LINKS PATROCINADOS

Conteúdo da semana

Conflito árabe-israelense: O historiador Leonel Caraciki, especialista em conflito árabe-israelense, a convite do Café História, preparou uma bibliografia comentada para aqueles que desejam compreender melhor os recentes eventos em Gaza/Israel e a história que os cerca. Clique na imagem para conferir.

Fórum

Historiografia dos EUA

Iniciado por Cesar Augusto Diniz Costa Junior em História dos Estados Unidos. Última resposta de Bruno Leal 39 minutos atrás . 10 Respostas

Lançamentos de abril

CURTA O CAFÉ NO face

curta o café no face

Parceria: NIEJ-UFRJ

 

Entrevista: Bernardo Buarque de Hollanda

Futebol para além da Copa do Mundo

Entrevista com o historiador Bernardo Buarque de Hollanda, professor da FGV-SP

A Copa do Mundo, você bem sabe, já acabou. Mas no Café História nós apenas acabamos de entrar na prorrogação. Em entrevista exclusiva a nossa rede, o historiador Bernardo Buarque de Hollanda, especialista em história social do futebol, pesquisador do CPDOC/FGV e coordenador do MBA em Bens Culturais na FGV-SP, faz uma reflexão contundente e original sobre os aspectos políticos, sociais e econômicos que gravitaram em torno da realização de um dos maiores eventos esportivos do planeta, da ação dos Black Blocks ao fracasso da seleção dentro campo. Mas aqui o futebol vai além das quatro linhas da Copa do Mundo da FIFA. Hollanda discute ainda torcidas organizadas (tema que estudou em sua tese de doutorado), violência no futebol e o futuro do esporte, no Brasil. Esse “jogão, que só o Café História transmite, você acompanha clicando aqui.

Foto: Bernardo Buarque de Hollanda é especialista em história social do futebol

Café história tv

Bate-papo

Conversas ativas

Desconectado (4 online)

    Desconectado

    Você está desconectado do bate-papo. Conecte-se para entrar no bate-papo.

    Suspenso do bate-papo

    Neste momento, há várias pessoas conversando sobre história. Para entrar na conversa, você precisa ser membro da rede.

    Faça aqui o seu cadastro!

    mural do historiador

    Biografia de Salazar

    Se você gosta de história contemporânea e, mais especificamente, da história recente de Portugal, não pode deixar de conferir uma super oferta que está acontecendo agora no site da livraria Saraiva. Trata-se do livro “Salazar”, do pesquisador português Filipe Ribeiro de Menezes. Ele está sendo vendido por apenas R$ 9,90. Trata-se de um livro excelente, de capa dura e com quase mil páginas. Lançado em 2011, no Brasil, pela editora Leya, o livro é um dos mais completos sobre a vida de Salazar, estadista, político e professor catedrático da Universidade de Coimbra que notabilizou-se por exercer, de forma autoritária, o poder político em Portugal entre 1932 e 1968. Fazendo uso da propaganda, da censura e da repressão, Salazar seguiu as correntes políticas que dominavam a Europa no período e caracterizou-se como o maior ditador da história de Portugal. Clique aqui para conferir a promoção da Saraiva. 

    Tempo Presente

    Acaba de sair o novo número da "Revista Eletrônica do Tempo Presente", da Rede de Estudos do Tempo Presente e cuja coordenação é feita pelo Prof. Dr. Francisco Carlos Teixeira da Silva (IUPERJ). Nesta nova edição, especial, a revista traz uma coletânea de documentos nacionais estrangeiros sobre o Golpe de 1964. Na seção de resenhas aponta filmes, livros e canções sobre a ditadura no Brasil. Os documentos abordam o papel do STF, a imprensa, o apoio dos Estados Unidos, a repressão ao movimento estudantil, a repressão contra os artistas e muitos outros, além de um editorial escrito pelo historiador Francisco Carlos Teixeira. Cada documento é acompanhado de um texto. Para acessar o conteúdo, clique aqui

    café expresso notícias

    Historiadores denunciam abandono do Museu do Expedicionário

    Especialistas reclamam da infraestrutura, doação de peças e atendimento. Diretoria admite que o prédio, que fica em Curitiba, precisa de reparos. 

    Historiadores paranaenses denunciam o abandono e demonstram preocupação em relação à conservação do Museu do Expedicionário de Curitiba. O local, considerado um dos mais importantes museus sobre a participação brasileira na Segunda Guerra Mundial, reúne documentos e objetos que contam um pouco da história da Força Expedicionária Brasileira (FEB) na batalha de Monte Castelo, em 1945, na Itália.

    Museu do Expedicionário reúne objetos e documentos da participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial (Foto: Juliano Martins/SMCS)

    A doutora em História Cultural e representante da Associação Nacional dos Veteranos da FEB em Curitiba, Carmem Lúcia Rigoni aponta problemas na infraestrutura do museu, no atendimento e principalmente sobre as decisões arbitrárias da diretoria da Legião Expedicionária Paranaense (LEP), que administra o local em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura (Seec).

    “O museu está morrendo, ele está se fechando em si, pois a diretoria não dá um passo à frente daquelas escadarias”, disse Carmem. Para a historiadora, os principais motivos da deterioração do local são a falta de rotatividade na direção da LEP - a atual diretora está pela terceira vez seguida no mandato - e a política adotada pelo museu, que exclui civis da administração, mantido apenas por militares.

    “Eles não permitem que gente de fora viva o museu. Não é qualquer um que pode virar sócio, eles têm um processo de escolha que ninguém entende”, disse a historiadora. Ainda de acordo com Carmem, as condições do museu seriam melhores se a diretoria procurasse o apoio da comunidade, com parcerias e projetos, ao invés de ficar esperando apenas o poder público. “Foi o caso do Museu de Armas da FEB no Rio de Janeiro. Eles fizeram uma parceria com uma empresa de Curitiba e agora, para mim, é o museu da FEB mais bonito do Brasil", explica.

    Infraestrutura com problemas

    O prédio em que funciona o museu apresenta problemas com infiltrações e goteiras. A cada chuva forte, o carpete e as cortinas ficam molhados e em todas as salas é possível ver manchas no tapete por causa da água. Algumas paredes também apresentam sinais de infiltrações. A preocupação é que a umidade coloque em risco a conservação do acervo, que conta com documentos e uniformes da épocaO historiador e professor Dennison Oliveira também denuncia a doação de peças do museu. Entre os objetos doados estão a carabina do tenente Ari Rauen, que foi enviada ao 5º Regimento de Carros de Combate (RCC) de Rio Negro e a bandeira nazista, que, segundo o professor, era um dos objetos mais importantes do acervo. “É proibido pelo regulamento do próprio museu a doação destes objetos. Só é permitido em casos de objetos duplicados, caso contrário, não pode”, conta o professor.

    Para continuar a ler, clique aqui

    Fonte: G1


    Outras notícias

    Inovações na educação 'servem de estímulo a professor', diz OCDE

    Os portugueses mortos no Holocausto

    Bebê 'ariano ideal' em capa de revista nazista era judia

    Torcedor que assistiu a Copa de 1950 no Maracanã relembra emoção vivida

    Britânicos ensinaram 'tortura psicológica' a militares brasileiros na ditadura

    Concurso prevê apresentação de tese de doutorado em até 3 minutos

    Fale Conosco

    Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. Teremos o prazer em ajuda-lo(a):

    Nosso email: cafehistoria@gmail.com

    Atenção!

    O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

     
     
     

    Links Patrocinados

    Membros

    Cine História

    Tarja Branca

    Está em cartaz em cinemas brasileiros o documentário de estréia do brasileira Cacau Rhoden. 

    Sinopse: A partir dos depoimentos de adultos de gerações, origens e profissões diferentes, o documentário discorre sobre a pluralidade do ato de brincar, e como o homem pode se relacionar com a criança que mora dentro dele. Por meio de reflexões, o filme mostra as diferentes formas de como a brincadeira, ação tão primordial à natureza humana, pode estar interligada com o comportamento do homem contemporâneo e seu "espírito lúdico". 

    documento histórico

    Guerra dos Trinta Anos: Confira o mapa histórico sobre a Guerra dos Trinta Anos (1618-1648), uma das maiores guerras da história da Europa Moderna. 

    EVENTO EM DESTAQUE

    Parceiros


    Fotos

    Carregando...
    • Adicionar fotos
    • Exibir todos

    Política de Privacidade

    Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

    © 2014   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

    Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

    body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }