Se o Império Romano ocidental tivesse sobrevivido seríamos mais avançados ?

O Império Romano era riquíssimo em todas as áreas do conhecimento tão como  arte,cultura e ciência e apresentava um grau de desenvolvimento elevado comparando com a época.   Havia aquecimento em Roma, a sua arquitetura é tão poderosa que existe até hoje e muito do conhecimento desenvolvido tornou-se base das civilizações modernas. Após a sua queda a humanidade enfrentou a idade das trevas e regressou consideravelmente, as sociedades posteriores tentaram de certa maneira restaurar o pensamento greco-romano através da  arte,ciência e literatura.  

Caso o Império Romano Ocidental tivesse sobrevivido seríamos mais avançados ? Se a idade média não tivesse ocorrido seríamos civilizações mais desenvolvidas ? 

Exibições: 644

Responder esta

Respostas a este tópico

É sempre complicado falar no condicional histórico ("se").

Mas neste caso acho que é claro: não há uma linha linear de desenvolvimento dos Romanos até nós.

Mas o Império Romano continua a existir, inclusive existem historiadores que defendem esta tese! E não precisa ir muito longe para vermos que ele ainda existe: nosso direito é romano, os idiomas ocidentais são neolatinos (mistura de línguas bárbaras, indígenas, anglo-saxões e nórdicos com o latim), etc! Até a Bíblia descreve que o Império Romano teria mais de uma fase (Daniel 2, 7; Apocalipse 17). 

Mas, O Renascimento cultural tenta de certa formar recuperar e "desenvolver" a cultura greco-romana . Pois, o homem renascentista imergia de uma era na qual não houve um grande desenvolvimento humano ou científico. Ele precisa se "apoiar em algo". Apesar não haver uma linearidade, o conhecimento, a cultura greco-romana serviram de base e inspiração para as sociedades que estavam imergindo. 

Eu estava fazendo uma pesquisa; e as primeiras pesquisas sobre "átomo" surgiram na Grécia antiga.  Isto demostra o desenvolvimento de tal sociedade; um assunto que veio a ser debatido por nós muito tempo depois. 

Boa noite,caros leitores

Os avancos e recuos da Història è que provovam o seu progresso.

O Império Romano era uma imposicao,logo nao podem os povos sob um jugo progredir como se o nao tivessem ,mesmo quando nao vemos esse progresso,ele existe.

Por outro lado os paìses que eram as colònias(Peninsula Ibèrica,Franca,e Romènia) deste impèrio,provocaram outros

impèrios.

Impèrio Portugues,Espanhol e Frances.

Agora existe um outro impèrio; a Uniao Europeia.

Cumprimentos

O Império Romano do Ocidente tinha atingido um estágio de estagnação e declínio quando caiu. Do contrário, teria sobrevivido. O mito da Idade Média como uma "era das trevas" que teria atrasado a Europa foi amplamente derrubado por vários historiadores.

Estamos tão condicionados à cultura greco-romana que esquecemos de outras civilizações igualmente evoluídas e que deixaram seu legado a civilizações posteriores. A expansão do Império Romano, a megalomania de seus Imperadores foram fatais para o legado cultural romano. Todos falam do Direito Romano e de seus avanços na matéria. Antes dele vieram as leis de Hamurábi, a Lei das Doze Tábuas. O Êxodo é uma verdadeira constituição e o Levítico as leis constitucionais. O que chamamos de Idade Média deve ser considerada em toda a sua amplitude e não só do ponto de vista religioso. O auto do livro A História do pensamento científico diz na sua introdução que os grandes cientistas, aqueles que tiveram os grandes insigths, só o tiveram por conta das construções de pensamentos anteriores. Temos que desconstruir essas fases bem determinadas da História para percebermos a caminhada da humanidade.

Acho que não pois toda cultura tem a sua aquisição de evolução.E há muitas misturas de culturas no qual se passava atraves das conquistas de um povo sobre o outro.Havia tambem muitas lutas e guerras para se conquistar novas cidades havendo misturas de civilização e culturas.

Essa época estava condicionada também a governantes excêntricos, que com suas ordens tudo mudava, existia ou se destruía. Nero botou fogo em Roma? Calígula que deu a seu cavalo o título de Cônsul, com grandes extravagâncias, corrupções, a história de Heliogábalo, que conseguiu enrubescer os cidadãos quando se vestiu de prostituta e fez um discurso militar para um grupo de meretrizes, que foram sequestradas pela guarda romana. Acho que apesar desse desenvolvimento adiantado pra época, temos também outros exemplos que apesar de completamente distintos, mostram de certa forma desenvolvimento,  mas escorregam na culta excêntrica como os incas, maias e astecas. Como deslocavam grande pedras e as encaixavam tão perfeitamente? Acho que a excentricidade os derrubou!

Gabriel. Oi!

O Império romano permaneceu mesmo após a queda de Roma em 476. Quando houve a divisão entre império romano do Ocidente e Oriente no século IV, a cidade de Constantinopla passou a ser um novo núcleo de conhecimento.Imperadores como Justiniano e seu código de Direito são exemplos,só que já era um império cristão. As invasões bárbaras a partir do século III, só expressavam a dinâmica das sociedades. E a Igreja Católica foi uma instituição que preservou conhecimentos da antiguidade em suas bibliotecas. Essa ideia de "Idade das Trevas" não condiz mais com o saber histórico do medievo,haja vista que houve grande produção de conhecimento. A fusão cultural entre romanos e germânicos foi ocorrendo como um processo que implicou na própria cristianização.

É fato que Roma era avançada em arquitetura e engenharia, mas perceba que deixou um grande legado às sociedades ocidentais posteriores. Mas devemos lembrar que os gregos também eram, os macedônios, os assírios,sumérios,Egito.Todos deixaram fantásticos legados em todos os campos do conhecimento. 

Esse assunto entra em um enigma curioso. Na Mesopotâmia (Babilônia e região) foram encontrados cálculos matemáticos bem avançados, muito mais avançados que no Egito. Se o Império Babilônico não tivesse diluído, seríamos mais evoluídos? Eu teria uma explicação para isso, mas não irei postar aqui pois faz parte da minha convicção religiósa.

De certa forma, mais metafórica, o Império Romano do Ocidente não deixou de existir quando oficialmente se diz que deixou. Os Estados Papais logo se constituíram, sob a égide de um império que se quis afirmar romano, mas que não tinha relação direta com o anterior (assim como o que lhe seguiu, o Sacro Império Romano). Houve a fusão de culturas, instituições e povos germânicos invasores e os romanos; a Igreja Católica, de certa forma, foi a sobrevivência espiritual de Roma. Até os chamados "renascimentos" foram nada mais do que reforços daquela cultura clássica, pagã mesmo, que sempre existiu entocada. E foi justamente do mais famoso destes renascimentos que veio a surgir a semente da nossa ciência contemporânea.

Por mim, estou em crer que se o Império Romano (ocidental e oriental) não tivesse sido invadido pelos diversos povos bárbaros ou tivesse logrado repelir esses povos, a humanidade em geral estaria hoje bem mais desenvolvida e civilizada. Isto em potência, pois não sabemos que caminhos esse desenvolvimento percorreria e onde nos levaria. Mas, em princípio, há razões para crer que a humanidade estaria bem melhor.

Há duas hipóteses/visões opostas: 1 - a queda de Roma foi uma transição largamente pacífica e conduziu a uma transformação cultural positiva. 2 - a queda de Roma foi resultado de invasões atrozes que resultaram numa idade de caos e de regressão civilizacional por séculos.

Inclino-me para a visão 2, sob influência da obra recente de Bryan Ward-Perkins "A Queda de Roma e o Fim da Civilização", 2005, que revela o descalabro dos padrões de vida das populações do império sob domínio bárbaro, em parte para níveis pré-históricos...

Finaliza este autor a sua obra: "O fim do Ocidente romano foi testemunha de horrores e perturbações de um tipo que sinceramente espero nunca ter de viver; e destruiu uma civilização complexa, atirando os habitantes do Ocidente de volta a um padrão de vida típico da época pré-histórica".

Julgo que a este descalabro ocidental há que juntar a tragédia da expansão islamita que acabou por liquidar o ramo oriental do império e destruiu a antiga harmonia mediterrânica separando o norte de África do sul da Europa, gerando conflitos e tensões civilizacionais de que o presente é testemunha trágica... (já para não falar na liquidação do império neopersa Sassánida... outro retrocesso civilizacional, julgo eu).

RSS

café história acadêmico

Lançamento: A 13ª Edição da Revista Ars Histórica está no ar cheia de novidades. Nesta edição, os leitores encontrarão o dossiê "Império Português em Perspectiva: Sociedade, Cultura e Administração (XVI-XIX)" apresentado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Jucá, PPGHIS-UFRJ. Clique aqui para conferir na íntegra.

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Vídeos

  • Adicionar vídeo
  • Exibir todos

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. cafehistoria@gmail.com

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }