O que você achou da proposta da Base Nacional Comum Curricular de História?

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) foi divulgada pelo Ministério da Educação, através da Secretaria de Educação Básica, em setembro de 2015, apresentando componentes curriculares sujeitos à consulta pública através de um portal online, aberto para este fim até dezembro. O documento provocou uma enorme polêmica, especialmente no que tange a descentralização do tempo como eixo organizacional deste currículo e de experiências históricas da antiguidade e do medievo. 

Conheça o BNCC de história:

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/conheca

Conheça a crítica da ANPUH-RJ:

http://rj.anpuh.org/arquivo/download?ID_ARQUIVO=60969

Exibições: 1114

Responder esta

Respostas a este tópico

Achei a base proposta muito ruim, não só em História, mas em outras matérias também (Matemática, Ciências, etc.). 

Oi, Marcelo. Tudo bem? O que você achou ruim em história?

Prezado Bruno,

  Primeiro, tenho uma crítica geral ao formato da BNC em todas as matérias (não só História). Especificamente, não há uma descrição detalhada dos conteúdos a serem ensinados em cada ano ou, melhor ainda, a cada bimestre, que sirva de guia para o professor. Ao invés disso, a BNC lista objetivos (outcomes) que devem ser alcançados e enuncia esses objetivos muitas vezes de forma genérica sem uma forma concreta de avaliar se o objetivo foi alcançado ou não.  Esse modelo de currículo baseado em outcomes foi experimentado em outros países e fracassou completamente, levando depois a um retorno a currículos tradicionais baseados em conteúdos.

Segundo, especificamente em relação à BNC de História,  minha crítica é a mesma de todo mundo, ou seja,foi praticamente ignorado o processo histórico de formação da sociedade ocidental, que passa pela antiguidade clássica, pela Idade Média europeia e a transição do feudalismo para o capitalismo mercantil, pelo Renascimento e pela Reforma, pelo absolutismo monárquico e o iluminismo, pela revolução industrial e as revoluções liberais, e pela contestação socialista ao pensamento liberal. Ao mesmo tempo, a história da América por exemplo, inclusive a colonização europeia e o processo de independência, são estudados de forma isolada sem referência à história da Europa, o que não faz sentido.

Ao invés de repetir os mesmos argumentos que já foram repetidos exaustivamente na imprensa, sugiro a leitura da coluna abaixo publicada em um jornal de São Paulo, com a qual concordo plenamente.

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2015/11/1703011-proposta-...

Bom dia Bruno,

Não estou conseguindo acessar a "crítica da ANPUH RJ"....oferece a tela de login, só para sócios.
Poderia disponibilizar aqui na plataforma para nós ou outro método de download.

Obrigado!

Olá!

Há um texto divulgado em nome da Anpuh - Rio, mas que não corresponde a opinião de todos(as).

http://site.anpuh.org/index.php/bncc-historia link com a discussão.

Texto divulgado: http://rj.anpuh.org/arquivo/download?ID_ARQUIVO=60972

Obrigado Carla. Estou ciente de que não é unanimidade, mas é importante justamente por isso. Att

Caros,

Fiz a primeira avaliação sobre a BNCC que está no post a seguir: https://www.youtube.com/watch?v=w0UT76twHSQ

Aguardo os comentários.

Um abraço, Prof. Damião de Lima

A proposta não
A.proposta está pior pois não tem lógica e sem eira e nem beira é sem direcionamento de conteúdos e aí é onde a educação se desestruturada ainda mais

Prezados colegas, embora não concorde com as ideias políticas do Professor Magnoli, assumidamente um intelectual de direita (embora inteligente...), estou de pleno acordo com a sua crítica a a este famigerado currículo, expressa nos artigos publicados nos jornais O GLOBO e FOLHA DE S. PAULO. Ao abolir a visão geral da História e suas articulações com as Histórias nacionais, os "gênios" do MEC deram ênfase à não tão nova "moda" do multiculturalismo e sepultaram o processo dialético da História. Pobres de nossos alunos, que seriam (são?) obrigados, por exemplo, a estudar a História da África, quando ao que se deveria dar importância é à História da escravidão negra no Brasil e seus efeitos, tais como o forte e disfarçado racismo brasileiro, cujas demonstrações vemos nos meios de comunicação, nos estádios de futebol, nas ruas e nas redes sociais quase todos os dias. Um abraço a todos.  

Primeiramente todos nós podemos opinar sobre a BNCC e dessa forma contribuir com a proposta, no sentido de discordar ou concordar. A questão da temporalidade é deixada de lado, mas será que essa proposta é de toda ruim? Não tenho uma opinião formada, todavia penso que deveríamos considerar além de todos os questionamentos levantados, se a proposta em discussão será atrativa para os alunos? Os alunos terão a capacidade de relacionar o que ensinado com o mundo a sua volta? Será que temporalidade linear, com tudo bem dividido é a melhor forma? Como será os vestibulares o enem, caso a proposta seja implementada?
Creio que a intenção é válida porque a discussão sobre a proposta entrou em pauta e com isso gerou o debate e a reflexão, entretanto, antes de discutimos teorias, conceitos, métodos e ideologias, cabe uma pergunta: Essa proposta, ou qual proposta, será atrativa para o ensino-aprendizagem dos alunos?
Espero ter contribuído com o debate. 

Com certeza contribuiu, Egnaldo. No departamento de história da UFF, do qual faço parte, acabou de ser criado um observatório para discutir a base comum. Em breve, trarei mais novidades. 

RSS

café história acadêmico

Lançamento: A 13ª Edição da Revista Ars Histórica está no ar cheia de novidades. Nesta edição, os leitores encontrarão o dossiê "Império Português em Perspectiva: Sociedade, Cultura e Administração (XVI-XIX)" apresentado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Jucá, PPGHIS-UFRJ. Clique aqui para conferir na íntegra.

bibliografia comentada

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. cafehistoria@gmail.com

dicas de dezembro

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }