Portal parceiro

dicas de Abril

CURTA O CAFÉ NO face

Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Vídeos

  • Adicionar um vídeo
  • Exibir todos

Membros

Aniversários

 

MURAL DO HISTORIADOR

Revista História e Diversidade

A Revista “História e Diversidade” convida para a chamada pública para submissão de artigos para o dossiê “Urbanização e populações luso-brasileira, Sécs. XVI-XVIII”. Proposta: A organização deste dossiê objetiva ampliar as discussões referentes ao processo de formação urbana luso-brasileira, sécs. XVI-XVIII. Os núcleos urbanos que foram criados no Brasil colonial foram estratégicos para a integração político-territorial, como também para o adensamento populacional e o estabelecimento de uma determinada ordem colonial. Desde as primeiras povoações litorâneas criadas no século XVI pela Monarquia Portuguesa, ampliando-se para a região mais central do continente sul-americano e, sobretudo, para a Amazônia Portuguesa, foi significativo o aumento de vilas e cidades coloniais. Angel Rama ressalta que a “translación del ordem social a una realidad física, en el caso de la fundaciión de las ciudades, implicaba el previo diseño urbanistico mediante los lenguajes simbólicos de la cultura sujeitos a concepción racional”.[1]  Os planos urbanísticos de vilas e cidades coloniais constituem-se em fontes importantes para o estudo dos mais variadas formas de ocupação do espaço. Pode-se afirmar que havia desde os primórdios da colonização luso-brasileira diferentes projetos urbanísticos. Contribuindo, significativamente, para este debate, as questões apontadas por Sérgio Buarque de Holanda sobre os modelos urbanísticos que deram origens as cidades coloniais na América do Sul constam na consagrada obra “Raízes do Brasil” (O Semeador e o Ladrilhador).[2] Influenciados por essas concepções, estudiosos das mais diferentes áreas do conhecimento vem apresentando resultados de suas pesquisas em congressos e em periódicos acadêmicos. Nesse sentido, a intenção aqui é dar visibilidade as variadas interpretações referentes ao processo de urbanização e sobre as populações que viviam nesses ambientes urbanos, alargando ainda mais esse profícuo debate. Mais informações aqui

Café História TV

O que é História? Gian Carlo de Melo Silva

No Café História TV, quem agora responde o o que é história? é o historiador Gian Carlo de Melo Silva, professor do departamento de história da Universidade Federal de Alagoas. Confira!

LINKS PATROCINADOS

Bate-papo

Conversas ativas

Desconectado (2 online)

    Desconectado

    Você está desconectado do bate-papo. Conecte-se para entrar no bate-papo.

    Suspenso do bate-papo

    Neste momento, há várias pessoas conversando sobre história. Para entrar na conversa, você precisa ser membro da rede.

    Faça aqui o seu cadastro!

    café expresso notícias

    II Salão do Livro Político discute a atual crise

    Vem aí a segunda edição do Salão do Livro Político, que este ano faz o foco na crise que o país atravessa, a mais aguda desde o golpe civil-militar de 1964. Os filósofos Marilena Chauí (foto)( e Vladimir Safatle, os políticos Adriano Diogo e Ciro Gomes, os juristas Fábio Konder Comparato e Alysson Leandro Mascaro, a líder estudantil Carina Vitral, além de Amelinha Teles, são alguns dos nomes confirmados até agora para os debates. Eles falarão do atual momento, discutindo também os ainda obscuros anos de chumbo e a crise que levou ao impeachment de Fernando Collor de Mello, em 1992. 
    O evento vai abordar inclusive a agenda conservadora que, em meio à crise, ganha força no país, em mesas sobre as questões racial e de gênero. O leque temático completa-se com debates sobre as perspectivas das mídias independentes e o contraponto que representam à imprensa tradicional, a ascensão do teatro político, a emergência dos autores da periferia na literatura, o desempenho do mercado do livro político no Brasil e a “eterna” questão da Palestina. A programação ainda abarca projeção de curtas metragens, lançamentos com sessões de autógrafos e apresentações culturais. Na feira de livros, de que participam 25 editoras, os títulos serão vendidos com descontos de até 50%.

    Organizado por um grupo de sete editores (Alameda, Anita Garibaldi, Boitempo, Caros Amigos, Cortez, Filoczar e Sundermann), o II Salão do Livro Político realiza-se este ano de 1º a 3 de junho, no Centro Cultural São Paulo, espaço da Prefeitura Municipal, que apoia o evento. 

    III Salão do Livro Político: De 1º a 3 de junho, das 11h às 22h   Centro Cultural São Paulo Rua Vergueiro, 1000 – Metrô Vergueiro – 11 3397-4002.  
    Mais informações aqui.
     
     
     

    Links Patrocinados

    café história acadêmico

    Debates sobre Teoria da História - Entrevistamos o historiador Andre de Lemos Freixo, professor do Departamento de História da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Freixo presenteou o Café História e seus leitores com um riquíssimo e estimulante debate sobre teoria(s) da história. Para conferir essa entrevista exclusiva, clique aqui.

    EVENTO EM DESTAQUE

    bibliografia comentada

    Política de Privacidade

    Para ler nossa "Política de Privacidade", clique aqui.

    Atenção!

    O Café História respeita a opinião de todos nos mais diversos espaços da rede. Reserva-se, no entanto, o direito de suspender textos de teor ofensivo, agressivo ou que sustente preconceitos de qualquer ordem, que promovam a violência ou que estejam em desacordo com o bom senso e as leis brasileiras. Da mesma forma, o Café História poderá suspender membros que publiquem este tipo de conteúdo. Se identificar algum conteúdo ofensivo ou comportamentos inadequados, por favor notifique-nos: cafehistoria@gmail.com

    Parceiros


    Fale Conosco

    Encontrou alguma mensagem racista, preconceituosa ou ofensiva no Café História? Entre em contato conosco. Teremos o prazer em ajuda-lo(a):

    Nosso email: cafehistoria@gmail.com

    © 2016   Criado por Bruno Leal.   Ativado por

    Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

    body, .xg_reset .xg_module_body { line-height: 1.3; }