Para mim ele foi judeu ,talvez um asquenazi.

Exibições: 2125

Responder esta

Respostas a este tópico

Oquei, já pesquiso há mais de cinco anos. Agora, justifique a afirmação de que os judeus sempre foram o "motivo" de TODAS as guerras da Europa, do norte da Ásia (?) e da África. Vamos lá.

Consta em todos os livros de história geral. Eles estão presentes nos principais conflitos e se fazem de vitimas, claro.

Livros de História Geral, de quê? Argumento muito vago esse seu. Dê exemplos individuais e específicos, desde o "princípio", dessa "onipresença" dos judeus em todas as "guerras milenares" como você afirmou.

Renan Miranda, desculpe entrar na conversa,sò uma pergunta você acredita no holocausto?

Sou descendente  de judeus sefarditas (portugueses) e neto de uma senhora do povo roma (que vulgarmente é chamado "cigano"), alguns familiares próximos meus eram vítimas do Porrajmos, e tinham choque-de-guerra e números marcados no braço, se isso responde.

Obviamente judeu. Há inúmeras passagens no Novo Testamento que evidenciam que Jesus foi criado na religião judaica e observava as práticas religiosas do judaísmo. Quanto à sua "raça", ele era provavelmente caucasiano como outros povos da Palestina na época.

De novo alguns comentários demonstram a judeofobia de que padecem alguns desvalidos.

Mesmo eu que sou ateu praticante admito a existência de um judeu que lá pelos tempos de Pilatos exerceu certa influencia na area então pertencente ao império romano.Relatos vagos é claro mas que podem eventualmente ser relacionados ao Jesus.

Se bem que em tempo de cotas raciais nas universidades de repente baixam uma lei atribuindo a Jesus a raça negra...

 Alguem comentou ...

""Judeus sempre foram uma grande loja de conveniencias, escrevem aquilo que eles têm certeza que lhes renderá dinheiro. Escrever ou reescrever ou juntar bilhetinhos e formar a grande colcha de retalhos que é a biblia e dar-lhe um tom sagrado, não foi com certeza o primeiro ato de esperteza deles para subjugar a humanidade. Mas a Biblia, sem dúvida foi o golpe mais espetacular.""

Putz!!

Pobre humanidade!! É muita gente e muita coisa querendo acabar com ela!!

Os judeus querem nos arrancar até o último centavo...

Os Muçulmanos querem nos explodir...

Os chineses querem nos entupir de quinquilharias eletrônicas e devorar nossos recursos naturais..

Tem ainda o efeito estufa!!!

E como se não bastasse tem as previsões aztecas que o mundo acaba em 2012

Alem do pior do pior que são os livros do paulo coelho...

Fala sério!!!

"Muçulmanos querem nos explodir"? - Brancaleone, vc. por acaso é embaixador dos EEUU da America do Norte? A pergunta cabe aqui, porque pelo que sei, o ódio deles é contra os EEUU especificamente que roubam o seu petroleo em nome da defesa das liberdades. Rsss. Quanto aos Judeus, sem comentários. A China, pelo que sei, trabalha, produz e vende excedentes, nada mais. Natural no comercio internacional. O nosso governo é que tem que controlar isso com taxas de importação adequada para fazer o equilibrio. O ataque aos chineses pelo que sei é que eles debocham publica e escancaradamente dos royalties, das patentes e dessas engrenagens de ganhar dinheiro fácil inventadas pelos gringos Norte Americanos. Nada demais, castigo merecido do capitalismo, tal qual o tal pastor que chutou a imagem de Aparecidinha santa e parece que teve que fazer um tratamento nos EEUU (isso não é novidade, pois lá é que sabem tudo) e se fosse em Cuba ele teria sido curado sem alardes. Lá na terra dos evangélicos, eles "se curou" ou foi "curado" e voltou segundo dizem convertido ao catolicismo e extremamente arrependido. Traiu Edir Macedo e a Globo não quis explorar o assunto. Rsss. Ah, gente tenham paciencia todos sabem que é uma provocação inútil ficar discutindo aqui se o tal Jesus Cristo era Branco, negro ou Amarelo. Ele ganhou notoriedade e a humanidade precisa se agarrar em muitas coisas parecidas. Na verdade que importancia tem Jesus nos tempos de hoje? Isso é o que nós temos que discutir. O Cara viveu seu tempo, foi um revolucionário, foi um lider e isso nem ateus podem negar. Agora ficar achando que ele ressuscitou e se tornou um "personal God" e que cuida todos os dias de cada um de nós? isso é palhaçada, cientificamente falando, com todo respeito àqueles que creem nisso, mas a rigor nada podem provar e por isso merecem ironias e sarcasmos. Lamento muito, mas não posso entrar aqui e ficar respeitando bobagens.

Mesmo porque hoje, esse negócio de raça acabou. Imaginem Jesus nascendo hoje, mesmo na Europa, ele poderia por exemplo ser o filho de Ronaldo Fenomeno com a Cicarelli. Talvez Deus tenha escolhido os dois para enviar o novo salvador, mas Cicarelli olhou pra cara do Ronaldinho, num belo domingo de manhã e esbravejou: "Nem a pau, Nicolau". Não sei porque ela teria dito o nome de um Papa tão quase contemporâneo de Jesus, afinal mil anos apenas se passaram e um milenio na eternidade é como se fosse um grão de areia, na praia do futuro com seus 40 kms. de extensão.  Rssss

É, caríssimo Matheus Nogueira de Souza. Você é mesmo um profeta!

Respondendo de forma direta:

Um judeu. 

Márcio

Não vejo tamanha relevância no tema. O que interessa a nacionalidade de Jesus? Vai mudar alguma coisa? O que realmente interessa é nosso posicionamento contra questões xenófobas e preconceituosas. Os outros assuntos tratamos concomitante ao seu interesse.

RSS

Links Patrocinados

Cine História

A Casa Elétrica

Chega aos cinemas brasileiros o filme "A Casa Elétrica", co-produção Brasil-Argentina dirigida por Gustavo Fogaça.

Sinopse: A história de três irmãos imigrantes italianos que abriram a primeira fábrica de gramofones da América Latina. Savério (Nicola Siri), Carlino (André Di Mauro) e Aquille (Juan Arana) fundaram em Porto Alegre, em 1913, a Casa A Electrica. A história da música na América do Sul contada junto com a história da realização dos sonhos de um imigrante, a do Brasil e também a de um amor.

café história acadêmico

Vargas e o Trabalhismo: Confira, na íntegra, o artigo “A cultura política dos trabalhadores no primeiro governo Vargas”, do historiador Jorge Ferreira (UFF). Publicado na Revista de Estudos Históricos número seis, de 1990, o artigo se tornou uma referência importante sobre trabalhismo no Brasil. Clique aqui e leia.

EVENTO EM DESTAQUE

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }