Pra quê serve a História? Pergunta comum dentro de uma sala de aula enquanto um professor extenuado tenta dar continuidade a mais uma aula... Eu mesma já fiz a irônica indagação e hoje me vejo estudando para ser historiadora. Acho que sem a produção histórica seríamos como um alguém que sofre de amnésia profunda, como uma sociedade sem identidade, que não sabe como chegou a ser o que é, muito menos o que pode vir a ser. História é memória, reflexão sobre esta memória e criação de novas memórias...

Exibições: 57

Responder esta

Respostas a este tópico

Sara, acrescentando a sua escrita, complemento que o presente nada mais é do que uma consequência do passado.
Exatamente Sara. Este seria o primeiro passo para mostrar aos alunos a importância da História em suas vidas, onde conhecer o passado significa entender e modificar o presente.
olá,

Que pergunta complicada!
Normalmente existe o discurso seguinte: "estudando o passado, se compreende o presente e traça caminhos para o futuro".
Que lindo não é??
isso foi aplicado nas sociais democracias pelas classes dirigentes e todos sabemos o que aconteceu!

acredito que a história não é nada mais do que a troca de experiência humana e a busca incessante pelas compreensão do mundo, pela tentativa de entender o tempo que não nos é mais intimo.
É o dar forma a algo completamente desforme, dar lógica ao completo caos e é o ressuscitar pela linguagem.

eu acho que é isso,
que coisa né?
depois dizem por aí que a matemática que é difícil!


até mais
Gostei! Se juntarmos a sua definição, a minha e a da Marlucia fazemos uma poesia... Concordo com você. estudar e compreender História é muito mais difícil do que parece, justamente por sua flexibilidade, que abre espaço a inúmeras e cada vez mais ousadas questões e revisões do que já se sabe ou pensa-se saber.

RSS

Links Patrocinados

EVENTO EM DESTAQUE

Cine História

Saint Laurent

Acaba de chegar aos cinemas o filme "Saint Laurent", de 

Sinopse: Entre os anos 1967 e 1976, o estilista Yves Saint-Laurent (Gaspard Ulliel) reinou sozinho no mundo da alta costura francesa. Esta biografia mostra o seu processo criativo, as fotografias e entrevistas polêmicas, a relação com o marido e empresário Pierre Berger (Jérémie Renier), os casos amorosos extra-conjugais e a relação com o álcool e as drogas, que quase destruíram o império da marca YSL.O avô húngaro de Alex Levy Heller, diretor e roteirista deste documentário, teria escondido um relógio Patek Philippe com seu irmão mais velho antes de ser preso no campo de concentração de Auschwitz. Na busca por esse objeto, Alex faz duas viagens: Uma até a Polônia - atual Romênia e a Israel - usando o relógio como pretexto para descobrir mais sobre a história da sobrevivência de sua família. Na outra, ele entrevista sobreviventes do Holocausto que vieram morar no Brasil, resgatando as memórias dos sobreviventes desse período negro da história

café história acadêmico

Arte: Leia, na íntegra e gratuitamente, o livro “A Era de Caravaggio.

Parceiros


Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }