Informação

A Gripe Espanhola

Esta pandemia, conhecida por Gripe Espanhola, matou mais de 20 milhões de pessoas.

Membros: 13
Última atividade: 5 Fev

A Gripe Espanhola

1918 - uma variação letal do "virus influenza" espalha-se por todos os continentes. Esta pandemia, conhecida por "gripe espanhola", dizimou mais de 20 milhões de pessoas.
Foi a mutação de um virus presente em aves que deu origem à pandemia mais devastadora da história da humanidade.
Sintomas:
- dores de cabeça insuportáveis
- ardor nos olhos
- arrepios de frio
- febre muito alta, que deixava as vítimas de cama.
O doente tossia e cuspia sangue, passava a sentir dificuldades respiratórias, os pés ficavam com uma coloração negra e a face em tons vermelhos arroxeados.
O sofrimento tanto durava horas como dias, até a pessoa morrer com os pulmões cheios de secreções avermelhadas.

É muito difícil de contabilizar o número de vítimas, uma vez que era dificil fazer / apresentar uma estatística de óbitos dessa época.


A epidemia começou por ser uma gripe comum, em Fevereiro de 1918.
Entretanto desapareceu, reaparecendo em Setembro, quando se tornou letal. uma das primeiras cidades a ser atingida pela gripe foi San Sebastian, em Espanha.
Daí advém o seu nome.
A doença rapidamente se alastrou a outros países e continentes.

Fórum de discussão

2009 - Gripe A

Iniciado por Cláudia Vieira Braz 14 Maio, 2009. 0 Respostas

Caixa de Recados

Comentar

Você precisa ser um membro de A Gripe Espanhola para adicionar comentários!

Comentário de Rosineide de Melo Gama em 29 janeiro 2011 às 16:37

Olá, sou mestranda do curso de História da UFAM, minha dissertação é sobre a Gripe esapanhola em Manaus, defendo em Novembro de 2011. E estou feliz sabendo que não sou a única a perceber que esse tema pode ser historicizado. agradeço se de alguma forma poderem me ajudar!

Rosineide Gama

 

Membros (13)

 
 
 

Links Patrocinados

EVENTO EM DESTAQUE

Cine História

Saint Laurent

Acaba de chegar aos cinemas o filme "Saint Laurent", de 

Sinopse: Entre os anos 1967 e 1976, o estilista Yves Saint-Laurent (Gaspard Ulliel) reinou sozinho no mundo da alta costura francesa. Esta biografia mostra o seu processo criativo, as fotografias e entrevistas polêmicas, a relação com o marido e empresário Pierre Berger (Jérémie Renier), os casos amorosos extra-conjugais e a relação com o álcool e as drogas, que quase destruíram o império da marca YSL.O avô húngaro de Alex Levy Heller, diretor e roteirista deste documentário, teria escondido um relógio Patek Philippe com seu irmão mais velho antes de ser preso no campo de concentração de Auschwitz. Na busca por esse objeto, Alex faz duas viagens: Uma até a Polônia - atual Romênia e a Israel - usando o relógio como pretexto para descobrir mais sobre a história da sobrevivência de sua família. Na outra, ele entrevista sobreviventes do Holocausto que vieram morar no Brasil, resgatando as memórias dos sobreviventes desse período negro da história

café história acadêmico

Arte: Leia, na íntegra e gratuitamente, o livro “A Era de Caravaggio.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }