Hoje no noticiário da TV o papa Bento XVI declarou que dinheiro não tem nenhum valor,apenas Deus é a riqueza para o homem.Creio em Deus e encontro conforto nele,mas como o chefe de um estado que é um reino de ouro e finanças,que se alimenta com talheres de ouro delara que recursos financeiros desagradam a Deus?Quem desejar opinar poderia me esclarecer.Sonia Regina Lomardo

Tags: Bento, Deus, Vaticano, XVI, papa, riquezas

Exibições: 1059

Responder esta

Respostas a este tópico

Sua opinião leva-nos ao debate, o Vaticano é um Estado, todo poderoso, nem com a crise financeira mundial, o Vaticano se abala, tem um grande poder financeiro.
Deus não precisa de dinheiro, a fé não é comércio, enquanto o Vaticano poderia distribuir suas riquezas aos países pobres e aos povos necessitados!
Alcebíades,você falou exatamente o que penso.Nenhuma igreja,seja ela qual for,que creia em Deus,necessita de tanta riqueza como a que se sabe do Vaticano.Aceito sim,que qualquer tipo de instituição necessite de recursos para manter-se,mas daí a ostentação que se nota no órgão máximo da Igreja cátólica,chega a ser uma ofensa ao nome de Deus que quando nos enviou Jesus,foi como um homem simples e pobre.O Vaticano e seus governantes,em minha opinião são hipócritas e,jamais,souberam o que seja caridade.Com as riquezas que têm poderiam sanar a fome e a miséria de uma enorme parcela da população.E o papa declara que dinheiro não importa....
O problema é que o materialismo ( além corrupção vinda das tentações surgidas pelas facilidades de se obter o que quiser, vindas com a credibilidade cega dos fieis em seus líderes) tem contaminado todas as fés. A começar pela já caricata (tanto que já foi debochada) idéia do dinheiro demonstrar a fé da pessoa perante Deus. Onde quanto mais oferece à Igreja, mais fé demonstra é o que se prega, principalmente entre as igrejas que defendem a teologia da prosperidade. O que tem feito muitas igrejas se tornarem verdadeiros impérios economicos, donas (direta ou indiretamente) não só de meios de comunicação, como até mesmo de instituições com fim especifico de lucro.
Bom dia, Sônia!

Tudo bem? Só uma pequena correção: a grafia correta da palavra é riqueZa e não riqueSa.
Eu consertei no título, mas no texto do fórum só você pode alterar, ok?

abs! =)
Procópio!

Com certeza obras sociais existem para que se diga que eles as estão realizando...mas será necessário que o chefe da Igreja que se diz de Jesus se alimente com talheres de ouro,viva em palácios?Quando da visita deste senhor ao Brasil foi divulgado que estavam providenciando enxoval para que ele dormisse, bordado com monogramas cujas "linhas" eram fios de ouro,assim como seus chinelos!!!E isto para dormir por dois dias....

...e os paramentos,a ostentação que Jesus jamais pregou,ao contrário, o que ele pediu aos seus apóstolos foi que se despojassem de tudo:suas vestes,suas posses e o seguissem apenas com a roupa do corpo,um alforje com pão e um cajado para os sustentar na caminhada.

Que palácios são aqueles?Que catedrais são as que expõe sempre todas as construções revestidas em ouro?.

Meu amigo, quem ajuda ao próximo não se preocupa com ostentação, pelo contrário, nem permite que se faça alarde de suas ajudas."Que sua mão direita não saiba o que faz a sua mão esquerda".

Mantenho minha opinião sobre a "caridade" do Vaticano!!!

Um abraço!

Sonia Regina.
OK,DEVERIA MATAR A FOME DE MILHÕES DE CRIANÇAS,JA Q O DINHEIRO NÃO IMPORTA,DISTRIBUIR TUDO ENTRE OS FAMINTOS DO MUNDO.
Esta declaração do papa Bento XVI é muito contraditório,pois,na bíblia Jesus expulsa os mercadores da igreja dizendo que não queria o comércio e as suas riquezas na casa de Deus.Sendo assim o acúmulo de riquezas que se encontra hoje dentro do Vaticano é enorme, e o interessante é que este poder financeiro não está sendo divido com os países mais pobres onde a fome,a miséria e a falta de estruturas vem aumentando continuamente.Como sempre estas autoridades religiosas,que se julgam autoridades,sempre tomaram uma posição de neutralidade abdicando destas questões sociais que afetam o mundo.
Olá Fabian!

Desde a época de Jesus é mais cômodo 'lavar as mãos"!

Opinião requer atos e é exatamente isto o que menos interessa a essas pessoas!!!

Um abraço!

Sonia Regina.
querida Sonia; o povo brasileiro possui um ditado popular que diz: "fazes o que digo, mas não fazes o que faço"! creio em Deus Pai, no filho e no Espírito Santo; agora, na santa Igreje Católica Apostolica Romana, nessa não. a eleição desse homem intitulado papa, pode ser acompanhada por todos os interessados na religião, e o que ficou claro, foi que, assim como em qualquer processo legislativo predominou os interesses economicos de uma instituição.
Para mim isso é uma vergonha, até mesmo os principios de seus santos como por exemplo São Francisco de Assis, são negados pelo Vaticano.
Vale ressaltar que essa ideologia pregada pela cupula da instituição Católica, serviu e serve ainda hoje como fonte de enriquecimento de seus líderes.
P. S. : existem tambem outras instituições que se aproveitam dessa estratégia para conseguirem poder!
Olá Milton!

Com certeza,a maioria das religiões visa apenas o enriquecimento e o poder de seus líderes,com algumas,muito poucas, ressalvas.

Negar São Francisco de Assis é uma forma de desviar a atenção de quem ,em nome de Deus, abriu mão de toda sua riqueza para fazer o bem a todos,homens e animais.

Em nome de Deus essas religiões pretendem apenas o bem-estar de sua cúpula e a humanidade empobrecida que tente fazer o mesmo ou então que morra de fome ...e isso não é de hoje,vem pela história da maioria dos povos!

Um abraço!

Sonia Regina.
sonia, DEUS é isso mesmo eles nao mudam nada. somos é ums mortais e eles digo papas e papizas são imortais até sair ou melhor vir santa fumaça... só assim
Andre Luis!

Mudam os papas ,mudam os tempos mas a ganância é sempre a mesma!!!

Um abraço!!

Sonia Regina.

RSS

Links Patrocinados

Cine História

Era uma vez em Nova York

Acaba de chegar aos cinemas brasileiros o filme "Era uma vez em Nova York", do diretor James Gray ("Amantes", "Os Donos da Noite").

Sinopse: Em 1921, as irmãs polonesas Magda (Angela Sarafyan) e Ewa Cybulski (Marion Cotillard) partem em direção a Nova Iorque, em busca de uma vida melhor. Mas, assim que chegam, Magda fica doente e Ewa, sem ter a quem recorrer, acaba nas mãos do cafetão Bruno (Joaquin Phoenix), que a explora em uma rede de prostituição. A chegada de Orlando (Jeremy Renner), mágico e primo de Bruno, mostra um novo amor e um novo caminho para Ewa, mas o ciúme do cafetão acaba provocando uma tragédia.

café história acadêmico

Maquiavel: confira na íntegra a dissertação "O Fantasma de Maquiavel: Antimaquiavelismo e razão de Estado no pensamento político ibérico do século XVI", defendida por Bruno Silva de Souza, Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }