos, idéias e relatos são bem vindos. Mas, por favor, evitemos transformar essa comunidade num Muro das Lamentações. Todos sabemos das condições de trabalho e do café frio...

Membros: 452
Última atividade: 3 Jun

Fórum de discussão

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de Ensino de História-Nível Médio e Fundamental para adicionar comentários!

Comentário de Regina Ribeiro em 6 junho 2010 às 11:49
Convite

Comentário de Jonathan Alves Martins em 4 junho 2010 às 18:22
Boa Noite, Sou professor de História e preciso de ajuda!
Até entao venho trabalhado com curso superior e o Ensino Médio EJA. Pela primeira vez estou lecionando para o Fundamental, mais especificamente 6ª e 7ª séries. Estou com muita dificuldade pois eles nao prestam atenção e o trabalho nao rende. Nao consigo seguir meu plano de aula. O que faço/ rsrsr
Comentário de Fabia Maria Magalhaes em 23 maio 2010 às 20:07
Olá pessoal, estou terminando um curso de graduação em História, é meu primeiro ano tb em sala de aula nível médio e fundamental. Espero aproveitar o máximo das experiencias de vcs. Abçs.
Comentário de DIRLEI FATIMA KLEIN em 10 abril 2010 às 22:24
Olá
As metodologias a que você se refere estão disponíveis, gostaria de conhecer e discutir o assunto
Comentário de Silvano Fidelis de Lira em 10 abril 2010 às 15:48
Olá pessoal, trabalho com o ensino de História e tenho trabalhos sobre metodologias de aulas na pós-modernidade...
Comentário de Reinaldo Seriacopi em 4 abril 2010 às 7:42
Gelson, se posso te dar alguma dica, eu sugeriria tentar fazer com que o ensino de história não fosse desvinculado da realidade dos alunos. Eles vão estudar sobre Grécia antiga, por exemplo? Então,antes de entrar no tema, por que não discutir com eles o processo eleitoral brasileiro (os alunos sabem que teremos eleições nesse ano), entrar no conceito de democracia para daí chegar aos gregos. Com isso, os alunos perceberão que estudar história não é "estudar coisas que aconteceram há muito tempo e que não servem para nada". O estudo de história a ter um sentido muito mais amplo.
Comentário de Robson Felipe Viegas da Silva em 3 abril 2010 às 21:11
Vc tem razão Gelson, poucos são formados para desenvolver esse tipo de trabalho, como vc sabe nos cursos de graduação há ojeriza do ensino de EB, daí essa solidão. É assim mesmo, mas penso que no lugar de conteúdo vc devia começar pelas competências e habilidades que precisa ajudar os alunos a desenvolver. Começe pelos PCN's, eleja as hab/comp. necessárias para cada turma, e então escolha os conteúdos que possibilitem o desenvolvimnento dessas hab/comp. O conteúdo é meio, não fim.
Comentário de GELSON OLIVEIRA FREIRE em 3 abril 2010 às 17:26
Obrigado pela dica! O que tenho de claro hoje, é a preocupação sobre como ajudar as crianças a construir um conhecimento, realmente eficaz para sua vida adulta. É dificil triar o conteúdo, diante de tantas informações que são apresentadas a eles diariamente, através de meios eletronicos.
e na maioria da vezes sinto que é uma luta solitaria pois outros docentes, não tem preocupação com isto.
Comentário de Robson Felipe Viegas da Silva em 3 abril 2010 às 16:45
Gelson, a primeira coisa é vc ter bem claro o que é que está fazendo na escola e em que os alunos vão usar o conhecimento que vc vai construir com eles. Isto claro, não há porque se apavorar.
Comentário de Robson Felipe Viegas da Silva em 3 abril 2010 às 16:43
Por trás disto que vcs estão comentando está a velha questão de pra que serve a história. Tirando o vestibulaer, em geral, professores e alunos não sabem da finaliudade dela. Não encontram finalidade, e isso começa no curso de formação e depois se reproduz na EB. Precisamos nos mexer, um dia a sociedade desperta e vê quenão precisa mais da nossa disciplina na grade, daí, vamos vender pipoca...
 

Membros (452)

 
 
 

Links Patrocinados

Cine História

Cuba Libre

Está em cartaz nos cinemas brasileiros o filme “Cuba Libre”, de Evaldo Mozarzel.

Sinopse: Phedra de Córdoba é uma atriz transexual, nascida em Cuba, mas exilada no Brasil há mais de cinco décadas. As razões de sua partida foram a incompatibilidade com o regime de Fidel Castro e a profunda transfobia vigente na ilha. Décadas depois, Phedra retorna a Cuba para descobrir as transformações do país, na época em que a filha de Fidel, Mariela, luta por uma maior aceitação de gays, lésbicas, transexuais e transgêneros.

café história acadêmico

Biografia: confira na íntegra o artigo da historiadora Mary Del Priore: "Biografia: quando o indivíduo encontra a história". Resumo:A biografia, uma das primeiras formas de história – depois das dos deuses e de homens célebres –, retém cada vez mais a atenção dos historiadores. Todavia, a moda da biografia histórica é recente. Com efeito, até a metade do século XX, sem ser de todo abandonada, ela era vista como um gênero avelhantado, convencional e ultrapassado por uma geração devotada a abordagens quantitativas e economicistas.

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }