Informação

A Mulher Escrava

grupo destinado para debates sobre o papel da mulher escrava.
Mostrar os mitos e verdades em relação a escrava negra, tanto como objeto de exploração psicológico, física e / ou sexual.

Local: Vassouras
Membros: 148
Última atividade: 17 Maio

Quando se começa a pesquisar sobre a mulher escrava se percebe a falta de fontes em relação a esse tema.
No Brasil devem-se a Gilberto Freyre as primeiras abordagens sobre a família brasileira. O modelo patriarcal teria se estendido do inicio da colonização até o século XIX. Freyre detém minuciosamente, na abordagem dos papéis femininos; as mulheres brancas são dadas como submissas, embora fiquem evidenciadas manifestações de seu poder o que é relevado, por exemplo, nos maus tratos infligidos ás escravas suspeitas de atrair a atenção de seus maridos. Em que pese às generalizações de Freyre, quando assume a família patriarcal como o único modelo, deve-se acentuar o seu pioneirismo e sensibilidade ao focalizar questões como a sexualidade o corpo e o cotidiano, só há pouco objeto do interesse dos historiadores.
Somente com Freyre é que a mulher escrava, crioula ou africana passa a ter alguma relevância na historiografia. Para Freyre a mulher foi o veículo da cultura escrava dentro da família Senhorial.
Já Slenes mostra o papel ativo das mulheres dentro da organização não apenas como estabilizadora, mas também como fator do desequilíbrio da ordem senhorial.
As escravas negras das casas grandes podiam prejudicar suas sinhás, pois era grande o ódio que elas nutriam. E isso acontecia não sem razão, pois, por ciúmes as negras mais jovens eram cobiçadas por seus senhores, assim a sinhá fazia de tudo para deixar evidente qual era o seu papel dentre de casa.
Muitas vezes, os sinhozinhos faziam com a escrava suas primeiras experiências sexuais, mais por pura maldade as sinhás mandavam castigá-las, furando-lhes os olhos, cortando os mamilos, arrancando unhas, cortando as orelhas, queimavam seus corpos com ferro quente, deformando etc. Algumas vezes chegavam mesmo a lhes tirar a vida. Todos os castigos eram dolorosos e amedrontadores, as senhoras costumavam inserir estes castigos por ciúmes, para que as escravas ficassem com péssima expressão física.......

RACHEL ARAÚJO DA SILVA

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de A Mulher Escrava para adicionar comentários!

Comentário de Rachel Araújo da Silva em 2 dezembro 2012 às 21:20

Valeu Wladimir conferir o livro e realmente é 10!!!!

Comentário de JOSÉ ANTONIO FERNANDES em 30 novembro 2012 às 8:28

Boa dica Wladimir, eu já ouvi comentários sobre esse livro, mas ainda não tive tempo de ler.

Comentário de Wladimir Gomide em 29 novembro 2012 às 22:18

Agradeço o convite para filiar-me a teu grupo, que apreciei bastante. O texto de entrada é instigante.

Apesar de minha condição de não-Historiador, permita-me deixar uma contribuição ou dica. 

Trata-se de uma pesquisa monumental, inclusive iconográfica  - não especificamente sobre a Mulher Escrava -   mas sobre "Mulheres Negras do Brasil", de Schuma Schumacher & Érico Vital Brazil. Co-edição da Editora SENAC e REDEH (Rede de Desenvolvimento Humano). RJ, 2006.

Como dizem seus autores na apresentação, "Mulheres Negras do Brasil significou para nós um mergulho em contundentes silêncios da historiografia brasileira. Saltamos à procura de das personagens femininas de origem africana, seguimos em busca de representações, imagens, cenários e contextos daquelas que foram anonimamente co-responsáveis pela construção de nosso país".

Confiram!

 

Comentário de cleverton teles de oliveira em 22 março 2012 às 15:46

primeiramente ola, parabenizo a criadora desse fórum, um ótimo tema e muito relevante atualmente, a mulher escrava, que pode ser contada desde a memoria ate contexto socioeconômicos.

Comentário de Jorge Roberto Oliveira Machado em 15 março 2012 às 10:33

Se a mulher "livre" sempre foi posta em 2º plano em nossa sociedade, desde o início da história do Brasil, imagine a mulher escrava!

Comentário de geni mafra souza em 14 fevereiro 2012 às 12:42

Olá Cláudia,

Parabéns pelo tema que me fascina demais...imagino, se é que é possível, o que passavam as jovens negras nas mãos de seus senhorios e suas "consortes"...e ainda tem quem pegunte: " o porquê das cotas"...

 

Comentário de Claudia Santiago Santos em 16 fevereiro 2011 às 22:02
Ola....assim  que possível estarei enviando um trabalho realizado por mim, sobre a mulher escrava e suas formas de resistências e estratégias na sociedade escravocrata. Esse meu trabalho foi tema na minha dissertação de graduação. inte...
Comentário de GEANE FERNANDES em 8 janeiro 2011 às 13:27
olá! gosto de estudar sobre este tema gostaria de saber nomes de livros referente a este assunto da mulher escrava
Comentário de Maria Lúcia de Araújo em 19 dezembro 2010 às 20:58

Olá ! Esse é um tema que gosto muito de ler e discutir, sobre a questão do escravismo, as formas de resistência e o papel da mulher escrava no Brasil. É um ótimo tema. Saudações!

Comentário de Ludmila Pena Fuzzi em 17 outubro 2010 às 11:31
Criei uma página em que trato de assuntos históricos, meu blog é dividido em páginas temáticas: História Social, História da Morte, Histpriografia, Metodologia de Pesquisa (Muito Importante para Universitários e Outros), Artigos e Texto dentre outras coisas... Tem muito material bom, minha contribuição para a história.. EM BREVE irei atualizar minha página referente aos estudos da escravidão, meus Mestrado!

Acessem: http://profludfuzzi.blogspot.com/ Podem fazer pedidos pelo Fale Conosco!
 

Membros (148)

 
 
 

Links Patrocinados

Membros

Cine História

Tarja Branca

Está em cartaz em cinemas brasileiros o documentário de estréia do brasileira Cacau Rhoden. 

Sinopse: A partir dos depoimentos de adultos de gerações, origens e profissões diferentes, o documentário discorre sobre a pluralidade do ato de brincar, e como o homem pode se relacionar com a criança que mora dentro dele. Por meio de reflexões, o filme mostra as diferentes formas de como a brincadeira, ação tão primordial à natureza humana, pode estar interligada com o comportamento do homem contemporâneo e seu "espírito lúdico". 

documento histórico

Guerra dos Trinta Anos: Confira o mapa histórico sobre a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), uma das maiores guerras da história da Europa Moderna. 

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }