O Café História mudou de endereço, plataforma e identidade visual. Clique aqui para conhecer o novo Café História. Nós deixamos de ser uma rede social e somos agora um portal totalmente voltado para a divulgação de história. Nossa principal missão é divulgar o conhecimento histórico produzido nas universidades: para o grande público e para o meio acadêmico. Para entender melhor a mudança, clique aqui. E atenção: o antigo Café História (www.cafehistoria.ning.com) permanecerá online somente até o dia 2 de abril de 2017. Depois disso, todo o seu conteúdo será apagado, inclusive perfis e blogs. Tem algum conteúdo que você queira salvar e não sabe como? Nós temos uma sugestão. Clique aqui e leia o texto até o final. Esperamos contar com você como leitor do novo Café História!

Assine o novo Boletim Café História - receba em seu e-mail nossas novidades

Toda semana nós enviamos um e-mail com as novidades no campo da história e ciências humanas. Quer receber o nosso Boletim Café História? É bem fácil!

Em tempos de exacerbações jihadistas, com "infiéis sendo mortos" como nos bons tempos das Cruzadas, tem muitas perguntas a serem feitas. Uma das minhas é:

O atual Isis constitui a tentativa de impor um estado teocrático mesmo, com  fundamentação religiosa verdadeira  ou é apenas um bem engendrado golpe de (mais uma) exploração da fé para obtenção de terras e poder?

à luz de meus conhecimentos sobre a região - tendo inclusive trabalhado por lá no finzinho dos anos 80 - posso quase que assegurar que é a segunda opção mas gostaria de mais opiniões...

Exibições: 86

Responder esta

Respostas a este tópico

Esse estado islâmico, se não existisse, tinha que ser inventado. Está sendo perfeito para Malafaia atacar Dilma e para os USA e Europa invadirem a Síria e derrubarem o governo nacionalista de Assad.

As duas questões básicas que sempre foram as mesmas para a maioria das expansões e domínios de nações sobre outras nações é a questão da expansão da fé e a outra é a questão comercial. Os dois se confundem no fim, usando a fé pra conquistar terras para expandir o comércio.

No islamismo não é diferente, se não for por bem na aceitação da religião, será por mal, assim como no catolicismo também, pra não tornar ninguém heroico.

Há quem defenda que o islã nunca usou da força para conquistar territórios, porém é de total equívoco, pois um grande exemplo é no domínio do norte de África em que lutou contra os berberes e bizantinos. 

RSS

Boletim Café História

Política de Privacidade

Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

© 2017   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }