Estou abrindo este fórum na perspectiva de encontrar camaradas que nos ajudem a aprofundar esta perspectiva da atualidade de Karl Marx para entendermos a burguesia do século XXI, o imperialismo e a resistência necessária.

Exibições: 2465

Responder esta

Respostas a este tópico

Meu saudoso professor Scherigatti - História, Geografia e OSPB - já dizia : Marx e o comunismo acabaram nos primeiros minutos do dia 18 de Outubro de 1917 assim que os que usavam o marxismo  para engambelar ao povaréu conseguiram se aboletar no Kremlin...

Marx já era. Um elemento da história apenas. Assim com Virgulino Ferreira, Pinochet, Garrastazu Médici, Che, Napoleão e " et caterva". Teve lá sua importância e em algumas coisas ainda influi ( mas isso até Hitler consegue...).

Uma curiosidade literária que conseguiu ter  certo impacto na história - sem nenhum resultado benéfico próprio diga-se.

Uma coisa boa  se pode dizer de Marx: Suas idéias corrigiram a rota capitalista. Sem querer, ele tornou o capitalismo da Revolução Industrial mais palatável, mais humano. Creio que até por  medo da patuléia, do povaréu ensandecido pelos intelectuais  comunistas, os capitalistas aprenderam a fazer concessões. Tipo assim "bicho papão"...

Não seria justamente o contrário? A revolução russa iniciou a era do socialismo, confirmando Marx.

Interessante essa dicotomia: intelectuais petistas e comunistas espertos X povaréu ensandecido. Napoleão, Che, Pino-che. Cambalache.

http://www.youtube.com/watch?v=vH6_jzFlkFg

Branca: curioso que de certa forma, Luciana Genro e muitos marxianos de universidade como José Chasin pensam como Scherigatti. Genro fala em Marx revirando-se no túmulo. Que ridículo. Vexame não é um reacionário pensar assim, é um dito professor universitário especialista em Marx repetir essa asneira em meio a suas doutas lérias.

Dizer que Marx "já era" é converter o pensamento histórico em juizo subjetivo do gosto ou lição de moral. Marx está no tempo, sua influencia sobre os contemporâneos e os posteriores é inegável. Sua presença no pensamento cientifico contemporâneo é também inegável. E mais: Marx não serve para ser corrigido. Toda a inteireza de seu pensamento se coloca como interpretação de uma época, com as contradições próprias dessa época.

É historicamente comprovado que Marx causou um terremoto na história em que viveu e no pensamento no qual militou que era o materialismo histórico. E a grande lição de Marx para nós historiadores está no método que ele criou para revelar ao mundo como que a história se fazia por rupturas profundas, cujas causas estavam nas transformações da base econômica, nas relações entre infra-superestrutura, e.t.c.

Esse é o legado de Marx. A história que olhamos sob o seu visor, ou a sua aparelhagem mental (Chartier), é a história das mudanças, das lutas e dos conflitos sociais e políticos. Ele integrou esse perspectiva em suas avaliações das tendências históricas e tentou prognosticar que tipo de organização social seria melhor para o homem viver. Concluiu que era o comunismo e que haveria etapas para chegarmos até lá...

Essa parte de seu pensamento tem a haver com as suas crenças e escolhas subjetivas. Obviamente, a história do socialismo não confirmou os prognósticos de Marx, mas não é por isso que ele não é importante. Pelo contrario, as suas paixões em torno da emancipação dos trabalhadores o tornam um observador especial dos acontecimentos. Agora, soma-se a essa paixão o seu brilhantismo de cientista social, ai temos um dos maiores pensadores de todos os tempos. 

Não devemos olhar para Marx com olhares severos de juízes que sabem tudo porque viveram depois dele. Devemos olhá-lo como um estudioso que buscava identificar regularidades no movimento da história, sentido nas revoluções sociais, e uma finalidade para a organização social. Sua paixão pelo homem o coloca entre os grandes pensadores!   

Sua paixão pelo homem o coloca entre os grandes pensadores!

Sobre Marx...

Marx não estava nem ai para o homem como indivíduo. De fato considerava o indivíduo uma ameaça, tanto que  em praticamente  nenhum escrito dá ao indivíduo o direito de alguma escolha. Tudo se resumia a um coletivo, decidindo por todos, impondo tudo.
Sempre  e sempre nos plurais e coletivos:  - O povo, o proletáriado, as classes, os operários - quase  nunca o homem, o cidadão, o direito individual a isso ou aquilo. Direito pressupõe poder ter algo para sí, assegurar ter algo legitimamente e isso contraria a idéia de que ter individuamente alguma coisa é crime...

Branca, vc não entende nada de Marx e nada sobre nada, nada sobre História. Apenas fica com esse papo de boteco.

Ao contrário do que muitos pensam, Marx não escreveu O Capital pq acha que "tudo é economia". Ele queria era liberar as pessoas da economia, da necessidade. 

Acredito sim, pois sua teoria é relevante, pra mudar o sistema. Apesar de hoje está complicado pelo simples fato de que Comunismo e Capitalismo podem caminhar juntos, como acontece na China. E ao longo tempo não vimos mais cientistas políticos desde Nietzche tentar mudar algo. Ele pode ser usado sim, mas não como um opositor meia tigela, que alguns conservadores o rotulam.

Marx é atual, o Brasil é semi-feudal, não votem!

http://fippraieira.blogspot.com.br/2014/10/nao-vote-lute-pela-revol...

Sérgio, Karl Marx é atual para se compreender a História, porém não se pode aplicar integralmente as suas ideias na atualidade, pois a teoria marxista se embasou no capitalismo e na realidade do século XIX. Não quero dizer que suas teorias não tem validade, tem sim, porém é necessário redimensioná-la, isto é, ampliá-la para a realidade, pois o sistema capitalista na época de Marx ainda era industrial, hoje o capitalismo é financeiro e monopolista, quem rege o capitalismo é o mercado, juntamente das empresas e dos bancos que o sustentam.

não há marxismo fora do maoismo!

RSS

café história acadêmico

Lançamento: A 13ª Edição da Revista Ars Histórica está no ar cheia de novidades. Nesta edição, os leitores encontrarão o dossiê "Império Português em Perspectiva: Sociedade, Cultura e Administração (XVI-XIX)" apresentado pelo Prof. Dr. Antonio Carlos Jucá, PPGHIS-UFRJ. Clique aqui para conferir na íntegra.

bibliografia comentada

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

Atenção!

O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

Fale Conosco

Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. cafehistoria@gmail.com

dicas de dezembro

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }