Homem na Lua - O que leva algumas pessoas a duvidarem que o homem esteve lá?

O que leva pessoas cultas e bem preparadas a duvidar que o homem pisou n Lua?

Exibições: 192

Responder esta

Respostas a este tópico

Tem alguém que duvida disso?????????????
Você quer levantar uma discussão sobre a primeira vez que o homem chegou à lua durante a corrida espacial no período da Guerra fria? Aquela historia que os americanos simularam a chegada de Neil Armstrong a lua, que foi fraude, cinema puro? È isso? Não entendi direito!
Até!
As vezes até duvidamos de alguns fatos! no caso da chegada a Lua, foi pura corrida espacial da guerra fria. São megaprojetos e investimentos em cifras incalculáveis, tão fabulosos que deveriam ser revertido em pról do nosso planeta e dos problemas sociais da humanidade.
pénso que devido ao ambiente de guerra fria corrida espacial e armamentista onde sifra enormes foram gastas por ambas as partes para se sobre sair sobre a outra e a chegada do homem a lua poderia ser uma flade usado os recursos do cinema Estadunidense..
Caros Senhores (as),

De fato, muitas pessoas cultas e bem informadas duvidam da chegada do homem à Lua. A mim, em princípio, isto pareceu um contrassenso, já que tive o privilégio de assistir pela TV, ao vivo, o grandioso feito. O problema é que atualmente surgem questionamentos por parte de cientistas. Portanto, o interessante seria que algum cientista ou engenheiro aqui se manifestasse para nos dar maiores esclarecimentos.
Mas segundo já li, a corrida espacial em plena Guerra Fria motivou a fraude norte-americana. Alegam vários cientistas que, na época (1969), inexistia a tecnologia indispensável para a concretização da missão. Se não me engano, citam o caso do foguete Saturno, extremamente mais potente do que os ônibus espaciais utilizados hoje em dia e do qual a NASA estaria precisando novamente para as programadas missões a Marte, mas que, estranhamente, o seu projeto, desenhos e especificações técnicas teriam desaparecido.
Estou postando esta mensagem de memória. Se alguém se dispuser a pesquisar, poderá achar dados mais concretos.
Caros Senhores (as),

Fiquei perplexo com a postagem anterior, já que o Sr. Rodiney resolveu politizar um assunto cujo cerne não está na política, mas claramente delimitado à questão técnica. Qualquer estudantezinho do Fundamental sabe que o pano de fundo foi a Guerra Fria, mas isto aqui não vem ao caso. Quando pessoas cultas questionam a chegada do homem à Lua, pessoas de várias nacionalidades, a maioria por sinal norte-americanas, e de ideologias diversas, não recorrem a argumentos do jaez do daí de cima, mas sim a argumentos técnicos/científicos. Justamente por isso afirmei que seria bem-vinda a manifestação de um cientista.
O Sr. Rodiney aproveita o gancho para nos desagradar com o seu discurso reacionário e americanófilo, digno de um colonizado do tipo Sexta-feira. Deve ser um eleitor do "Democratas"(?), a julgar pelo seu elogio da "prosperidade e eficácia da democracia liberal". Agride-nos ainda com a sua ignorância ao opor nós, latinos, à França, desconhecendo que ela também é parte dessa comunidade.
Afinal, fui obrigado a pesquisar um pouco (bendita internet!) e recomendo-lhes francamente o seguinte site: www.designthis.hpg.ig.com.br/lua.html
na minha opinião foi uma estrategia dos proprios americanos, para sair em desparada pelo poder espacial, e porque não duvidar ha muitas controversias quanto a essea aspecto que até hoje continua no anonimato
Só algumas contradições pra analisar:
Verifique, nas fotos em anexo, como as máquinas fotográficas estão expostas às enormes variações de temperatura:
Astronautas utilizando as câmeras HASSELBLAD 500EL "na Lua"
onde a extrema variação de temperatura prejudicaria os negativos
não permitindo que fotos tão nítidas chegassem à Terra em 1969.
Mais um detalhe que não podemos deixar passar despercebido: compare a primeira foto em anexo com a do astronauta na NASA, na frente do suposto Stanley Kubrick. Note a extrema similaridade da posição do astronauta em ambas as fotos, segurando a câmera! essa é absurda....
Outro fato contestado por inúmeros pesquisadores é a falta de estrelas no fundo das fotografias. Já que não há atmosfera na Lua e a atmosfera atrapalha, de certa forma, a nossa visão, o brilho das estrelas deveria ficar bem mais reluzente visto da Lua, devendo ser muito nítido nas fotografias. A desculpa que a NASA dá para este fato é que, na Lua, a luz do Sol é tão intensa que ofusca o brilho das estrelas. Acredite, Se Quiser!
Veja os filmes que foram transmitidos para todo o planeta, da suposta conquista da Lua. Perceba que os astronautas transmitiam, em tempo real, vídeo e som para a base nos Estados Unidos. A conversa entre a base e os astronautas ocorria em tempo real naquela época! Como era possível isso há mais de 3 décadas atrás sendo que, hoje, para uma rede de televisão transmitir uma imagem para o outro lado do planeta são gastos 2 segundos para a imagem chegar lá e mais 2 segundos para a imagem voltar, gastando, ao todo, 4 segundos utilizando a mais alta tecnologia existente atualmente!?
Que roupas eram aquelas utilizadas pelos astronautas que resistiam a uma radiação solar tão absurda? Resistia também a altíssimas e baixíssimas temperaturas? E ainda suportavam a extrema falta da pressão atmosférica? Porque depois dessa missão, não há outras, com fotos e filmes novos e atuais?


O que "realmente" aconteceu nessa história do homem à Lua:
Anexos
À extrema ignorância do brasileiro médio. Afirmo a vcs que isto não ocorre na Argentina ou Uruguai, onde vivi muitos anos. Meu marido já respondeu duas vezes no Yahoo Respostas, ponderou, insistiu... Porém, a metade(pasmem!) das respostas afirmavam ser jogadas de 'marketing' e farsa montada pelas TVs americanas, rs,rs... No Brasil, o ensino de ciências exatas e mesmo de uma historiografia da ciência é nulo. Mesmo em círculos ditos intelectuais, a ignorância no assunto é imensa. Termos como termo-dinâmica ou telemetria soam com palavras em turco.A falta do ensino de Latim e Grego antigo contribuem muito tbm, em minha opinião. E a imensa maioria da população 'culta' confunde quilo com litro.Acha e afirma por escrito que 1 litro "pesa mais ou menos 1 quilo"(sic). Professores pelo Brasil a dentro 'lecionam' cidadania e DST( doenças venéreas), mas quase nenhuma aritmética. Pobre Brasil! Portanto, somando as idiossincrasias evangélicas e animistas ao ateísmo boçal, tem-se o resultado: ignorância total e infantil. O povo fica na dúvida. As mentiras norte-americanas ou a heresia a São Jorge? Também, por ufanismo BRIC ou complexo de inferioridade, pouca se divulgam os programas espaciais da China e da Índia. A India tem as sondas Chandrayan, que exploram a órbita lunar já há algum tempo. Figuras da ciência brasileira como o padre Bartolomeu de Gusmão, Santos Dumont( a menos para a insinuação homoerótica),Oswaldo Cruz, Vital Brasil, Mário Schonmberg, Leite Lopes, Bertha Lutz e o grande César Lattes são muito pouco badalados. Prefere-se Prestes, Portinari, Gilberto Freire e outras de reputação discutível ou desimportantes. E Villalobos e Carlos Gomes aparecem na arte como ideólogos, não como artistas de cultura clássica. Enfim, parece que as pessoas 'cultas' aqui são bem pouco informadas. E quando o são, sonegam informações, por 'dever' ideológico. A antiga URSS, hoje a Rússia, possuia altíssima tecnologia aeroespacial, rivalizando com os EUA durante décadas. No entanto, só recentemente conseguiu produzir papel higiênico e tubos de pasta de dente, graças às multinacionais. Estes, são produtos que comtêm boas doses de tecnologia para consumo popular, assim como as lâminas de barbear e as embalagens de leite 'long life'. Ótima pergunta do Ademir.
Sandra, concordo com muita coisa que vc disse em sua resposta mas não ficou clara, pelo menos pra mim sua posição. parece que seu marido acredita que realmente ocorreu o a chegada e vc?
Caro Rogério

Claro que o homem foi à Lua. Pensei que tivesse sido clara. E me espanta mais ainda que aqui dentro do Café História, haja quem não acredite. Ainda mais que citei o projeto Chandrayan da Índia, que já mantém uma sonda em órbita lunar. E há muito tempo sabemos que a Lua é 'logo ali', dentro da órbita terrestre. Imagino o que estas pessoas pensam sobre os programas norte-americanos da NASA e suas Columbias, Endeavour e ônibus espaciais, que alcançam distâncias bem maiores. Fora os programas mantidos por Rússia, China, ESA(Europa),JAXA(Japão), Ucrânia, Índia e outros. Meu marido, claro, argumentou no Yahoo que o os americanos alcançaram a Lua, logicamente. Mas quase metade dos participantes negava isto. Abraços, S.C.
cara sandra,quanto ao fato de sermos ''pobre''Brasil,ignoro seu comentário,o Brasil tem tecnologia de ponta,alguns milionarios do mundo sâo Brasileiros,sou um nacionalista, infelismente temos muitos problemas nas areas sociais,educação e outros, mas lembro a vc q os usa são os maiores agiotas do mundo e q o fato de terem ido a lua,pergunto?qual o beneficio?lucro?que se aproveitou da lua?nunca foram a lua!fato a bandeira tremulando ao fundo,se parece com um deserto,peritos no assunto,conhecedores de solos e outros ´ja provaram isso.respeito sua opiniao quanto vc acredita,mas rejeito quando vc se refere ao brasil e lhe digo pra vc continuar morando na argentina ou uruguay.
Pra mim, essa questão é até certo ponto pscológica. Muitas pessoas não acreditam nessa possibilidade por não acreditarem em si mesmas e no que podem realizar e por isso desconfiam quando alguém consegue fazer algo que pareça incrível demais para ela e para a maioria das pessoas. É dificil atestar um fato até que o vejamos. Porque muitos não deixam de acreditar, por exemplo que é impossivel navegar em águas profundas pelo mundo a fora? coisa que em tempos passados ( antes de 1500 d.c ) era imposível para a maioria. E hoje porque acreditamos que o homem é capaz de viajar no ar ? é porque vemos os aviões em cima de nossas cabeças. O dia que houver uma visão mais dinâmica de viagens espaciais, as pessoas não vão poder desacreditar.

RSS

Links Patrocinados

Cine História

Sobrevivente

Chega aos cinemas o filme islandês "Sobrevivente", de Baltasar Kormákur. 

Sinopse: Durante o inverno de 1984, um barco pesqueiro naufraga no Atlântico Norte, nas proximidades da Islândia. Os tripulantes tentam sobreviver, mas as águas geladas impedem que essa tarefa seja facilmente concluída, restando apenas Gulli (Ólafur Darri Ólafsson), um homem bom, de fé, querido por todos, e com uma vontade de viver inacreditável. Após nadar por cerca de seis horas e enfrentar vários percalços, ele consegue contato com a civilização. Após a incrível experiência vivida, Gulli terá ainda que viver com a dor da perda dos amigos e, pior, a incredulidade de todos, que não entendem ele ter sobrevivido a uma situação tão extrema e insistem em fazer testes para saber como isso pode ter acontecido. Baseado em fatos reais.

documento histórico

Guerra do Paraguai: Prédios paraguaios após a Guerra do Paraguai s.l., [186-]. Arquivo Polidoro da Fonseca Quintanilha Jordão. Fonte: Arquivo Nacional

Conteúdo da semana

Leituras da escravidão: O mini-documentário 'Leituras da Escravidão' aborda a escravidão na província do Paraná através do relato de estudantes de História da Universidade Federal do Paraná, que pesquisam o tema em processos judiciais do século XIX no Arquivo Público do Paraná

Parceiros


Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }