Que empresas, instituições e cidades oferecem as melhores opções brasileiras para o arqueólogo?

Exibições: 261

Respostas a este tópico

Para quem quer trabalhar com arqueologia de contrato, há cada vez mais opções com o aumento de novas empresas desse segmento, além de empresas grandes como Sciencia, Zanettini, Documento e Arqueologika, entre outras. Depois tem as grandes empresas que têm seus próprios arqueólogos como Petrobras e Vale. Algumas poucas possibilidades de cargos públicos como no IPHAN, e alguns museus que também contratam arqueólogos, como Museu Nacional. E claro, área acadêmica, que também está crescendo com novos cursos de graduação e novas pós-graduações. Nordeste e norte do país sempre tem uma demanda grande por arqueólogos (por contrato).

Agora, "melhores opções" difícil dizer... Depende de qual posicionamento político e mesmo ético, além da função na social que cada arqueólogo considera ter, da idéia de arqueologia que cada um compartilha e ambições.

Eu acredito que temos bastante campo na área, resalvo que vai depender do esforço e vontade do graduado em competir com setor que a meu vê estar crescendo bastante.

As universidades que que oferecem o curso são poucas, a primeira turma se formou em 2008 na FURG, mas temos o curso na UNIVASF - Campus São Raimundo Nonato - PI, a UFPE - Recife,  PUC - GO, UFS - Sergipe, que eu saiba

A graduação em Arqueologia é oferecida pela UNIVASF (a mais antiga), em São Raimundo Nonato - PI, UFPE, em Recife - PE, a UFPI, em Teresina - PI, UFS, em Laranjeiras - SE, PUC, em Goiânia - GO, UFPA, em Belém, UFMG, em BH, FURG, em Pelotas - RS, e tem algumas pelo Norte do país das quais não sei informar. Mestrados existem na UFPE, UFPI, UFS, PUC, PUCRS, em Porto Alegre, USP, UNICAMP e UFRJ. Já doutorados temos UFPE, UFS, USP, UNICAMP, UFRJ e PUCRS. Pós-doutorados temos na UFRJ, UNICAMP e USP, além disso existem várias Pós-graduações em Antropologia e História com linhas de concentração em Arqueologia espelhadas pelo país. Com todos esses cursos espalhados logo se percebe que deva existir um grande mercado de trabalho, e existe, inúmeras empresas de arqueologia de contrato estão atuando no mercado e sobretudo nesses tempos de Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal, além disso a própria legislação brasileira obriga todo grande empreendimento a ter em várias fases do licensiamento ambiental os estudos arqueológicos, ou seja, o mercado é grande e os profissionais ainda são poucos frente a grande demanda. Mais como a colega Julie Anne falou ... "melhores opções" difícil dizer... Depende de qual posicionamento político e mesmo ético, além da função na social que cada arqueólogo considera ter, da idéia de arqueologia que cada um compartilha e ambições."

Complementando a resposta do Everaldo em relação aos cursos de arqueologia que existe no Brasil, o curso da UFMG é de Antropologia com habilitações para antropologia social e arqueologia. Pois, os dois primeiros anos possuem a mesma formação de ciências humanas e depois ocorre a escolha da habilitação cursando mais dois anos.  

RSS

Links Patrocinados

Cine História

Sobrevivente

Chega aos cinemas o filme islandês "Sobrevivente", de Baltasar Kormákur. 

Sinopse: Durante o inverno de 1984, um barco pesqueiro naufraga no Atlântico Norte, nas proximidades da Islândia. Os tripulantes tentam sobreviver, mas as águas geladas impedem que essa tarefa seja facilmente concluída, restando apenas Gulli (Ólafur Darri Ólafsson), um homem bom, de fé, querido por todos, e com uma vontade de viver inacreditável. Após nadar por cerca de seis horas e enfrentar vários percalços, ele consegue contato com a civilização. Após a incrível experiência vivida, Gulli terá ainda que viver com a dor da perda dos amigos e, pior, a incredulidade de todos, que não entendem ele ter sobrevivido a uma situação tão extrema e insistem em fazer testes para saber como isso pode ter acontecido. Baseado em fatos reais.

documento histórico

Guerra do Paraguai: Prédios paraguaios após a Guerra do Paraguai s.l., [186-]. Arquivo Polidoro da Fonseca Quintanilha Jordão. Fonte: Arquivo Nacional

Conteúdo da semana

Leituras da escravidão: O mini-documentário 'Leituras da Escravidão' aborda a escravidão na província do Paraná através do relato de estudantes de História da Universidade Federal do Paraná, que pesquisam o tema em processos judiciais do século XIX no Arquivo Público do Paraná

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }